Pessoas se unem e arrecadam US $ 1,6 milhão para homem inocente que ficou preso por mais de 40 anos.

Um homem inocente que cumpriu 43 anos de prisão por um triplo homicídio que não cometeu, foi finalmente libertado de uma penitenciária do Missouri.

A lei do Missouri afirma que apenas as evidências de DNA podem fazer com que alguém indevidamente preso receba US $ 50 por dia de confinamento pós-condenação. Kevin Strickland não foi libertado dessa forma, por isso, não receberá indenização do estado. Por tamanha injustiça, o estado deveria ter que sustentá-lo para o resto dos dias, mas não é isso que vai acontecer, pelo que parece. Então, para ajudá-lo em seu caminho, uma campanha GoFundMe foi lançada – e já arrecadou $ 1,65 milhão que serão doados a ele.

A história

Strickland foi enviado para a prisão em 1979, mas manteve sua palavra alegando inocência por quatro décadas. Ele foi acusado pelo assassinato de três pessoas, e uma testemunha ocular, Cynthia Douglas, foi pressionada pela polícia para rapontar Strickland como culpado, depois que ele foi preso por um policial que o achou parecido com o retrato falado.

Ele disse que estava assistindo à televisão na época, e nenhuma evidência física o ligou à cena do crime.

A Sra. Douglas mais tarde abordaria o Missouri Innocents Project com o desejo de retratar seu testemunho, mas morreu antes que pudesse. Seus filhos declararam que era sua vontade ver Strickland ser libertado, o que levou a um reexame de seu caso, levando à sua libertação.

Entre os contribuidores da arrecadação de fundos havia mensagens de apoio comoventes.

Douglas Newel doou US $ 25, dizendo: “Perceber quantas pessoas contribuíram para esta causa e ler algumas das mensagens fez meu coração se sentir pelo menos um pouco melhor. Espero que aconteça o mesmo com Kevin. ”

“Olhe para frente”, escreveu William Elliot ao lado de sua doação de $ 100. “Não se permita ser um prisioneiro do passado. Você agora está no comando de sua vida. Viva com ousadia!”

‘Blackstone’s Ratio’, escrito em 1760, diz que “a lei sustenta que é melhor que dez pessoas culpadas escapem do que um inocente sofra”.

O fundador dos Estados Unidos, Benjamin Franklin, levou esse princípio mais longe, transformando 10 em 100 – e, com esse espírito, a arrecadação de fundos viu 29.000 pessoas intervirem para fazer sua parte, na esperança de compensar as falhas em sua sociedade.

Por mais bonito e louvável que seja o ato dessas pessoas, elas não deveriam ter que pagar pelo erro do Estado, elas já pagam impostos suficientes, mas certamente, ninguém gostaria de ver essa injustiça ser perpetuada agora, com ele, finalmente, do lado de fora das grades.

Os culpados pela prisão desse homem, certamente, serão punidos, talvez não pela justiça dos homens, como podemos perceber, mas certamente, não sairão ilesos.

*DA REDAÇÃO SAG.

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!