DIA 3 – DIA DA PROSPERIDADE – UMA VIVÊNCIA DE AUTOCONHECIMENTO PODERÁ MUDAR UMA VIDA INTEIRA.

Aprendi, depois de muito caminhar pelas montanhas de São Tomé das Letras/MG, que eu só conseguirei mudar aquilo que não gosto em mim, ou o que me impede de prosperar, e ser uma pessoa melhor, se eu aprender a colocar Todos os meus problemas nas mãos de Deus!

Ouvi baixinho enquanto me queixava em frente observando a minha imagem refletida em um lago: ” Mude a pessoa que você vê no espelho e verá o mundo a sua volta mudar!

Enquanto percorríamos morros acidentados, terrenos cheios de armadilhas, em meio a natureza exuberante, eu cantava baixinho, com um inglês precário, a música de Michel Jackson “Man In The Mirror”(Homem no Espelho), que me fez pensar em todos os dias que fui ingrata comigo mesma, e que duvidei das minhas capacidades e aptidões. Mesmo não compreendendo e nem recordando a letra inteira, eu sabia que o simbolismo daquela canção queria me dizer algo.

E senti no fundo do meu coração: “De hoje em diante, colocarei tudo nas mãos de Deus!”. Tudo o que me limita, todos os meus medos, as minhas inseguranças, tudo que eu acredito ainda não ser capaz, os momentos em que me sinto fraca, e todos os meus pensamentos negativos que acabam travando os acontecimentos felizes em minha vida.

“Mude a pessoa que está no espelho e o seu mundo vai mudar”.

Dentre tantas coisas que aprendi no DIA 3 – A PROSPERIDADE, dos 5 dias de vivencias e conexões que realizei com meu parceiro Tom, em São Tomé das Letras/MG, essa, foi a mais difícil. Sim, esse dia, foi o mais difícil pra mim!

Depois de caminhar por 8 horas seguidas, entre morros e vales, encarar subidas que pareciam impossíveis de se transpor, depois que me deparei com o medo, com a vulnerabilidade e com a arrogância dos meus pensamentos descrentes e limitantes, aprendi a colocar TUDO nas mãos de Deus, porque eu pude sentir Ele em mim, forte e vivo, e pude ouvir sua mensagem, como poucas vezes ouvi, e Ele falou bem aqui dentro do meu coração!

“Descobri como é bom chegar quando se tem paciência. E para se chegar, onde quer que seja, aprendi que não é preciso dominar a força, mas a razão. É preciso, antes de mais nada, querer. ” – Amyr Klink

No auge do meu cansaço, eu não conseguia entender o motivo de todo aquele o
desgaste, já que eu sou condicionada fisicamente para realizar esses trajetos, já realizamos vivencias assim há mais de 4 anos.

Já havíamos andado por umas 4 horas, mas nós já andamos bem mais do que isso em outras vivencias, e eu não tinha me cansado tanto quanto naquele dia. Esse cansaço era uma incógnita, que eu só consegui entender quando estava me aproximando da reta final.

O Tom (meu parceiro no TRILHANDO NAS NUVENS, e na vida) estava tranquilo, e eu, muitas vezes, pensei que não conseguiria mais caminhar, me sentei, e com toda a verdade do meu coração, encarei de frente as minhas fragilidades, deixando as lágrimas caírem.

Foto: VIAJANDO A PÉ

Tom olhou para mim e perguntou: Você está chorando?

E eu só olhei para ele e disse: “Vamos em frente”.

Nesse momento, me veio um pensamento amoroso:

“Ame as suas fragilidades para que você possa superá-las, sem amor, não há prosperidade que se sustente.”

Na cabeça dele, eu estava chorando porque estava cansada, ou com dores, mas na verdade, eu estava emocionada com a revelação que eu tinha recebido de Deus.

Achei que não deveria explicar tudo para ele naquele momento! Ele estava tão feliz, saltando entre as pedras, aliás, uma das coisas que ele mais gosta na vida, escolher as pedras certas para pisar, pedras essas, que sempre nos levam ao melhor caminho.

A prosperidade não chega para aqueles que se comparam demais com os outros, nem para aqueles que se cobram demais, ou que são cobrados demais por pessoas extremamente materialistas.

Sempre lutei para alcançar a tão sonhada prosperidade. Capricorniana, prática e ambiciosa, graças a minha fé, nunca deixei a ganancia tomar conta do meu coração. Mas vivia uma crença limitante de escassez porque sempre me comparei com os outros, com aqueles que possuíam mais e viviam aparentemente em “melhores” condições financeiras do que eu. Isso, desde a infância.

Através dos estudos que realizei durante a vida, pude entender que quanto mais eu reclamava da escassez em voz alta, mais escassez a vida me trazia. Reclamar com certeza nunca me ajudou.

Passei então a não mais proferir palavras e muito menos, pensamentos, que tivessem relação com a falta. E comecei a agradecer por tudo o que eu já tinha conquistado.

Enquanto caminhava com dificuldade, sem entender ainda o motivo de tanto peso em minhas pernas, eu sentia, a cada subida, que algo me puxava para baixo, e finalmente escutei uma voz vindo de dentro de mim que dizia:

“Vai deixando os seus pesos pelo caminho, que a vida te retribuíra”. Não carregue mais o peso do mundo, seja leve, não queira provar nada para ninguém! Ninguém se beneficiará dessa sua cobrança interna. Alinhe os seus pensamentos e o seu coração, na frequência de Jesus.”

Quando passei a agradecer até as dificuldades do caminho, as coisas foram melhorando, as oportunidades começaram a aparecer, seres de luz, encarnados na Terra, se apresentaram, e me senti imensamente grata.

Lembrei que quando fui montar a vivencia dos 5 dias intui que deveria fazer o dia da PROSPERIDADE logo após o dia do AMOR. Recebi uma forte intuição que me dizia: “não encontrarás prosperidade onde o amor não esteja”.

Vocês poderão dizer que existem pessoas abastadas, políticos corruptos cheios de dinheiro que não possuem amor, mas possuem muito dinheiro, e eu responderei: Sim, existem pessoas abastadas, mas a prosperidade verdadeira não se vincula apenas ao dinheiro(moeda), a prosperidade é um estado pleno de felicidade que nos permite assumir posições nobres onde a falta não existe.

Emocionalmente, quando somos prósperos, nos sentimos em paz.

Esse sentimento de paz, nos inunda de fé, e nos dá o poder de multiplicar os pães e os peixes, como Jesus fez!

SE VOCÊ NÃO LEU O DIA 1 E O DIA 2 DA VIVENCIA QUE FIZEMOS EM SÃO TOMÉ DAS LETRAS/MG, DEIXO OS LINKS AQUI EM BAIXO. LEIA ANTES DE SEGUIR A DIANTE, PARA ENTENDER TODO O PROCESSO DE CURA QUE FIZEMOS.

DIA 1 – AS DORES EMOCIONAIS: Primeiro cure as suas dores emocionais, depois, aprenda a amar de verdade

DIA 2 – O AMOR:O AMOR DE JESUS É O ÚNICO REMÉDIO CAPAZ DE CURAR AS DORES DA NOSSA ALMA

Nem sempre tive dinheiro para sai por aí esbanjando, e dou graças a Deus por nunca ter feito isso, e, não posso me queixar do que a vida me deu. Não posso mesmo, mas descobri neste dia de fortes revelações, que me queixo muito. E essa constatação, me fez chorar, sim, me emocionei, e muito, porque ouvi verdades que só Deus poderia saber, porque só Ele me conhece tão bem, e até melhor, do que eu mesma.

Por mais fé que eu acreditava ter, Ele me mostrou que não era o bastante, e que, inconscientemente, as vezes, eu duvidava de mim, e duvidar de mim, pelo que ele me fez entender, é duvidar DEle.

Esse dia foi o mais intenso e difícil para mim, como já disse, me sentia cansada e fraca, enquanto o Tom estava forte e cheio de energia. Perguntei para Deus o motivo pelo qual estava me sentindo tão frágil naquele dia e ele me disse:

“A prosperidade está correndo a sua frente e você não pode se dar o luxo de esmorecer. Corra atrás dela”.

Deus estava agindo no Tom, dando a ele uma energia descomunal para que eu alcançasse o entendimento de todos os pontos onde eu vinha errando, de forma nítida e precisa. E tudo se encaixava… Tudo mesmo! Até que escutei a frase:


Foto: Trilhando nas Nuvens

“Seis defeitos devem ser evitados por um homem que busca a prosperidade neste mundo: sono, lentidão, medo, raiva, preguiça, prolixidade.” – Hitopadesa

E naquele momento eram os defeitos que eu estava lutando para combater.

Quando enfim, eu entendi o processo de cura que eu estava sendo imposta, segui em frente com equilíbrio mental e físico, estabelecendo uma conexão de luz intensa para que eu não fosse direcionada e nem direcionasse o Tom para ensinamentos equivocados e manipuladores.

No ato, recebemos um livramento, pois, a ideia inicial em nosso roteiro era visitar uma tal de Fundação Harmonia, muito glamourosa e grandiosa em suas instalações, como todas as grandes construções de humanos que deixam sua vaidade e ganancia pelo poder e pela beleza, se sobreporem aos seus ensinamentos e obras.

Digo isso porque, como jornalista, vendo aquele império gigante, fiquei curiosa em conhecer o quase inacessível “mestre”, que fundou aquele espaço, e fui até lá, mesmo a revelia do Tom, para tentar entrevistá-lo.

Cheguei sem avisar, fui recepcionada por uma mulher com os olhos verdes, que me pareceu bondosa, expliquei o que estávamos fazendo e pedi para conhecer o mestre. Ela me contou, que, quando os voluntários decidem se dedicar integralmente ao mestre, devem doar todos os seus bens materiais para a Fundação, e a partir desse momento, vivem a prosperidade dentro daqueles muros, onde produzem tudo o que precisam e também possuem tudo o que necessitam.

Fiquei ainda mais curiosa em conhecer esse “mestre”, me apresentei como jornalista e pedi para que tentassem contactá-lo. Fui direcionada para uma pessoa, que como a gentil moça me explicou, hierarquicamente seria dominada como “monja”, para os leigos, mas que lá, não a chamam assim, só me disse nesses termos, para que eu pudesse entender que existia uma hierarquia.

Caminhei por lá e não senti que aquele lugar nos traria um entendimento verdadeiro nesse dia dedicado a prosperidade, pois no meu entender, um mestre deve ser acessível. Jesus, nunca se escondia de seus fieis. Então olhei para o Tom, ele que já estava louco para ir embora de lá, e decidimos: “A partir de hoje, só seguiremos as palavras de Jesus Cristo”.

Foi nesse momento que decidimos entregar tudo o que tínhamos nas mãos de Deus, e depois de todas as provas que obtivemos pelo caminho, acabei caindo de joelhos em agradecimento as revelações que tive, que com toda a certeza, foi o mais difícil de todos.

“Deus sussurra a nós na saúde e prosperidade, mas, sendo maus ouvintes, deixamos de ouvir a voz de Deus. Então, Ele gira o botão do amplificador por meio do sofrimento. Aí então, ouvimos o ribombar de Sua voz.” – C. S. Lewis

Tendemos a acreditar que o dinheiro é a resposta para todas as necessidades. Somos condicionados a pensar que ter recursos financeiros é a única maneira de integrar o reino de Deus. E esquecemos que quem proverá o que precisamos é Deus. E entendi que muitas das visões dos discípulos estavam erradas, que devemos agradecer aquilo que já possuímos, e definitivamente, deixar de nos queixar pelas coisas que ainda não conquistamos.

Entendi, com lágrimas nos olhos, que devemos colocar nas mãos de Deus, os recursos limitados que temos, e confiar no milagre da multiplicação. E mesmo quando temos recursos de sobra, muito pouco fazemos por aqueles que ainda nada possuem.

“Ao se encaminhar para um objetivo, sobretudo um grande e distante objetivo, as menores coisas se tornam fundamentais. Uma hora perdida é uma hora perdida, e quando não se tem um rumo definido é muito fácil perder horas, dias ou anos, sem que nos demos conta disso.” – Amyr Klink


Foto: VIAJANDO A PÉ

Depois de receber todas essas mensagens, seguímos por uma trilha de gado que terminou em um pasto com dezenas de bois, foi apenas mais um teste para mim, e eu falhei. Senti muito medo. Os bois me olhavam fixamente, e eu não consegui controlar o medo de ser atacada por eles, tropecei e cai. E não foi uma simples queda, cai de lado e bati minha perna com muita força em um tronco que me deixou um hematoma tão grande e dolorido que me fez constatar na hora o meu principal inimigo para alcançar a tão sonhada prosperidade: O medo.

O medo é o grande limitador da prosperidade. O que nos falta é compaixão. Por nós, e pelos outros.

Muitos de nós, como os discípulos, possuímos muito medo de tudo, achamos que aqueles que nada possuem deveriam, cada um, se virar com suas necessidades. Porque temos medo de dar o pouco que temos em ajuda a alguém que necessita mais do que nós, e em um momento de dificuldade, ficarmos desprovidos e necessitados. Somos como o apóstolo Filipe (vide a parábola da multiplicação dos peixes e dos pães), as vezes, acreditamos saber tudo de finanças, mas dizemos a nós e aos outros, que não sobra dinheiro para ajudar a ninguém.

Reagimos, muitas vezes, como o discípulo André (vide a parábola da multiplicação dos peixes e dos pães), até temos nossos meninos com 5 pães e dois peixinhos para justificar nossa escassez diante de Deus, mas continuamos dizendo que o que temos é muito pouco.

Foi ai que meus pensamentos continuaram a me aconselhar com amor:

“Falta-nos compaixão”. Que Deus tenha misericórdia de nós. Pois tem uma multidão faminta que precisa ser alimentada”.

Aprendi que devemos dar graças ao que temos, mesmo que ainda acreditemos, em nossa ignorância, que o que possuímos, é pouco.

Quando as pessoas me perguntam e acham até estranho as vivencias que fazemos, eu, muitas vezes, nada digo, mas hoje direi através dessa mensagem de Amyr Klink, e talvez, muitos passem a entender os motivos que nos levam a fazer as viagens e as vivencias a pé do TRILHANDO NAS NUVENS.

“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver.” – Amyr Klink

Nada no mundo mudará se não mudarmos a nós mesmos. Por tanto, mude a pessoa que você vê no espelho, e o mundo irá mudar magicamente a sua frente!

Agradeço mais uma vez a Clarisse do Hostel Clã das Fadas que nos recebeu e acreditou no nosso projeto! Gratidão Clarisse!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!