A gente vai caminhando, se superando, vencendo.

Vai ficando mais capaz, mais interessante pra si mesmo; mais livre e menos preso ao que querem de nós.

A gente vai ficando mais inteligente emocionalmente; vai criando novas oportunidades e condições para tocar o barco sem sentir a sensação de naufrágio na alma.

O tempo mostra, a vida ensina, o coração já bate diferente.

Ele já não se aperta tanto, para de dar tanto nó, para de se machucar à toa, para de lamentar o que já foi.

Parece que aprende com tudo que recebeu.

A gente vive numa escola e de acordo com as circunstâncias, a gente vai aprendendo a se virar a cair e levantar, a voltar por vezes com a sensação de que ainda dá pra recomeçar, mesmo com marcas internas.

A resiliência fala mais alto, o entendimento de que tudo é transitório se associa ao desejo de se reconstruir.

Sorte de quem coloca na mente a necessidade de viver! De colocar um sorriso no rosto e deixar pra lá o amargor da sensação de fracasso e vazio.

LEIA MAIS: A vida não é medida pelo número de vezes que você respirou, mas pelos momentos em que você perdeu o fôlego!

A gente tem que por vezes se recolher pra tentar se ouvir, e a gente só se ouve, quando se cala pro mundo exterior.

A nossa missão aqui é fazer parte dessa energia que nos envolve trabalhando em nome do bem e acreditando em cada tijolo de fé depositado em nossos sonhos.

A gente sabe que nem sempre é fácil, nem sempre tudo é maravilhoso.

Mas a vantagem que temos, é que Deus tem nos concedido tempo.

Não podemos desperdiçá-lo com raiva, com ódio, com indiferença ou julgamentos. Não podemos desperdiçá-lo da pior forma possível.

Somos melhores que isso.

Somos melhores quando não nos deixamos envolver em forças contrárias ao amor e a fraternidade divina.

Que toda oração de calma e fortalecimento gerem em nosso espirito paz pra seguir em frente.

Que toda nossa visão do agora nos ajude a compreender um pouco mais de nós mesmos e que possamos sentir a elevação e a maturidade que nos concede menos desconforto nos dias.

Somos vencedores. Nos ajustamos conforme o nosso merecimento…

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me â tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.