Você realmente quer fazer as coisas de uma maneira diferente esse ano? Então entenda: A verdadeira mudança que a sua vida precisa ninguém poderá fazer por você!

Esse ano já começou provocativo. E a cada novo ano, muitos buscam aconselhamentos para tentar mudar alguns padrões que se repetem em suas vidas, a maioria quer fazer diferente, mas não sabem como, e acabam sendo sugados por uma indústria da autoajuda, por vezes, não tão confiável!

A indústria da autoajuda é uma ponte para o autoconhecimento, mas não a transforme em uma “muleta” em sua vida!

O problema começa quando as pessoas dizem: “esse ano eu quero fazer as coisas de uma forma diferente!, mas elas não sabem como e passam a acreditar cegamente em qualquer conselho vindo de fontes e profissionais aproveitadores, que visam mais o lucro do que o bem daqueles que se encontram em desespero.

Grande parte das pessoas se encontram em um momento de confusão interna e enfrentam dificuldades para colocar em prática as mudanças necessárias em suas vidas, e sabem que só após uma mudança significativa será possível conquistar os seus desejos de ano novo.

Elas dizem: “Esse ano vou mudar de emprego!”, “Esse ano vou mudar meu comportamento diante da vida”, “Esse ano vou fazer isso, “esse ano vou fazer aquilo”, mas não fazem efetivamente nada.

E sabe por quê não fazem nada? Porque não é nada fácil mudar, não é mesmo?

Cada pessoa é um universo particular, e, portanto, umas terão mais dificuldade e outras mais facilidade para incutir novas iniciativas em suas vidas, mas é fato que existem fortes limitações que nos impedem de, efetivamente, mudar nossos padrões de comportamento.

Alguns se limitam por conta dos seus vícios fisiológicos, mentais, emocionais e até espirituais, que por vezes, os deixam perdidos e imobilizados, com medo do futuro e insatisfeitos com o presente.

Esse cenário de insatisfação faz com que muitos busquem na “autoajuda” um conforto e uma motivação para que possam seguir em frente com os seus planos futuros.

Sem dúvida alguma existem excelentes profissionais nesse segmento, mas é preciso alertar a todos que, como em qualquer área de atuação profissional, na indústria da “autoajuda” também existem pessoas gananciosas que agem com má fé, apenas para se aproveitarem da fragilidade alheia.

Mas o fato é que nunca em toda a história da humanidade a “autoajuda” foi tão consumida como agora.

O alto nível de estresse e pressão psicológica que o mundo contemporâneo nos impõe gera um mal-estar generalizado que desencadeou essa forte procura por “ajuda” pois muitos estão sofrendo por não conseguirem dar o primeiro passo em direção as suas metas e sonhos.

Cuidado com os conselhos. Eles podem ser dados por pessoas que sabem as respostas prontas, mas não entendem a profundidade da pergunta.

Por essas e por outras razões, é preciso que tenhamos muita atenção e cuidado na hora de escolher um “guru” para a nossa vida!

Para quem se encontra perdido, sem saber como agir é extremamente difícil se tornar o seu próprio guru, mas não é impossível. Uma dose extra de persistência e dedicação podem ser determinantes para que possamos encontrar o nosso equilíbrio interno.

Ideal seria se conseguíssemos ser o “guru” de nós mesmos, se priorizássemos a autoanálise para nos reinventar de dentro para fora!

Para fazer as coisas de uma maneira diferente esse ano, precisamos realizar algumas tarefas diárias:

1- Combata a desmotivação

A era da internet veio para trazer facilidades, mas nos deixou um tanto quanto preguiçosos. A maioria das “coisas” que precisamos está ao alcance de um clique, e essa possibilidade infinita acabou causando uma confusão mental em muitas pessoas.

A enorme disponibilidade de profissionais e a infinidade de meios possíveis para se alcançar um fim acaba por limitar o nosso poder de escolha, e quando não conseguimos definir quais são as nossas reais necessidades, quando não conseguimos escolher qual caminho seguir, qual produto comprar, qual profissional escolher, é um sinal de que estamos sofrendo com a desmotivação.

Para combater a desmotivação é preciso que façamos algumas práticas diárias. E o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra, por isso, é tão particular esse processo.

Para se motivar você terá que escolher fazer aquilo que você mais gosta logo nas primeiras horas do dia! Mas para alguns, a desmotivação é tão impactante em suas vidas, que eles nem sabem mais do que gostam de fato. Nesse caso será necessária uma ajuda profissional, de um psicólogo ou psicanalista credenciado.

Se você se identificou: Antes de se entregar ingenuamente a qualquer profissional, busque sempre referencias e analise os resultados do trabalho desenvolvido por ele, através de depoimentos de outros pacientes.

2- Estabeleça metas de curto, médio e longo prazo

Para resolver toda essa ociosidade atemporal devemos criar o que muitos chamam de “sonho” mas que eu, pessoalmente, chamo de metas. Os sonhos são ilusões do inconsciente durante o sono e eu refiro-me a algo concreto.

As nossas metas pessoais são o nosso foco, e passam a ser o nosso propósito de vida, e para que possamos alcança-las precisamos ser mais fortes do que a nossa preguiça.

Neste novo ano proponha-se uma meta: a transformação.

Na natureza nada se perde tudo se transforma. Mas nós humanos se não nos transformarmos, nos perdemos.

3- Promova a transformação e abrace a evolução

Nenhum ser inerte evolui, é preciso movimento para que a transformação ocorra, e assumir uma postura ativa diante da vida é, definitivamente, indispensável para que a natureza possa seguir seu curso! É preciso que aceitemos que a mudança também faz parte vida.

Mesmo que estejamos parcialmente satisfeitos, sempre há algo para melhorar.

A evolução é uma constante e deve constar em todos os aspectos na vida. Melhorar, evoluir, aperfeiçoar, reinventar deve ser o norte para uma vida que faça sentido.

4- Conheça a si mesmo

Necessariamente para conseguirmos nos reinventar, criar uma melhor versão de nós mesmos temos que nos aprofundar em algo primordial: o autoconhecimento.

Através do autoconhecimento, ao fazer uma meditação introspectiva diária acabamos por alcançar o chamado “ponto de equilíbrio”.

Ao refletir devemos nos concentrar em todos os aspectos da nossa vida: erros, acertos, comportamentos, caminhos traçados e seus resultados, alicerçado sempre à auto responsabilidade.

5- Se coloque em movimento

Não podemos esquecer que sem agir nada acontece. Nós somos o motor, a força, o combustível para alcançar as nossas metas. O caminho deve ser percorrido mirando uma ideia concreta.

O nosso corpo físico pede movimento para que tenhamos saúde, da mesma forma, em todas as áreas da nossa vida, se não agimos, se não efetuamos ações ativamente, nossos sonhos e metas simplesmente adoecem!

6- Idealize menos, realize mais

Todo idealismo confunde a realidade e interfere na sabedoria. O idealismo é uma ideia ingênua já que esconde a realidade que está embutida nos pormenores ou nas nuances e resultam num julgamento.

Diariamente precisamos colocar em prática pelo menos uma coisa que guardamos apenas no plano das ideias.

O ideal é que busquemos realizar nossos projetos, mesmo que o medo do fracasso nos diga que temos poucas chances de êxito, porque a cada tentativa “frustrada” adquirimos valiosas lições.

Munidos desses aprendizados, chegamos cada vez mais perto de conquistar os nossos desejos mais íntimos.

7- Observe, aprenda e não julgue

Quem julga demais deixa claro para o outro que não está aberto a aprender.

Temos sempre que buscar o lado bom na vida, assim, conseguimos amenizar o sofrimento que ainda nos assola. Desta forma, priorizamos a alegria e nossa mente se refresca para que possamos continuar nossa trajetória.

Evite fazer muitos julgamentos e críticas, apenas observe e tire suas conclusões. Agindo assim, você conseguirá adquirir mais conhecimento para realizar as suas metas.

8- Tente não sofrer pelos erros alheios

Essa é a razão do sofrimento de muitas pessoas, elas vivem uma vida de penitencias e se agarram ao sofrimento dos outros como se fossem seus!

É importante ter uma visão apurada da realidade, e se você costuma cometer esse erro com você mesmo, que é sofrer com os erros dos outros, tente se ater a sua própria vida, ela é a que mais importa.

De maneira alguma estou sugerindo que sejamos todos egoístas, mas que tenhamos certo a necessidade de cuidarmos, cada um, da sua própria vida, que já parece para muitos, um grande fardo.

Só conseguiremos ajudar alguém se anos ajudarmos primeiro. Isso também uma questão de inteligência.

9 – Exercite a humildade e a caridade

A humildade é a facilidade que a pessoa tem de poder observar o mundo e aceitar que sempre temos mais a oferecer e que podemos ser sempre melhores. Ou seja: Ser humilde é reconhecer que não sabemos tudo e que existem muitas coisas que precisamos aprender. Isso inclui aprender com os erros.

A pessoa humilde sabe que fazer o bem faz bem, e utiliza da ação caridosa em proveito próprio. Não de maneira egoísta, mas de forma benevolente.

Ela compreende o efeito curativo do bem, e sempre que sente uma forte insatisfação com a vida, corre até uma casa onde se realizam atividades sociais, se coloca a serviço, e quando retorna ao seu lar, sente-se reenergizada e agradecida pela vida que possui.

10 – Desenvolva o amor-próprio

A insatisfação com a própria vida nasce em muitos por conta da ausência de amor próprio.

Muitos sabem disso, possuem total consciência de que não gostam da pessoa que se tornaram, mas não sabem o que fazer a respeito.

Para iniciar uma relação positiva conosco é ideal que passemos alguns momentos do dia sozinhos, realizando atividades que nos agradem, cuidando do nosso corpo e da nossa mente, agindo assim, com persistência, aos poucos o amor-próprio vai nascendo e se torna abundante.

11- Analise o passado para traçar o futuro

Faça uma retrospectiva da sua vida com auto responsabilidade, assumindo os seus erros, acertos, competências e incompetências. Acrescente uma grande dose de humildade para elencar os fatos com o máximo de realismo. Após reconhecer os pontos que devem ser mudados, crie metas para que possa seguir por um caminho diferente e se comprometa com objetivos pelos quais seja importante lutar.

Não se deixe abater pelos obstáculos, e nem pelas pessoas que te deixam ou deixaram triste.

Entenda: cada pessoa que compõe a nossa história, nos trouxeram e nos trazem, valiosas lições.

Elas nos possibilitaram e possibilitam aprender, ter mais experiência e sabedoria para lidar melhor com os problemas. Agradeça a elas mentalmente e se liberte!

Perdoe quem tiver que ser perdoado e, principalmente, se perdoe! Liberte-se de tudo que te faça mal e aproveite tudo o que o novo ano tem para lhe oferecer.

Texto de: Fabiano de Abreu

Leia também: De nada adiantará um novo ano chegar se você continuar “velho”.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Fabiano de Abreu
Fabiano de Abreu Rodrigues é psicanalista clínico, jornalista, empresário, escritor, filósofo, poeta e personal branding luso-brasileiro. Proprietário da agência de comunicação e mídia social MF Press Global, é também um correspondente e colaborador de várias revistas, sites de notícias e jornais de grande repercussão nacional e internacional. Atualmente detém o prêmio do jornalista que mais criou personagens na história da imprensa brasileira e internacional, reconhecido por grandes nomes do jornalismo em diversos países. Como filósofo criou um novo conceito que chamou de poemas-filosóficos para escolas do governo de Minas Gerais no Brasil. Lançou o livro ‘Viver Pode Não Ser Tão Ruim’ no Brasil, Angola, Espanha e Portugal.