DIA 4 – O poder da sua fé SEMPRE DEPENDERÁ da gratidão que você sente.

A magia da gratidão está em acreditar que tudo é possível e que nada nem ninguém poderão impedir a vontade de Deus.

Quando somos gratos a tudo que possuímos, a tudo que sentimos e a tudo que nos acontece, a vida se encarrega de nos devolver a mesma gratidão que vibramos.

Somos movidos por uma força interior que nos motiva a continuar seguindo em frente, nos ajuda a perdoar o que ou quem tiver que ser perdoado, como Jesus perdoou Judas e todos os seus algozes.

Somos impelidos a esquecer o passado e viver o presente como o que ele realmente é para nós: um presente. E a projetar um futuro repleto de esperanças que dias melhores virão.

Após caminhar por 3 dias consecutivos, onde enfrentamos muitos desafios e recebemos a graça de aprendizados enriquecedores. Acordamos em São Tomé das Letras/MG, e tomamos um café carinhoso, tendo uma conversa edificante com os novos amigos que também estavam hospedados no Hostel Clã das Fadas, da nossa parceira Clarisse.

Todos estavam curiosos em saber o que tínhamos aprendido com a nossa peregrinação, e me pus a contar as conexões de amor que fizemos com o coração contaminado desse mesmo amor, livre de dores, com pensamentos prósperos e sentindo o amparo da providencia divina.

Contei a eles o que relato aqui, nos 3 artigos que escrevi sobre as nossas vivências em São Tomé. Se ainda não leu, clique nos links a baixo e viaje conosco!

DIA 1 – Primeiro cure as suas dores emocionais, depois, aprenda a amar de verdade

DIA 2 – O AMOR DE JESUS VAI CURAR A SUA ALMA

DIA 3 – Mude a pessoa que você vê no espelho e verá o seu mundo mudar

Nos despedimos de todos cheios de alegria e seguimos nosso planejamento do dia: visitar a cachoeira de Shangri-lá e meditar no Poço dos Duendes.

Os místicos que vivem por lá acreditam que o local emana muita energia cósmica, por conta dessas crenças que rondam a região, o vale é também conhecido como Vale do Maytréia (o novo Avatar).

A história de Shangri-lá conta que esse era um local carregado de paz, onde pessoas isoladas viviam de acordo com os ensinamentos budistas e se empenhavam diariamente a vibrar pelo dia em que o mundo estaria preparado para viver em paz.


Foto: Tom Viajando a pé

O livro “Horizonte Perdido” escrito pelo inglês James Hilton em 1933 fez tanto sucesso no imaginário coletivo, que Shangri-lá ganhou o status de lenda, ao lado de “cidades perdidas” milenares como Shambala, Atlântida e El Dorado.

O autor descreve, em sua ficção, um vale harmonioso, isolado do mundo exterior, desconectado das dores e da maldade do mundo. Seus moradores se sentiam constantemente saudáveis e felizes, e seriam quase imortais.

Acredita-se que o autor retirou a ideia de uma lenda da tradição budista tibetana, outros relatos dizem que a história já era conhecida antes disso, mas o que repetidamente contam é que seria uma civilização perdida, escondida nas Cordilheiras do Himalaia.

“Em Shambhala, todos os habitantes seriam iluminados e teriam a missão de guardar os maiores tesouros do mundo – a sabedoria e o conhecimento – para restituir a humanidade na Terra após sua destruição, que seria iminente”. (crença popular)


Foto: Trilhando nas Nuvens

Shambhala é citada em textos sagrados do Oriente, tida como um local físico, onde, porém, só entra aqueles cujo bom karma permite. Ou seja, segundo a lenda, não é permitido a qualquer pessoa encontrar a cidade.

Eu, particularmente, não tinha conhecimento dessa história toda quando planejei o 4° dia, mas intui que seria lá o melhor lugar para sentir a gratidão invadindo meu coração e a minha intuição estava certa.

Acredita-se que São Tomé possui uma força energética muito grande e que em alguns locais é possível (para aqueles que acreditam) viajar por portais e receber a graça de ensinamentos únicos.

Eu tenho uma fé inabalável em relação aos mistérios do Universo, e diferente de São Tomé, nunca precisei ver para crer, o que sinto aqui dentro já é o suficiente, não duvido de absolutamente nada. Pelo contrário, tenho total convicção de que a comunicação entre os vários mundos é possível e verdadeira. Principalmente a comunicação com Deus.

E como a fé só realiza milagres quando acreditamos piamente na providencia divina, e quando projetamos todo o amor que sentimos para fora, eu me entreguei durante o dia todo, e amei, amei tão intensamente cada instante, que foi esse amor que consegui externalizar, que me conectou com o amor de Deus.

“A gratidão é a maior medida do caráter de uma pessoa. Uma pessoa grata é uma pessoa fiel, não te abandona, está sempre contigo. Nela você sempre pode confiar”. Augusto Branco

Não consigo expressar em palavras o que senti andando pelas pedras da cachoeira que mais pareciam as crateras da lua.


Foto: Tom Viajando a pé

A lua que influencia as marés, que muitos estudiosos afirmam ter poder de mexer com as nossas emoções, mas que ainda poucas pessoas dão a real importância a esse “poder” que ela emana. Mas enquanto andávamos por elas, eu pensava na lua e na sua magnitude.

As corredeiras, os poços de água cristalinos, as grutas e as inscrições rupestres me ajudavam a me conectar ainda mais com essa força criadora, e a projetar minha mente para lugares distantes, onde a energia era mais leve e mais amorosa. A gratidão me invadia gradualmente e com uma força nunca antes sentida.


Foto: Tom Viajando a pé

Comecei a agradecer tudo que tinha vivido até então, e a me recordar do dia anterior, que como já relatei no texto do dia 3, foi o dia mais difícil para mim. O dia onde trabalhamos a prosperidade, e peregrinamos pelas montanhas sem gps, apenas com a experiência geográfica do Tom, em quem confio piamente.

Enquanto me lembrava, agradecia por tudo. Porém, uma conversa que tive com um morador do Canta Galo (vila onde ficam vários campings rurais e cachoeiras), o André, durante uma rápida parada no Camping Rock do Cigano, invadia a minha mente.


Foto: Tom Viajando a pé

Logo que terminamos a caminhada do DIA 3, resolvemos entrar no camping para conhecer pessoas e descansar um pouco, a ideia era estabelecer conversas edificantes.

Como se eu fosse levada a compartilhar os ensinamentos que havia recebido durante o dia, lá, conhecemos o André, e ele, após tomar conhecimento do que fazíamos, começou a expressar sua opinião.

Não levei muito em conta as palavras dele naquele dia, acho que o cansaço era tanto que não conseguia raciocinar direito, mas no dia da gratidão, as palavras dele vinham com força como seu eu precisasse chegar a uma conclusão. Contarei o que ele nos disse:

“As pessoas querem excluir o mal como se fosse possível. O bem existe, mas o mal também existe, e ele não é ruim como pensam. Ele simplesmente é, está, e todos possuem ele dentro”.

Como eu não estava sozinha nessa vivencia, os ensinamentos que recebíamos não eram apenas voltados para mim, mas serviam para mim também. E entendi que a resposta que receberia de Deus sobre essa afirmação de André seria dada a quem estivesse ainda em dúvida. (não acredito em coincidências, quem me conhece sabe, ele tinha o mesmo nome do apóstolo que mais peregrinou pelo mundo, e relatos dizem que André foi o único que chegou até as terras da atual Rússia depois da morte de Jesus, levando a palavra).

O dia mais silencioso de todos estava passando rápido, então me sentei em uma pedra, e o Tom foi caminhar um pouco mais, subir até o início das corredeiras. Quando voltou, se sentou ao meu lado e senti que ele estava incomodado. Perguntei o que ele tinha e ele me respondeu:

“Tem gente que não consegue amar o tempo todo como você Iara”.

E tentou me lembrar da afirmação que o recém conhecido André havia nos falado no dia anterior, a mesma que já permeava os meus pensamentos.

Olha que interessante: Ele também estava sendo intuído nessa questão e tentava entender o que se passava com as próprias emoções.

Só é capaz de sentir gratidão quem nunca duvida da bondade de Deus.

Como em nenhum momento do dia eu tive dúvidas, a resposta veio a mim, e eu respondi com lágrimas nos olhos, emocionada pelo presente de sabedoria que me foi concedido através de uma música de Erasmo e Roberto Carlos.

Deus teve o cuidado, até na hora de ensinar aqueles que ainda duvidam dele, de amorosamente trazer uma forma encantadora de nos ensinar. E cantarolei emocionada:


Foto: Trilhando nas Nuvens

“Quem espera que a vida, seja feita de ilusão.

Pode até ficar maluco, ou morrer na solidão.

É preciso ter cuidado, para mais tarde não sofrer!

É preciso saber viver!

Toda pedra do caminho, você pode retirar.

Numa flor que tem espinho, você pode se arranhar.

SE O BEM E O MAL EXISTEM, VOCÊ PODE ESCOLHER!

É preciso saber viver!”.

Ao escutar a música vindo intuitivamente, chorei como criança!

Me emociono agora lembrando!

Como Deus é misericordioso!

Espero que todos nós possamos ter cuidado com as nossas escolhas diárias, e esse foi o maior ensinamento de todos, se é que eu poderia cometer esse “pecado” de escolher apenas um.

“É preciso saber viver”, … os versos se repediam ecoando em meu coração.

Se o bem e o mal existem, todos podemos escolher!

Deus nos concedeu essa liberdade, então, escolha o bem! Todos os dias!

Escolher pelo bem ou pelo mal está por nossa conta! Entende?

Então, o que você vai escolher hoje? A qual energia você irá se vincular? A qual força você irá trabalhar?


Foto: Tom Viajando a pé

E a viagem ainda não acabou!

O Dia 5 foi o dia das RECOMPENSAS. E nós recebemos muitas, por dois dias consecutivos! Uma chuva de bênçãos!

Gratidão meu Deus!

Que todos que estão lendo essas linhas agora, possam receber as suas bênçãos, e que nunca duvidem da sua presença amorosa e do seu poder!

FRASE TÍTULO: A frase título faz referência ao versículo do apóstolo Matheus “Porque a todo o que tem, dar-se-lhe-á, e terá em abundância; mas ao que não tem, até aquilo que tem ser-lhe-á tirado”. Citado desta forma como utilizada no título por Rhonda Byrne, no Livro A Magia.

GOSTOU DO TEXTO? QUER SE INSPIRAR AINDA MAIS? ENTÃO VISITE A FANPAGE E O INSTAGRAM DO SEU AMIGO GURU.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!