Fé não é privilegio de pessoas religiosas, aliás, posso afirmar que existem milhares de pessoas extremamente religiosas que nunca chegaram a sentir a verdadeira fé. Explicarei.

Fé é um atributo do espírito, é o vórtice seguro onde habita a serenidade e a aceitação diante dos processos evolutivos da jornada da vida.

A vida é impermanente. Nada permanece por muito tempo do mesmo jeito. Ela exige movimento, por isso, a maioria das pessoas que paralisam por medo, ou por insegurança, sentem que a vida está passando rápido demais, e que elas não estão conseguindo acompanhar.

E é verdadeiro esse sentimento, quem muito se preocupa, quem está a todo momento temendo o que pode vir a acontecer, ou quem se apega demais às queixas e lamentações e faz da interpretação que dá aos fatos uma realidade, acabam ficando presos nas próprias armadilhas mentais que criam.

Já ouviu dizer que acaso não existe? Pois bem, se acaso não existe, tudo acontece por algum motivo, e se existe motivo, devemos aprender a lição que chega junto com o pacote. Não acham?

Quanto mais a gente se preocupa com algo, mais aquilo cresce, já notaram?

É, a neurociência explica muito bem essa questão, onde está o nosso foco, está o nosso amor, e o amor é a base de tudo. POr mais que muitos digam que não existe amor na preocupação, quando eu vejo pessoas extremamente preocupadas, eu penso: “Quanto amor a procura de si mesmo!”. “Quanto amor desperdiçado”.

É preciso cultivar a fé verdadeira dentro de nós, e desvincular a fé dessa necessidade religiosa.

Fé não é orar para Deus. Fé é confiar em algo muito maior do que a ideia que nós humanos fazemos de Deus.

Fé é se armar de amor, de esperança, de caridade, de compaixão. Fé é acreditar na bondade dos corações humanos, mesmo quando os fatos dizem o contrário.

Fé é aceitar que a humanidade precisa passar por determinadas situações para dar um salto de evolução. E aceitar estar no meio, sofrer junto, para que o todo sobreviva e avance!

Fé é deixar ir, é aceitar o outro como é, é parar de criticar, de querer tudo do seu jeito, de desmerecer os outros e se achar melhor do que todo mundo.

Fé não é melhor em um lugar e pior em outro, não existirá uma religião capaz de ensinar como acessar esse poder que existe dentro de nós. Porque fé não se sente orando, não se sente indo a Igreja, não se sente doando dízimos, fé é artigo gratuito, é conexão expandida, é o elixir do nosso interior. E só tem fé quem persevera nesse mergulhar no mar das próprias emoções.

Só tem fé quem para de brigar com a realidade, quem para de reclamar das coisas e pessoas como são, quem sabe amar de verdade, sem exigências, sem recriminação ou preconceitos. Quem entende que por trás de todo acontecimento da vida existe uma lição a ser aprendida. Quem sabe que tudo passa!

O resto não tem fé não.

Podem bater o pé, me ofender, brigar comigo, eu já não ligo mais para isso.

Podem dizer: “Quem você pensa que é para falar de fé?”, também não me ofendo.

Podem dizer que frequentam a missa, o culto, o centro, a mesquita, o que for, se em suas atitudes e ações eu perceber que essas pessoas não sabem amar, eu me afasto e me defendo como posso.

Mas como eu aprendi a identificar quem não sabe amar ou não tem fé?

Se ficarem prostrados esperando milagres caírem do céu, se os seus comportamentos são egoístas, mesquinhos, e controladores, se não dedicam suas vidas a um propósito maior, se não se colocam em movimento, se não desejam o bem dos outros e só fazem coisas para o seu próprio bem… Se fazem fofocas, maldizem as pessoas que não comungam as suas ideias, se ficam por aí pedindo piedade e se arrastando com dores em todos os lugares… Se criam doenças em si mesmos apenas para chamarem a atenção dos parentes… Se só pensam em dinheiro, poder e ostentação e a materialidade mundana tomou conta de seus corações, se as “aparências”, ou seja, “o que os outros vão dizer” fazem parte do baú infinito de preocupações que carregam para todo lado, tenho que dizer o óbvio: Essas pessoas não sabem amar, e sobretudo, não sentem vibrando em seu interior a fé que descrevo aqui.

Mas como cultivar a fé em tempos de crise?

Soltando as preocupações e aceitando que tudo passa.

Parece fácil, e é. Apenas aceite!

Aceitar não é abrir mão de agir. Aceitar é agir diante da realidade que se apresenta, sem a intenção de controlá-la, mas sim de compreende-la, para que você possa colaborar no avanço e na evolução de todo sistema.

Quando você briga com a realidade você só cria mais confusão e se torna parte do problema.

Queira se unir àquelas pessoas de fé que escolhem ser parte da solução. Que aceitam as situações, mesmo indignadas. E conseguem extrair delas valiosas lições.

Fé é a capacidade humana de acolher as lições da vida com o coração aberto e a alma atenta.

Acolha tudo o que acontece com amor e não se preocupe.

Quando a alma está despreocupada, mas no entanto, se encontra atenta, as sincronicidades, que muitos chamam de acaso, começam a acontecer, e as respostas que tanto esperávamos chegam do nada, quando menos esperávamos.

Sabe por quê? Porque causamos uma confusão mental com tantas dúvidas e reclamações e o universo não consegue agir enquanto você não para de resmungar.

A maioria dos problemas da vida das pessoas se resumem em querer controlar tudo a qualquer preço. Da forma como acreditam que será o melhor.

Entenda:

Você não sabe o que é melhor para você.

Muitos não sabem nem o que gostam de fazer, no que querem trabalhar ou onde se sentirão felizes trabalhando, outros vivem escolhendo parceiros errados, não conseguem nem sequer administrar a casa e as finanças, por que “cargas d’água” vão achar que sabem o que é melhor para si mesmos, ou para um filho, ou para quem quer que seja?

Quando ouvimos a frase célebre:

“Devemos confiar em Deus. Ele sabe o que faz”!

Eu entendo:

“Devemos parar de atrapalhar o movimento do universo com o nosso vício por controle”!

Somos parte integrante da natureza, não somos quem a criou, fomos criados por ela. Nada mais justo que a honrar e respeitar em seus momentos de amor, e em seus momentos de fúria.

Quando, enfim, paramos de tentar controlar o incontrolável, Deus, o universo, a energia suprema (chamem como quiser), surge opulente nos detalhes mais lindos da vida e nos mostra a sua beleza.

Nesse momento, conseguimos acessar a fé verdadeira, que é bem mais que um mero sentimento, é a convicção de que só junto ao amor verdadeiro é possível sintonizar a frequência que nos traz a alegria de viver.

Viva a vida! E pare de se preocupar com tudo.

Quando você se preocupa demais você vira uma pessoa extremamente rígida e chata, e todos se afastam de você. Ainda não percebeu isso não?

Tá na hora de perceber.

*Foto de Pablo Rebolledo no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA e SEU AMIGO GURU. Neurocoaching e Mestr em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram.