A depressão tem fome e se alimenta de emoções! Ela não precisa do seu endereço, simplesmente chega, derrubando tudo, assaltando a sua “geladeira” interna e se instala na casa de quem acumula o seu alimento preferido: emoções desajustadas.

Ao dizer que seu coração e seu pensamento estão com seu marido, a cantora Luíza Sonza me fez pensar que é exatamente isso que devemos fazer quando a depressão nos tomar de assalto, devemos nos voltar em pensamento e coração para dentro do problema, ou seja, para dentro de nós, e mergulhar nas ranhuras do tempo, pra depois renascer renovado, ressignificando as memórias com gratidão!

Aprendendo com os erros, limpando a poeira interna que não era visitada a tempos… e principalmente, aceitando e entendendo que as coisas são como são, e nem sempre sairão como esperamos, mas que devemos e podemos aprender a viver o presente sem criar tantas expectativas, e sem impor tantas regras e normativas… A vida finalmente volta a se colorir com a beleza que sempre existiu, mas não se conseguia ver. Depois desse “intensivão” interno, a vida prova que é possível viver de forma mais leve e relaxada. Pois quando negligenciamos a nossas emoções, acabamos bombardeados por elas.

E como bem diz um proverbio chinês ” A tensão é aquilo que você quer ser, o relaxamento é aquilo que você é”.

É estranho pensar que um humorista, que faz as pessoas rirem o tempo todo, tem um canal no Youtube de sucesso, e vive criando cenas e situações para levar alegria a todos, possa passar por momentos de angustia e tristeza.

Mas o fato é que, o sucesso também mexe estranhamente com as emoções das pessoas e eles, são pessoas, como nós, que fazem graça para que possam enxergar graça na vida.

Sempre que aparece um famoso, que aparentemente, não teria motivos para estar depressivo, confirmamos a máxima que “atrás de um sorriso, muitas coisas sombrias podem estar escondidas”.

O sorriso pode ser a máscara que esconde as mazelas internas.

Recentemente, o humorista Whindersson Nunes anunciou que estava com sintomas de depressão e que precisava se cuidar, a notícia caiu como uma bomba nos sites de fofoca, e o youtuber não esperava tanta comoção com o fato.

Acontece, que a depressão não escolhe profissão, classe social, ou idade, ela ataca sem dó nem piedade aqueles que ainda não aprenderam a lidar ou não querem dar a devida atenção às próprias emoções.

A depressão não chega de maneira inesperada. Aqueles que são acometidos por ela, já estão recebendo sinais e sendo avisados de que as suas emoções estão fervilhando, mas geralmente, não dão devida atenção a elas.

Quanto mais frequente é a dor que invade, mais compromissos a pessoa afetada arruma. Na lógica dela que não quer lidar com seus problemas emocionais, uma “cabeça vazia é a oficina do d”, por conta disso, dessas crenças limitantes que carrega, ela se enche de trabalho e com orgulho diz: “Eu não tenho tempo mais para nada”. Como se não ter tempo para nada e ter a agenda cheia de compromissos fosse sinônimo de sucesso e realização!

Esse “não tenho tempo” é mais uma desculpa para não curar as feridas emocionais que se instalaram ao longo da vida. Essas feridas abertas, estão tão expostas que a cada negligencia, ela vai se infectando com vários tipos de “vírus” (problemas de todas as naturezas) que estão aí, no ar, a espera de encontrar um corpo com “baixa imunidade”(pessoa que não possui força interior suficiente para lidar com os problemas do dia a dia) para se instalar e arrebentar com tudo dentro dele.

Metáforas a parte, é certo que a pessoa que cai em depressão, se sente fraca frente a dor que a invade. E não encontra forças para lutar contra a tristeza.

E por que não encontra?

Porque ela esteve fora de si por muitos anos, se abandonou emocionalmente, se desconectou do verdadeiro sentido da vida, se doou em projetos e histórias que não condiziam com o seu real propósito. Tudo isso, somado aos traumas de infância, as perdas, e frustrações, ao desamor e a amargura, aliados a mágoa e a falta de perdão, levam a pessoa a mergulhar em um mar escuro, revolto, com correnteza forte, que pode afogar qualquer um.

A depressão tem cura?

Sim!

A cura para a depressão está dentro de cada um, não adianta apenas parar e descansar, diminuir o ritmo de trabalho, não basta apenas desacelerar. É preciso ir mais fundo, mergulhar nas questões intimas, com ajuda de profissionais, realizar vivencias que ensinem a acessar as emoções e a lidar com elas. Aprender a lidar com as emoções, e a percebe-las para que se possa acionar mecanismos internos de proteção, é de fundamental importância para que se estabeleça uma cura efetiva.

É preciso acessar os traumas e ressignificá-los! E para isso, é preciso coragem.

Depois de muito estudar o assunto, acredito ser imprescindível, para uma pessoa com depressão, buscar participar de vivencias de autoconhecimento.

Nunes tem muita sorte de ter uma esposa tão carinhosa como a cantora Luísa Sonza. Ela veio a público dizer que deu uma pausa na carreira, e decidiu ficar mais tempo em casa com o marido até que ele se recupere totalmente. Para o colunista Léo Dias, ela disse:

“Já vinha notando há algum tempo que ele estava trabalhando demais e já tinha falado para que desse uma diminuída, mas a agenda estava marcada há muito tempo e muita coisa não poderia desmarcar. Eu avisava que estava muito pesado, e é normal o corpo sentir os efeitos a longo prazo”, disse a cantora, que garante: “Agora ele já está bem, graças a Deus, se cuidando, e estou dando todo o suporte”, disse a cantora.

É certo que quando a depressão chega agressivamente, não outra alternativa a não ser parar tudo e olhar para dentro. E é isso que geralmente as pessoas fazem, uns com mais comprometimento, em busca da cura integral, e outros, de maneira mais paliativa, com remédios que amenizam os sintomas, permitindo a volta a rotina de trabalho, mas que não conseguem curar o problema de forma definitiva.

Sonza explicou que não desmarcou os compromissos para ficar com o marido, mas deu um breque na agenda:

“Quis ter mais tempo para ficar com meu marido, cuidando dele e oferecendo todo o apoio necessário. Dentro de casa não mudei nada, mas diminui a rotina. Ofereço meu amor, carinho, escuto ele. Era o mínimo que poderia fazer nesse momento. Meu pensamento e coração estão com o meu marido”, ressaltou.

LEIA TAMBÉM: Quando vivemos sem esperar nada de ninguém somos mais felizes!

Casados desde fevereiro de 2018, o casal já experimentou muitos momentos felizes, e o amor é assim, meio complicado, meio maravilhoso, ele nos mostra quem realmente está do nosso lado, na alegria ou na tristeza, e Sonza está mostrando que Nunes, pode mesmo contar com ela!

Ter alguém que se pode contar durante uma crise de depressão é de fundamental importância, mas esse alguém não pode ser usado como uma muleta, ou como a única gota de felicidade em sua vida.

A felicidade deve ser conquistada diariamente, e vivenciada nas pequenas coisas. A tristeza só nos abandona no momento em que estamos prontos para abandoná-la primeiro. E para estarmos prontos, precisamos nos fortalecer internamente.

Nós seguramos a tristeza e nos apegamos a ela quando não estamos dispostos a nos reformar intimamente. Porque mudar os padrões de pensamento, os hábitos degradantes e a vibração que emitimos, exige muita dedicação e esforço. E muitos que estão agora sofrendo com depressão, não possuem força suficiente para encarar as verdades escondidas dentro de si mesmo.

A teimosia que antecede a mudança de comportamentos e de sentimentos, é a grande desencadeadora de depressão em muitos e muitos casos.

A fé, é a grande motivadora e impulsionadora para muitos que não conseguem enxergar uma luz no fim do túnel.

Independente da religião que a pessoa depressiva escolha, ou se ela apenas acredita em Deus, a fé e a meditação realizam maravilhas na vida de qualquer um e fazem a pessoa viajar para onde se é possível encontrar o único remédio capaz de estabelecer a verdadeira cura: Para dentro de nós!

Faça essa viagem interna, se priorize, se ame, se dê a oportunidade de viver feliz, sem as limitações emocionais que te brecam! Busque atividades que façam você se sentir bem, que desencadeiem emoções positivas! Mude sua forma negativa de pensar, se desvencilhe do medo, da angustia e da preocupação! Confie, entregue e aceite ser feliz! O autoconhecimento é um santo remédio!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!