Você não é obrigado a adotar um animal!Mas, se escolher fazer, dê o seu melhor.

Você não é obrigado a adotar um animal de estimação.

Na verdade, você não é obrigado a nada!

Mas, se escolher fazer, dê o seu melhor.

A partir do momento que você decide adotar um animal de estimação, aquela vida indefesa é de sua inteira responsabilidade.

Cabe a você proporcionar uma alimentação de qualidade, se dedicar e oferecer todo o seu amor. Dar a ele conforto, e zelar pela sua saúde até o fim da sua vida.

Se não estiver disposto a se doar, se não tiver tempo e nem tenha condições de exercitar a paciência. Respeite os limites, e não adote!

Adoção vai muito além de fotos e videos bonitinhos em redes sociais.

Um animal faz sujeira, quando é filhote existe também aquele tempo da choradeira a noite até que ele venha a se adaptar. Ele vai exigir muito de você, uma requisição constante de atenção!

Fios, cabos e sandálias serão comidas, o aumento das despesas é inevitável…

Educar requer paciência, vontade e leva tempo.

Lembre-se: você não é obrigado a adotar um animal!

Mas, se optar pela adoção, vai ter ao seu lado companheiros leais; que sentem sua falta e festejam seu retorno após 10 minutos, como se você tivesse feito uma longa viagem!

Eles vão te amar mais do que qualquer outro ser humano, mesmo nos dias em que nem você está se suportando, eles vão te aceitar como você é.

Você vai ter uma companhia, receber beijos exagerados, ser respeitado.

Vai entender o que é o amor!

Então, se você está se sentindo carente e quer uma companhia temporária, não use um animal indefeso para satisfazer seu ego. Faça outra escolha (e podemos falar sobre isso futuramente).

Mas, se quer adotar por amor, pese os prós e contras e sinta no seu coração se é a escolha certa.

Para nossa família, foi a melhor escolha.

Pense nisso!

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Kássia Luana
escritora, promotora de vendas e divulgadora Seicho No Ie (SNI). Apaixonada pela vida, acredito na auto cura, na gratidão e amor ao próximo. Autora do livro "O Diário da Ana".