A cada novo dia a vida segue seu fluxo e nos surpreende! Brotando sorrisos, secando lágrimas, alimentando sonhos, curando mágoas, nos munindo de forças para desatar os nós que o apego e as expectativas nos causam, e acalmando as saudades do tempo que não volta mais, revelando quem fomos e em quem nos tornamos.

Ao abrir os olhos pela manhã, a gente renasce para uma nova oportunidade de ser feliz!

Avessa aos “mimimis”, a vida avança empoderada, e nos pede, ao recordar quem fomos, que passemos a celebrar quem somos!

Mas o que cada um de nós faz assim que os nossos olhos se abrem?

Costumamos celebrar quem somos? Ou ao abrir os olhos, o primeiro pensamento que surge e que, permitimos nos contagiar, é qualquer queixa que desrespeita a divina oportunidade de estar vivo?

Geralmente quem possui o costume de celebrar a vida logo ao abrir os olhos são pessoas que não alimentam reclamações, e nem gostam de ficar perto de quem se queixa demais.

Mas quem acorda e dá aquele suspiro destruidor de quem está de saco cheio da vida, recebe mais e mais suspiros da vida em resposta a sua ingratidão.

Cada vez que abrimos os olhos algo novo nos surpreende!

Se logo ao acordar voltarmos a nossa atenção ao nosso coração, e não dermos trela aos pensamentos derrotistas, levantaremos verdadeiramente despertos, atentos para o que há de bom em tudo que existe!

Quando cultivamos a esperança e a fé, logo nos primeiro minutos do dia, a vida nos presenteia com suas provas diárias de amor, com um aceno suave de Deus dentro de nós!

Esse despertar para o amor é singelo, mas surpreende até os mais dedicados na tarefa diária da gratidão, revelando nossas reais intenções frente a vida.

Se abrirmos os olhos e nos deixarmos levar pelas correntes das queixas e insatisfações internas, fruto de nossa ingratidão frente a vida, nosso dia passará devagar, se arrastando impiedoso, e acabaremos por escolher caminhos espinhosos que irão nos ferir e trarão mais tristezas.

O dia acabará como todos os outros, e de novo, nos sentiremos castigados, e muitos nem sabem por qual motivo a vida os castiga constantemente. No entanto, agora sabemos, não é mesmo?

Quando passamos a abrir os olhos gratos por estarmos vivos, na certeza de que Deus está vivo em nós, e que estamos protegidos, vislumbramos, logo cedo, o melhor cenário possível! Mesmo assim, muitas coisas podem sair do controle ao passar das horas, mas fortalecidos na fé em nós e no Todo, intuiremos as melhores soluções!

Nos orgulharemos ao final do dia da conexão que conquistamos com o amor de Deus! Nos deitaremos com a consciência tranquila em nossas camas macias, na certeza de que recebemos os melhores ensinamentos, em cada nova situação que tivemos o prazer de vivenciar.

Ao abrir os olhos, seja em qualquer momento do dia, se nos conectarmos com a criação, receberemos as bençãos divinas.

O problema é que por mais que tentemos ficar com os olhos bem abertos, as angustias e vicissitudes que nos tocam a alma, recorrentes das constantes escolhas erradas que fazemos, nos causam medo, e na falta de coragem de enfrentar a vida, instintivamente, fechamos os olhos para a beleza que existe nas provas que somos obrigados a enfrentar diariamente.

Fechamos os olhos para a beleza da vida, e somos dominados pela nossa mente amedrontada e traumatizada pelas dores que ainda sentimos, e esquecemos de olhar para o alto buscando inspirações em oração. E no caso dos ateus, muitos deles se esquecem que podem, mesmo sem acreditar nesse Deus descrito pelas religiões, se conectarem com a própria força e natureza interior!

Esse viver de olhos fechados é o reflexo do medo que alimentamos em nós, e por causa dele, nos fechamos para tudo, na tentativa de nos proteger de algo que não temos o menor controle.

Cerrando os olhos aos ensinamentos propostos para o dia, nos endurecemos para o amor e mais problemas criamos.

Cegos, seguimos trombando com a vida, aos trancos e barrancos, sem eira nem beira!

Muitos tendem a se vitimizar nesse processo diário de não aceitação, e dizem para si e para os outros que, mesmo com os olhos bem abertos não conseguem evitar a dor que os assolam. O fato é que eles vivem a fingir e a vida não aceita fingimento.

Inconscientes e invigilantes com os próprios pensamentos que chegam desordenadamente e sem permissão, se jogam na vala da ingratidão e da reclamação cruciante.

Jogados nessa vala do inconsciente, nada mais os surpreende, mesmo que julguem estar com os olhos abertos, se tornam surdos ao que diz o coração, que é de onde surgem as melhores soluções para os problemas que precisam da nossa resolução imediata.

Sem condições internas para resolver essas questões, vamos acumulando erros mais do que acertos nas provas impostas pela vida, e no final do dia nos sentimos abaixo da média, frustrados com o nosso próprio desempenho.

O erro de muitos é não se responsabilizar, nem admitir, que o mal desempenho foi resultado da falta de estudo e disciplina, ao não terem se aplicado com afinco durante as aulas da vida.

Quando não nos interessamos em entender as lições que a vida nos passa, simplesmente não as assimilamos, e consequentemente não as aprendemos!

Nos dias calmos, enquanto o “professor” nos ensinava as novas lições, alguns dormiam o sono da ociosidade, outros continuavam mergulhados em seus universos paralelos e nem se atentavam as fórmulas prontas dispostas na lousa da vida!

Quando, sem aviso prévio, chega o dia da prova “surpresa”, os desatentos ficam desorientados, e recebem a nota que mais temiam, aquela que merecem os despreparados.

A cada dia que nasce, ao abrirmos os olhos e o coração para a maravilha da natureza, para aquilo tudo que nem os cientistas conseguem explicar, a vida nos surpreende!

Se, de olhos bem abertos e coração voltado para o Alto, agradecermos a mágica da vida, conscientes das provas que serão aplicadas, nos fortalecendo constantemente em pensamentos elevados, nunca seremos completamente surpreendidos por elas, pois aproveitamos os dias, e ao longo do tempo, nos mantemos atentos as lições, e as aprendemos de fato.

Munidos do conhecimento que a vida nos fornece diariamente, seguimos em frente alegremente, secando as lágrimas, deixando brotar os sorrisos, curando as mágoas, anulando as expectativas, e nos desvencilhando do apego!

Essa fórmula se aplica a todas as pessoas, sem distinção.

Nesse contexto, não importa se você acredita em Deus, se você segue essa ou aquela religião, se você é ateu e crê que tudo acaba assim que a morte nos surpreende, realmente não importa!

Conhecemos muitos cristãos que são extremamente empáticos e caridosos, outros que mantém os olhos cerrados e possuem corações empedrados, enquanto o mesmo acontece com os ateus, muitos são bondosos e caridosos, outros nem tanto. Não é a religião que transforma os corações das pessoas, é a consciência e a autoresponsabilidade!

Definitivamente não há uma imposição de crenças nesse método do bem viver.

Quando falo em Deus, falo no que há de melhor em nós, o que há de mais surpreendente dentro de você! E é esse MELHOR, que você, eu, os religiosos, os ateus, e todas as pessoas devem cultivar TODOS OS DIAS!

Cultive o melhor que existe em você assim que abrir os olhos, a cada novo amanhecer!

E se por ventura sentir que a alegria não brota sozinha e você se encontra na vala da ingratidão, procure ajuda! Não fique nem mais um dia nesse buraco existencial que te impede de enxergar a beleza das lições da vida!

O tempo não volta, e a saudade do que não retornará pode ser reconfortante se formos gratos por ter tido o prazer de viver tudo o que vivemos, ou então., podemos nos deixar levar pela teimosia de querer lutar contra a corrente da vida, reclamando dia após dia, tentando a todo custo desviar o rio, nos sabotando, e nos impedindo de desembocar em um mar de possibilidades!

Aprenda a fluir com a vida, no desnudar das horas! A vibrar nas altas ondas etéricas, e se desvencilhe das vendas que te cerram os olhos, e que te levam a crer que é uma vítima das circunstancias!

Ninguém é vítima! Somos todos aprendizes e fazemos parte de um Todo!

Ninguém é melhor ou pior, apenas somos!

Vivamos simples e tão somente, e desfrutemos da melhor maneira, sendo o melhor que pudermos!

Até as mais dolorosas perdas são ensinamentos fabulosos, mas é preciso ter olhos para ver, ouvidos para ouvir, como bem disse Jesus.

Lembrete: Você não precisa ser cristão para admirar as pregações de Jesus, ele mesmo não era um religioso, lutava contra as autarquias das instituições religiosas da época.

É muita hipocrisia limitar Jesus a uma religião ou outra, ou simplesmente deixar seus ensinamentos a mercê daqueles que se dizem mais próximos Dele porque estudam fervorosamente a Bíblia. Essa forma de pensar soa a prepotência, arrogância, vaidade, ou coisa que o valha.

Mais importante do que conhecer todas as letras que compõe esse livro sagrado escrito pelos homens, é saber interpretá-lo corretamente e colocá-lo em prática no dia a dia, e são casos raros que conseguem, convenhamos.

Faça a sua parte e não julgue, nem a você e nem aos outros, apenas utilize o escudo do perdão, abra os olhos, vigie suas atitudes, foque em você e no que você pode melhorar. Aprenda a ter disciplina e analise quais questões devem ser estudadas a fundo para que cessem os sofrimentos que te oprimem.

Pare de depositar a culpa nos outros, e reconheça sua porção de responsabilidade frente aos desafios que a vida envia.

Não fique chorando o leite derramado! Ao cessar as lamúrias, a vida te surpreende com os mais belos acontecimentos!

A cada vez que abrimos os olhos a vida nos surpreende! Permita-se maravilhar com as suas lições diárias, ao invés de se queixar!
Levante! Abra um sorriso, tome um banho revigorante, ore, cante, se deixe encantar!

Quando a vida perde o encanto, dificilmente a culpa foi do que nos aconteceu, certamente foi a forma como encaramos o que nos aconteceu que nos levou ao desencanto e a lamúria sem fim.

Abra-se corajosamente para o novo dia, e ressignifique os acontecimentos que te causaram dor!

Abra os olhos para as lições que jorram desses fatos porque a vida segue surpreendente e surpreendendo, de maneiras positivas para quem vive com o coração aberto, e dolorosas para quem insiste em se fechar para ela!

Se abra para a vida com coragem!

A cada novo dia, uma nova oportunidade se abre! Quando descortinamos a alma das sombras e a iluminamos com amor tudo flui sem amarras!

Se empenhe e não mais se queixe, a vida se incumbirá de te recompensar se você se dedicar amorosamente a ela!

A vida surpreende! Se prepare sendo a sua melhor versão e se abrindo para o que de melhor poderá acontecer nesse dia, assim que acordar, imagine o melhor dos mundos, e sinta aquilo acontecendo de fato!

Persista nesse hábito matinal e sentirá, aos poucos, todas as áreas da sua vida muito mais leve e feliz!

Tente!

Leia mais: Ninguém vai invejar seus sacrifícios e sofrimentos. Mas certamente invejarão a sua colheita!

VOCÊ SABIA QUE O SEU AMIGO GURU TAMBÉM ESTÁ NO FACEBOOK E NO INSTAGRAM?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS TORNARÃO A SUA VIDA MUITO MAIS LEVE E FELIZ!

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, palestrante, produtora e editora de conteúdo do Resiliência Humana e do Seu Amigo Guru. Seu interior é intenso, sempre foi! Transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhores, para nós, e para o outro!