O AMOR É A FONTE INESGOTÁVEL E NATURAL QUE CURA TODAS AS DORES DA ALMA. Mas poucos procuram beber dessa fonte!

DIA 2: O AMOR ENSINADO POR JESUS É O ÚNICO REMÉDIO CAPAZ DE CURAR AS NOSSAS DORES EMOCIONAIS.

Fui para São Tomé das Letras passar alguns dias com o meu parceiro Tom, responsável por mapear as trilhas que fazemos, graças a ele, conseguimos desbravar todas as regiões a pé, sem guia, só nós dois, e a natureza. Ele é incrível e sabe me orientar, já que eu, sou bem perdida quando o assunto é localização geográfica.

Escolhi São Tomé por conta da vibração energética que a cidade tem, queria realizar uma vivencia especial, criada por mim, para me conectar intensamente com o que há de divino em mim.

Para quem ainda não leu o texto do DIA 1, caminhamos cerca de 8 horas por dia, durante 5 dias, cada dia caminhamos na intenção de trabalhar um ponto diferente dentro de nós.

No primeiro dia, trabalhamos as dores emocionais. Se você não leu ainda as revelações que tive no primeiro dia, leia antes de seguir com a gente no SEGUNDO dia: Primeiro cure as suas dores emocionais, depois, aprenda a amar de verdade

O dia do Amor veio como inspiração para que pudêssemos curar verdadeiramente as nossas dores, que foram reveladas no dia anterior.

Partimos da Pedra da Bruxa em direção ao Caminho do Peregrino, senti que o dia ia render e muito.

Foto: Viajando a Pé

Uma intuição forte me soprava a importância desse dia, e conversou baixinho comigo durante todo o trajeto, me ajudando a criar conexões pessoais intensas, fazendo brotar em nosso caminho pessoas que nos demonstravam que o único remédio capaz de curar qualquer ferida emocional instalada em nós, é o AMOR.

Foto: Viajando a Pé

Não fomos ensinados a amar. Seguimos mestres, padres, pastores, quando deveríamos seguir apenas Jesus Cristo.

Muitas pessoas acreditam que devemos amar apenas aqueles que nos amam, que não devemos dar a outra face se alguém nos ofender ou humilhar, que devemos ser espertos, que não podemos de maneira alguma deixar que pensem que somos bobos.

Foto: Viajando a Pé

Muitos de nós fomos “condicionados” a amar sobre a “condição” da recompensa, levados a pensar que, ninguém, além dos “nossos”, prestam, que “todas” as pessoas querem levar vantagens sobre nós… E assim, passamos esses ensinamentos equivocados, de geração em geração, talvez não conscientemente, por pais e filhos, mas, pela hipócrita sociedade a qual fazemos parte…

Essa mesma sociedade “da qual fazemos parte”, repito, prioriza o individualismo, a liberdade a qualquer custo, alimenta o egoísmo, que imperou por séculos e séculos, e infelizmente, vem esmagando o amor verdadeiro, essa energia vital capaz de curar tudo, que foi capaz de trazer Jesus a Terra!

Foto: Viajando a Pé

A estratégia do mal é trabalhar constantemente para nos desconectar do amor que Jesus veio ensinar.

Caminhando pela Trilha do Peregrino em São Tomé, por aproximadamente 16 kms, fomos absorvendo sabedorias nos pequenos detalhes.

Os meus pensamentos flutuavam na certeza de que mesmo quando o mal pensa que venceu, o bem ressurge mais forte e mais bonito.

Foto: Viajando a Pé

Sim, o bem e o mal existem, e estão por aí, livres, nos afetando de quando em vez, e trabalhando em nossos pensamentos e atitudes.

A cada pensamento, a cada atitude desconectada do amor, nos afastamos mais e mais dessa fonte inesgotável de cura evolutiva que é o amor genuíno.

Mesmo frequentando semanalmente os nossos rituais religiosos de nossa preferencia, fomos impregnados por ensinamentos que mais revelavam o desamor, do que o verdadeiro amor, denominado “salvador”.

O amor que a maioria das pessoas sentem, está impregnado de apego, egoísmo, ciúme, inveja, e interesses… Um amor movido por recompensas!

E por isso decidi buscar a verdade sobre o amor para poder beber da fonte e nos libertar de todas as crenças limitantes que adoecem a alma.

Durante o caminho eu ia pensando: “Seguimos tão desconectados, gritando quando ninguém quer ouvir, ansiosos, deprimidos, com dores físicas e com as emoções todas descompensadas”.

“Revele o seu amor Jesus, eu dizia em meu coração, se apresente a nós”.

Foto: Viajando a Pé

Depois de algumas horas caminhando, Tom e eu resolvemos parar para descansar em frente a uma porteira e nem nos atentamos a placa do local, só sentamos e começamos a mexer em nossa mochila procurando um lanche e um pouco de água, pois por mais frio que fazia lá, o sol estava queimando forte. Foi aí que um homem em cima de uma mula se aproximou.

Observação: (No dia em que chegamos já era noite, estava acontecendo um evento na cidade, um festival de cerveja artesanal, e eu havia reparado nesse homem, em cima da mesma mula, e até tinha tirado uma foto dele, com o Tom em primeiro plano).


Foto: Trilhando nas Nuvens / Para ilustrar

Eu não acredito em coincidências, acredito em conexões, e nessa viagem o que mais tivemos foram provas de que é verdadeiramente possível se conectar a frequência de amor, se assim quisermos.

Nos apresentamos, e expliquei o que estávamos fazendo, que a longa caminhada estava sendo feita com a intenção de nos ser revelado o amor de Jesus, sem vinculação religiosa, e então, ele se apresentou a nós como JACÚ.

Jacú é uma figura conhecida em São Tomé, mas nós, não o conhecíamos.

Ainda na porteira, e em cima de sua mula, ele começou a divagar sobre o amor de Jesus. Sobre o que o amor é capaz de transformar em nós, sem que tivéssemos que pedir para que ele proferisse uma só palavra.

E tudo fazia muito sentido, me sentia inspirada, e em completa conexão com a fonte de amor inesgotável que existe nessa vida.

Ele então nos convidou para entrar, e aí percebemos a placa, BEREBERES – NATURALISMO. Sim, bem eu, que nunca tinha pisado em um local onde a ideia central é viver como se veio ao mundo. Sempre tive restrições quanto a ficar nua na frente de desconhecidos, e não fiquei, não foi preciso, rs, mas essa é a proposta dele. Ele realiza vivencias onde as pessoas se cobrem de lama, totalmente nuas, e, segundo ele, as pessoas saem de lá com a alma curada, e eu acredito que saiam mesmo. Existem muitos relatos. Se quiserem mais informações é só acessar o link a cima.

Subimos uma longa rampa até a sede, onde ele mora, em uma casinha feita a mão por ele mesmo. Lá, ele nos mostrou suas instalações, contou como acontecem as limpezas, e quando eu disse que era escritora, ele quis me mostrar seus cadernos onde registrou durante a sua vida, inspirações que recebeu, e que escreveu a mão, já que não sabe usar computador.

Ele nos trouxe 5 cadernos, e pediu para que cada um de nós escolhesse um, e abrisse em uma página aleatória. A conexão foi tão forte, que abrimos e lemos duas folhas cada.

Para nosso espanto, cada ensinamento lido, revelava uma faceta emocional muito evidente de cada um de nós. Ficamos espantados, mas o espanto era apenas revelações que nos faziam necessárias para que pudéssemos seguir nosso caminho com amor.

Para mim, os escritos revelaram a minha essência inventiva, curiosa, que fazia da escrita, uma missão. Para o Tom, a necessidade de liberdade e de buscar horizontes que ampliem a sua visão sobre o que realmente importa na vida.

Mas quando o Jacú abriu seu caderno e fez a sua leitura, adivinhem qual o assunto que continha? Sim: O Amor verdadeiro. Estávamos ali espantados com tantas “coincidências”.

Toda aquela simplicidade me disse muito!

Me disse que o amor verdadeiro só pode ser encontrado nas coisas simples. Que a opulência, a riqueza e a vaidade contidas em várias religiões, são tudo, menos o Amor que Jesus desejou nos revelar.

Como eu já disse, não existem coincidências…

Eu gravei o Jacú fazendo a leitura para que todos pudessem acreditar em mim. Acreditar que se desejamos nos conectar verdadeiramente, Deus nos encaminha para locais e se utiliza de pessoas, de carne e osso, para que possamos nos lembrar da verdade.

Assistam esse vídeo bem amador que eu fiz do Jacú lendo seus escritos, que não possuem pontuação, são palavras simples, vindas do seu coração, exatamente como são faladas por ele:

JACU falando sobre amor.

JACU – Espaço Naturalista Bereberes – caminho do penegrino. SaoThome das Letras – MG

Posted by Viajando a pé on Wednesday, July 24, 2019

Eu fui tocada! E o Tom também.

Ele que, sempre me lembra que não é possível amar o tempo todo, pois assim foi condicionado.

Até ele, que me recorda que temos dentro de nós o bem e o mal, e que nem sempre conseguimos viver o amor em sua plenitude. Que nem todo mundo dá conta de se conectar a esse amor.

Eu sei, que a maioria de nós prefere namorar o mal e flertar com o profano. Mas sei também que muitos pais, tanto a mãe, quanto o pai, incentivam seus filhos a viverem desconectados do amor quando, os ensinam a viver uma vida de mentiras e diversões vazias.

Mas, também eu, consigo sentir esse mal, e quando sinto, me enojo, vomito, passo mal. Tem gente viva por aqui que não me deixa mentir.

Mas, finalmente, ele se sentiu tocado, e pôde constatar que a escolha em se vincular a um(bem), ou ao outro(mal), é estritamente nossa!

Antes de nos despedirmos de fato do Jacú, o Tom agradeceu humildemente, e o chamou de Mestre, e Jacú respondeu:

“Mestre, apenas Jesus. Não siga a mim, nem a ninguém, siga apenas Jesus”, desamarrou sua mula, montou, e seguiu em frente. E nós também, seguimos nosso caminho, maravilhados e agradecidos.

No final do dia, voltando para o Hostel Clã das Fadas, onde ficamos confortavelmente instalados, nem nós dois, conseguíamos conceber, o tamanho do aprendizado que recebemos.

Sem que nos atentássemos para o que estava acontecendo naquele dia de fato, chegamos na cidade quando a lua majestosa se punha reluzente no céu, e nem percebemos que, naquele exato momento, acontecia uma eclipse lunar. Parece mentira, mas não é. Tudo isso aconteceu de verdade.

E foi mágico para os céticos, e verdadeiro para aqueles que, como nós, não acreditam em coincidências, e seguem firmes no caminho do bem, no caminho do amor, munidos da certeza de que atraímos exatamente aquilo o que vibramos, e que a espiritualidade, ouve e vê tudo, tudinho mesmo.

Que não adianta pregar de santo do pau oco não minha gente, que a vida te devolve em dobro tudo aquilo que você oferece a ela.

E depois desse dia, quem desdenha do amor na minha frente, quem discursa que devemos adquirir bens materiais para que os outros pensem que somos felizes, quem vomita liberdade em detrimento a sagrada união entre a energia masculina e a feminina, e quem defende que devemos aproveitar (de maneira irresponsável e egoísta) a vida porque ela é uma só, recebe de mim um silêncio resignado, e penso: “Meu Deus, perdoe, eles não sabem o que dizem”. Porque quem pensa assim, apenas finge conhecer Jesus, e Jesus, nem dá ouvidos ao louvor deles.

O amor que devemos seguir é o modelo de Jesus, e esse mesmo amor, devemos sentir por nós, e pelos outros, e é essa a fonte de cura para todos os males do Universo.

E nós aprendemos da melhor forma possível essa máxima. Sou eternamente grata!


Foto: Viajando a Pé/ Cachoeira Véu de Noiva

Todos os ensinamentos de pessoas religiosas que fazem parte da minha vida, caíram por Terra, e decidi, de uma vez por todas, absorver apenas o que me faz bem, e seguir o caminho do amor, aquele que Jesus nos mostrou, não através de palavras jogadas ao vento, de canções e orações decoradas, mas, a cima de tudo, e de todos, através de suas atitudes.

Palavras desconectadas de atitudes não me enganam mais

Jesus jamais pediu para que as pessoas acumulassem bens materiais, pelo contrário, quem conhece a palavra e a sua história, melhor do que eu, sabe muito bem, que por onde ele passava, ele deixava a mensagem de uma vida simples, de uma vida conectada apenas ao amor ao próximo, e ao amor a Deus.

Nos provou com a sua vida, que não devemos guardar sentimentos pequenos, de vingança, rancor, raiva, e muito menos, devemos desejar mal aos que nos fazem mal.

Foi morto na cruz, mesmo podendo se defender, pois com todo o poder que ele tinha, poder vinculado e dado por Deus, poderia ter movido céus e terras para não ser crucificado. Mas preferiu deixar a ganancia do mal findar a sua vida terrena para provar que nem mesmo o mal, em sua ingenuidade arrogante, conseguiria apagar o que Ele veio nos ensinar.

Viveu e morreu na simplicidade, sem juntar uma moeda de ouro sequer, o seu ouro era o amor, e mais nada.

E depois de tudo isso, depois de muito estudar as religiões e a personalidade de seus seguidores, aprendi que quando amamos de verdade, nos sentimos tão poderosos, mais tão poderosos, que este poder advindo do amor, ouro nenhum é capaz de comprar.

E os que se acham poderosos porque possuem mais dinheiro do que outros, vão chamar a mim de “dono da verdade”, querendo desmerecer meus estudos e minhas constatações. Para esses eu apenas repito as palavras de Jacú, com uma pequena alteração: “Não acreditem em mim, acreditem apenas em Jesus!”

Jacú também disse em certo momento: “Nós fomos enganados”.

E eu concordei de imediato. Fomos enganados Jacú, e nos chamam de loucos. Quiseram nos vender o amor quando amor de verdade não se compra, apenas sente, vive, doa, generosamente.

A maioria de nós, ainda engatinha nessa lição tão amorosa.

Espalham aos 4 ventos um amor obscurecido, envenenado e arrogante. Ensinam aos mais chegados um amor que descarta o semelhante na primeira dificuldade, um amor que rejeita, humilha, desdenha, ignora… um amor cheio de mundanidade.

E depois de amarem assim tão erroneamente, ainda se ajoelham, e se acham no direito de espalhar a palavra de um Deus inquisidor de maneira totalmente desvinculada do amor.

Muitas vezes, os mesmos que frequentam os Templos suntuosos, às Igrejas majestosas, os centros edificantes, possuem pensamentos impregnados de preconceitos, desejam o mal ao seu semelhante, recriminam pessoas que não comungam dos mesmos pensamentos e certezas, apedrejam mentalmente o diferente, vociferam maldições, e se intitulam, alguns, terrivelmente fiéis.

“Não façais aos outros o que não quereis que os outros vos façam, mas fazei, pelo contrário, todo o bem que puderdes”.

O mal se instala e trabalha nessas pessoas “terrivelmente” fiéis também, mas que são na verdade, verdadeiramente infiéis. E cabe a nós, seres errantes, mas que procuramos nos unir, diariamente, a verdade do amor de Jesus, aos seus ensinamentos mais nobres, anular essa vibração nefasta, que assola guerras, não apenas entre nações, mais entre famílias, destruindo lares, criando intrigas, favorecendo atitudes mesquinhas, vaidosas, intolerantes, gananciosas, entre outras tantas derivadas do mal impregnado nos seus corações…

Me entristece ver, infelizmente, muitos pais ensinando seus filhos a amar errado… Vejo muitos lideres religiosos pregando um amor egoísta e imediatista também.

E eu rezo: Escutem, meus amigos, apenas, a palavra de Jesus.

Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos. Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo? E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim?”. (Mateus 05:43-47).

A VERDADE AS VEZES É DURA DE ENGOLIR, MAS DEVE SER MASTIGADA DEZENAS DE VEZES, TRITURADA, ENGOLIDA CONSCIENTEMENTE, E DIGERIDA COMPLETAMENTE.

“Amai ao vosso próximo como a vós mesmos”; disse Jesus, quem se recorda?

Ora, mas quem é o nosso próximo citado por Jesus? Será a família, a seita, a nação? Será que devemos amar nosso filho e odiar nossa nora? Amar nossa esposa e odiar nossa sogra? Não: devemos amar toda a humanidade!

Só o amor é capaz de nos salvar das atrocidades ignorantes dos homens.

E foi isso que o maior avatar do amor, Jesus Cristo, veio nos ensinar. E isso é tudo, e já me basta!

“Amai-vos”, e vereis, muito em breve, a Terra modificada tornar-se um novo Eliseu, em que as almas dos justos virão gozar o merecido repouso”. – SANSÃO

Se você ficou interessado em viajar com a gente, e gosta de caminhar bastante (mais de 10km por dia), está preparado fisicamente, e deseja encarar essa aventura de autoconhecimento e imersão na natureza, entre em contato por direct aqui no TRILHANDO NAS NUVENS.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, palestrante, produtora e editora de conteúdo do Resiliência Humana e do Seu Amigo Guru. Seu interior é intenso, sempre foi! Transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhores, para nós, e para o outro!