Não é fácil viver a vida contabilizando perdas e ganhos, eu mesma já escutei o fim do mundo batendo a minha porta inúmeras vezes, mas eu, teimosa que sou, não abri.

Nem espreitei pela fechadura para me certificar que o fim era real, não mesmo, nesse ponto me orgulho da fé que tenho em Deus , ela é maior do que qualquer acontecimento infeliz que possa querer invadir o meu lar interno. Mas eu sei que nem todos possuem a mesma fé, e alguns tufões podem assustar muito, e são capazes de fazer tremer os mais corajosos e os mais devotos!

Não abri, e não abro, porque mesmo por trás da porta, ele, “o fim do mundo”, me contava diversas mentiras, e tentava ser persuasivo como se pertencesse ao exército de “Satanás”. Mas de uma coisa eu sei: a minha teimosia sempre me serviu de alguma coisa.

Se alguém me perguntar qual o meu maior defeito ou a minha melhor qualidade, se for em uma entrevista de emprego vou falar que é o “perfeccionismo”… rs… brincadeiras à parte, e agora falando sério, direi que é a teimosia.

Sou teimosa a beça.

O mundo pode estar caindo sobre a minha cabeça, e os céticos dirão: “Contra fatos não existem argumentos”, que eu continuarei, teimosa que sou, acreditando que tudo está como deve estar, que tudo acontece com um propósito divino, mesmo as calamidades mais dolorosas.

Continuarei teimando que amanhã tudo estará bem, que o aprendizado sobre os fatos e como eles se deram serão consagrados e apurados, e que a tormenta não durará para sempre.

Sim, ela causa, causou e causará muitos estragos ainda, mas nada que não possa ser transformado dentro de nós de forma a vir nos beneficiar daqui um tempo!

Vejamos:

Se a causa da nossa dor que nos leva a pensar que essa é a pior de todas as dores, e que é para nós, o fim do mundo, for uma doença, poderemos escolher viver essa etapa da vida com alegria, ou com tristeza.

Geralmente quem escolhe a primeira oferta sai vitorioso, mesmo que não seja nessa vida, mas na “outra”, encontra a paz que tanto almejava.

Quem decide por lamentar e se abandonar, infelizmente, encontra o fim como desejava inconscientemente. O fim do mundo e dos mundos, já que o que acontece conosco é fruto do que sentimos e do que vibramos.

Se a causa da nossa queda é o fim de um relacionamento, a morte de um ente querido, a perda de um emprego, a escassez financeira, pouco importa na verdade, o que importa é como reagimos a isso tudo, como nos colocamos fortes ou fracos frente ao que nos acontece.

Ouço pessoas infelizes dizerem:
“Mais essa eu não aguentarei”, “Não posso aguentar tamanha humilhação”, “ A minha vida acabou”, “Não aguento mais viver assim”, “Por que me abandonou meus Deus? ”.

E eu penso: Não teria como Deus abandonar ninguém porque ele está no meio de nós, ou seja, dentro de nós. Quem o afasta, quem veste milhões de máscaras e se envolve em couraças impossíveis de serem transpostas, somos nós. E quanto mais cascas acumulamos, mais distante de Deus ficamos. Ele permanece lá, nós é que bloqueamos o contato. Esse é um ponto.

Outro ponto é que se aconteceu “mais” alguma coisa dolorosa, é porque as lições que deveriam ter sido aprendidas anteriormente, nos últimos infortúnios que já ficaram no passado, não foram aprendidas. E os erros que estavam sendo cometidos antes, pelo mesmo indivíduo, continuaram a prejudicá-lo e a quem convive com ele, ou até pioraram em intensidade.

O que eu quero dizer é que as situações ruins se repetirão até que a lição impregnada nelas seja aprendida.

Aprenda a lição e verá: Amanhã estará tudo bem!

O fim do mundo não existe, é apenas uma metáfora que denota transformação.

Sempre que algo finda, outra fase se inicia. Sempre que um dia acaba, outro começa. Mesmo que a vida acabe, outra vida nascerá… E assim por diante… Essa é uma das belezas da vida, uma, porque existem muitas.

Você pode estar hoje: cansado, raivoso, estressado, doente, incrédulo, arrogante, viciado, vitimizado, com medo, ansioso… E eu posso listar aqui uma infinidade de coisas que podem estar te incomodando… Mas uma coisa é fato: Você não está sozinho.

Milhões de pessoas estão sofrendo pelo mundo a fora, não é exclusividade sua.

Quando paramos de olhar para o nosso próprio umbigo, quando paramos de achar que o nosso problema é maior do que o do outro, os pesos diminuem, esfregamos os olhos e quando os abrimos novamente, conseguimos ver que o monstro não tinha 7 cabeças como achávamos, e que nem monstro era, era apenas um bichinho assustado que não confiava em Deus!

Só quando nos permitimos entender que a transformação se incia em nós, é que a cura dos nossos males e daquilo que nos aflige começa a dar o ar da graça!

Toda a moral de Jesus se resume na caridade e na humildade, isto é, nas duas virtudes contrárias ao egoísmo e ao orgulho.

“Fora da caridade não há salvação!”

Devemos, mesmo que humilhados, doentes, desgraçados, olhar para o outro que sofre tanto ou mais que nós, com compaixão, e agir no sentido de auxiliá-lo da maneira que acharmos possível.

Muitas vezes, dominados pela cólera, pela ira, pelo egoísmo e pelo orgulho, vaidosos, acabamos por maldizer e buscar nos vingar, com a desculpa que temos que nos proteger. Buscamos humilhar os que nos humilham, pagar na mesma moeda com que nos trataram, e essas atitudes que travamos só nos adoecem e nos fazem piores do aqueles que nos fizeram mal.

O contrário acontece quando ajudamos alguém! Uma força nos invade e nos sentimos bem imediatamente.

Nos sentimos vivos e cheios de energia porque fomos úteis. E enquanto pudermos ser uteis a alguém, devemos ser. Mesmo que esse alguém seja o motivo da nossa queda. Porque “a felicidade não é desse mundo”!

Podemos ser felizes aqui sim, mas para alcançar a verdadeira felicidade nesse mundo, a vida exige renuncias, exige que sejamos humildes e que nos libertemos das amarras da ganancia e do ódio. E de todo o exército de sentimentos ruins que vem com eles!

Saiba que mesmo quando o mundo estiver caindo sobre você, você será capaz de sacudir a poeira e tentar outra vez.

Mas força só te motivará, só conseguirá penetrar em você quando você parar de dizer NÃO! E quando você começar a dizer SIM!

SIMMMM! EU QUERO MUDAR! EU QUERO SER MELHOR! EU QUERO AMAR DE VERDADE! EU QUERO E VOU SER FELIZ INDEPENDENTEMENTE DO QUE ME ACONTECER! EU CONFIO! EU CREIO! E ENTREGO A MINHA VIDA NAS MÃOS DE DEUS!

Quando você repetir em alto e bom som para que você acredite e para que Deus, que está aí dentro, possa ouvir, quando você sentir que realmente quer que a situação se transforme e começar a agir nessa direção, as coisas realmente mudam, e os milagres acontecem.

Não repita que não possui mais forças, mas se esse for o caso, se é assim que você se sente, saia, e faça caridade!

Ou se sua condição de saúde ou mental não favorecem, faça o bem de onde você estiver!

Como?

Sendo um bom ouvinte, um bom conselheiro, orando por aqueles que sofrem e não apenas por você, vibrando positivamente, emitindo pensamentos positivos, sendo resiliente e resignado se posicionando frente as situações da vida de forma positiva.

Essas atitudes positivas e esperançosas farão com que você seja ungido e consagrado por Aquele que tudo vê e tudo sabe.

Quem sabe está te faltando uma certa teimosia?

Teime que tudo dará certo, mesmo que a maré esteja desfavorável, e verá a tempestade passar com a força de sua .

Eu creio! E tenho a convicção de que “Amanhã” tudo se ajeitará! Sabe por quê? Porque eu já senti o fim do mundo se aproximar diversas vezes, e no outro dia… Pasmem… Tudo ficou bem!

Acredite que tudo ficará bem! E tudo ficará! Acredite que todo o mal se abaterá sobre a Terra, e a Terra cairá sobre a sua cabeça! Escolha no que acreditar! Mas tenha a certeza de que a sua escolha não afetará apenas a você, mas aos que convivem com você!

Não escolha fazer tempestade em sua vida e na vida dos outros, pelo contrário, prefira dançar na chuva!

Algumas dores parecem ser o fim do mundo, mas a nossa felicidade dependerá, exclusivamente, da forma como as encaramos!

Frase título: @hramuche

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!