Ele foi condenado por “fiéis” e “não fiéis”! Motivo: abraçar um pecador!

Os que se dizem “fiéis” hoje em dia e condenam um ato de amor, seja ele oferecido a uma pecadora de grau um, dois, três, ou mil, podem ser comparados aos que outrora apedrejaram mulheres acusadas de serem adúlteras, e comemoraram a morte impiedosa de tantas outras quando foram condenadas à fogueira por serem “suspeitas” de bruxaria.

Aos que também defenderam a Igreja Católica nas suas ações ilegítimas ao queimarem livros que iam contra as suas imposições ideológicas, podem ser comparados também aos que quando perguntados por Pôncio Pilados quem deveria ser crucificado primeiro, o bandido, ou Jesus, gritaram com fúria: JESUS! Sem o menor remorso! E se riram por dentro!

No momento da traição de Judas, todos os que queriam vingança foram alertados por Jesus para que o perdoasse, e eu pergunto a esses que condenaram o Dr. Drauzio Varela: Vocês nunca pecaram? Pois se colocaram na posição ingrata de atirarem a primeira pedra!

ENTENDAM: NÃO DEVEMOS PAGAR O MAL COM O MAL.

Esses que sem diploma de juízes agora condenam um médico que há mais de 30 anos presta serviços que, eles próprios não se prestariam a fazer, e até hoje cuida da saúde dos excluídos, que sim, cometeram crimes, erraram e estão pagando pelos seus erros em cárcere da forma mais desumana e desgraçada possível, são os mesmos que possuem políticos de estimação, e se colocam na vida como se meros orcedores fossem, se digladiando, em um ringue onde não existirão vencedores.

Esses mesmos juízes sem diploma que odeiam e condenam o pobre, o marginalizado, o desajustado que recebeu todo o lixo preconceituoso de uma sociedade hipócrita! Mas que se faz de vítima da vida e clama por misericórdia a Deus.

Esses juízes sem diploma que exigem que essas pessoas desestruturadas emocionalmente e desprovidas do básico, que desde de crianças foram excomungadas por religiões, famílias, e sociedade em geral, simplesmente, “SE VIREM” para serem pessoas boas e honestas! E sabem porquê eles acreditam estarem no direito de exigir isso tudo? Porque não conseguem se colocar no lugar do outro!

Deixo claro aqui, para os desavisados de plantão, que não estou defendendo o ato cruel da trans e os seus delitos, estou apenas indignada com a condenação pública que vem sofrendo o Dr. Drauzio Varella.

Qualquer pessoa que vive o inferno em vida pode estar passível de cometer um crime hediondo!

“Que atire a primeira pedra quem nunca pecou!”, diria Jesus, também nesse caso.

Você aí que julga e julgou o médico pelo abraço que ele ofereceu a essa “trans”, comece a julgar os seus pensamentos, e o tanto de maldade que existe em você!

Mesmo que você não tenha cometido crimes brutais, quantas vezes desejou o mal e quis destruir outras pessoas com atos ardilosos e perversos, mas que inteligentemente, na surdina, por conta da sua astúcia, conseguiu se safar da justiça terrena?

Quantas vezes você desejou a morte de um outro irmão só porque ele não comunga dos mesmos ideais políticos, religiosos, ou de qualquer outra natureza, que os seus?

Quantas vezes você atirou pedras invisíveis tendo você um telhado de vidro?

Durante a semana onde o Dr. Drauzio Varella migrou de herói para vilão em questão de horas, me perguntei:

O que será que Jesus faria nessa mesma situação?

Jesus negaria um abraço a essa “trans” que cometeu um crime bárbaro?

Jesus negaria um abraço a Judas que o entregou para morrer de uma forma tão perversa?

Tenho claro para mim que Jesus não negaria! Abraçaria sim a trans e falaria em seu ouvido:

Vá minha filha e não peques mais!

Como interlocutora do pensamento de muitas pessoas que estão indignadas com essa verdadeira “caça às bruxas”, no caso, o novo “bode expiatório” do momento, venho dizer que um ato de amor para qualquer pessoa que seja é apenas um ato de amor! Mas vários atos de ódio contra um ato de amor, é o retrato da barbárie, do retrocesso, e da prepotência de quem se acha melhor ou quer parecer melhor do que os outros, e precisa diminuir quem quer que seja para se elevar, visto que sua alma rasteja na lama dos seus próprios sentimentos inferiores!

Me entristece saber que muitos que julgaram o médico acreditam no juízo final, ou em um Deus impiedoso e tirano, creem que serão salvos porque frequentam a Igreja, mas logo que saem dos seus ritos religiosos, entram na rede e passam a blasfemar e maldizer seus irmãos.

Mas a incongruência é tamanha que me leva a pensar se esses, ditos fiéis, realmente acreditam na justiça divina.

Será que eles pensam que mesmo condenando um outro ser humano em “praça pública”, no caso da vida moderna, na internet, eles serão salvos por Deus?

A ignorância é a mãe do holocausto, e quanto mais dizem que Varella deveria ter abraçado a mãe do garoto morto pela trans, ao invés de abraçá-la, mais penso como a fé deles está distorcida. Depois se queixam de suas vidas infelizes!

A mãe do garoto com certeza merece muito mais do que um abraço, merece as nossas orações diárias e apoio irrestrito. Mas o algoz do seu anjinho já está cumprindo sua pena, e seu filho infelizmente não voltará a vida. Mas essa trans está pagando seus “pecados”, e com certeza viveu o inferno em vida nesses anos em cárcere.

Mas aos julgares ainda faço a pergunta: Como conseguem viver felizes tendo que conviver com tanta maldade dentro de seus corações? Com conseguem viver fingindo que são pessoas de fé e ainda falarem em nome de Jesus?

Infelizmente nunca serão felizes aqueles que se colocam na posição de condenar o outro e que não são capazes de olhar para dentro de si e enxergar a mentira que fazem da própria existência!

Vocês que julgam, serão julgados! E não existirá fuga possível!

Sejam vocês evangélicos, católicos, budistas, ateus, brancos, negros, amarelos ou pardos! Todos que apontarem o dedo para um irmão, receberão em troca 4 voltados para si!

Algumas religiões pregam a volta de Jesus, eu mesma não acredito que Ele voltaria, visto já ter feito o seu papel por aqui e já ter se libertado da obrigação de se fazer mártir para que pudêssemos entender a maldade intrínseca em nós. Mas, se Jesus voltasse hoje, no cenário em que nos encontramos, seria crucificado novamente por muitos dos fiéis “santos” que dizem amá-lo! Porque não conseguem e dificilmente um dia conseguirão, amar o próximo como a si mesmos!

O crime que a “trans” cometeu foi hediondo, a mãe do garoto merece mais que um abraço, merece nossas orações elevadas! Mas a matéria exibida pelo fantástico no dia 01/03 não era sobre as vítimas dos condenados, era sobre a solidão das trans em presídios! E para a pauta, a reportagem cumpriu seu papel.

Para quem consegue superar a própria ignorância, é fácil entender a nota do Dr. Drauzio Varella, quando ele diz que é “médico não juiz”!

Leiam a nota na íntegra:

“Há mais de 30 anos, frequento presídios, onde trato da saúde de detentos e detentas. Em todos os lugares em que pratico a Medicina, seja no meu consultório ou nas penitenciárias, não pergunto sobre o que meus pacientes possam ter feito de errado. Sigo essa conduta para que meu julgamento pessoal não me impeça de cumprir o juramento que fiz ao me tornar médico. No meu trabalho na televisão, sigo os mesmos princípios. No caso da reportagem veiculada pelo Fantástico na semana passada (1/3), não perguntei nada a respeito dos delitos cometidos pelas entrevistadas. Sou médico, não juiz.” Drauzio Varella

Pelo que sei, nenhum de nós somos juízes de nada! Nem os próprios juízes que estudaram para o cargo que ocupam serão juízes no momento em que a morte os surpreenderem! Deixarão a vida como pessoas normais e serão julgados não por um Deus inquisidor como muitas religiões pregam para disseminar o medo em seus seguidores, mas pela própria consciência!

Muitas pessoas que se dizem fiéis e utilizam a internet para destilar o ódio, estão mortos-vivos, e já estão condenados a terem que conviver com a própria consciência, que pesa a cada pensamento monstruoso que externizam. A justiça para esses já foi feita, é a própria vida miserável que vivem!

Miserável no sentido de falta de amor, de falta de alegria, de falta de amigos, falta de tudo que faça com que se sintam bem consigo mesmos! Podem espernear, me xingar, mas no fundo vocês sabem que são infelizes! Não falo de falta de dinheiro, de status, de sucesso e coisas que compreendem a vaidade mundana, falo de miséria do coração, de mesquinhez espiritual!

Falo de pessoas que se colocam na posição de Deuses, que se apresentam como fiéis, mas saem vomitando despautérios pelas redes. Esses que vivem uma vida infeliz, que não conseguem conviver com a própria figura e nem com os outros,e que causam infelicidade por onde passam. Esses fiéis que convivem com uma dor emocional tremenda, que nem o Deus que dizem conhecer melhor do que ninguém, consegue aliviar!

A esses eu digo: vocês não são fiéis, são infiéis! E enquanto não se livrarem desse ódio, dessa necessidade de condenar, dessa prepotência de se acharem certos, de se colocarem como aqueles que sempre fariam as melhores escolhas e os outros as piores, o coração de vocês seguirá apertado, como se torturado fosse!

E sabe quem os tortura? Vocês! Os seus atos, os seus pensamentos, as sua emoções desajustadas e o seus pensamentos de moribundos!

A “trans” cumpre sua pena em regime fechado, e lá deve permanecer, mas a pena de vocês fiéis de araque poderá ser perpétua, caso não parem de inclinar esse dedo de vocês em direção a vida alheia. Talvez não ficarão presos em uma penitenciaria federal, mas com certeza terão que encarar a dura missão de viver em cárcere fechado dentro de si mesmos!

Não tem condenação pior para quem julga despreocupadamente a vida dos outros, do que ter que conviver com a solidão que as suas atitudes arrogantes causam. Ser obrigado a ter que conviver com tamanha impiedade dentro de si em relação a vocês e aos outros será a pior sentença!

Mas ainda há tempo e perdão para vocês, como também será concedido a trans que cometeu um ato monstruoso, concordo, mas isso não dependerá da vontade de ninguém, mas somente do reconhecimento do próprio erro e do sincero arrependimento de cada um!

Dói saber que uma criança foi morta, e que sua mãe sofre e sempre sofrerá a sua perda. Mas se tratarmos eternamente uma pessoa que cometeu um ato “monstruoso” como um monstro, ele cumprirá a sua pena e talvez volte a agir como um monstro, mas se seguirmos os ensinamentos de amor de Jesus à risca, e o tratarmos como um ser humano, talvez ele se regenere. E é nessa esperança que Jesus segue olhando por nós. Na esperança de que todos nós nos regeneremos, todos nós.

Antes que digam nos comentários que se fosse o meu filho que tivesse sido brutalmente violentado e morto, eu não defenderia a ação do Dr. Drauzio Varella, eu já adianto: Não cabe a mim julgar e nunca caberá, não serei eu que atirarei a primeira pedra. Deus decidirá o que cada um receberá em vida, ou depois da morte, não eu.

E um recado final ao Dr. Drauzio Varella:

Podiam existir mais pelo menos 4 milhões de você no mundo Dr! Ele, com certeza seria um lugar melhor se estivesse cheio de pessoas que fazem o bem sem olhar a quem!

Abracem mais, condenem menos!

Assista o pedido de desculpas do Dr. Drauzio via seu canal no Youtube:

*Foto: Divulgação/Rede Globo

VOCÊ SABIA QUE O SEU AMIGO GURU TAMBÉM ESTÁ NO FACEBOOK E NO INSTAGRAM?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS TORNARÃO A SUA VIDA MUITO MAIS LEVE E FELIZ!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, palestrante, produtora e editora de conteúdo do Resiliência Humana e do Seu Amigo Guru. Seu interior é intenso, sempre foi! Transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhores, para nós, e para o outro!