Você deve confiar desconfiando para evitar surpresas desagradáveis!

Desde a mais tenra idade somos preparados para a parte cruel da realidade que nos cerca, de uma maneira bem lúdica e divertida.

Quem nunca cantou a música: “Quem tem medo do lobo mal, lobo mal, lobo mal…”, não é mesmo?

Só mais tarde é que perceberemos o fundo de verdade existente na letra dessa música.

Vocês se lembram do lobo mal do clássico conto infantil: chapeuzinho vermelho?

Ele arrumava várias estratégias para enganar a personagem principal e ela, como uma boa menina e esperta, ficava de olho e não se deixava enganar.

Primeiro o lobo tentou convence-la de que ela deveria ir pelo caminho mais curto, mas ela se recusou pois já havia sido orientada pela mãe de que este seria mais fácil, porém perigoso.

Depois o lobo veste as roupas de sua avó e finge ser ela.

Chapeuzinho ficou desconfiada e percebeu algo de errado e ao final ela foi salva pelos caçadores.

Na história dos três porquinhos ele aparece novamente.

Cada porquinho constrói sua casa, de bambu com pilhas de lama, de madeira sem usar pregos e de tijolos e cimentos.

Apenas um construiu uma casa segura.

Os dois clássicos de suma importância na literatura infantil ressalta a figura do lobo mal e em ambos podemos tirar grandes lições de vida.

Apesar da coincidência da existência do lobo mal nessas histórias, os contos não foram escritos pelo mesmo autor e se pensarmos bem, na vida de todo mundo já teve, tem ou terá vários pelo caminho ou até mesmo infortúnios, não é mesmo?

Sabem aquele ditado popular: “Toda brincadeira tem um fundo de verdade”, eu diria que toda história tem um fundo de verdade.

Não é à toa que todas as novelas de sucesso tem um grande vilão, bem como, alguns desenhos animados ressaltam a existência do bem e do mal.

São as pedras que aparecem no decorrer da vida e que nem sempre são visíveis a olhos nus ou previsíveis.

Toda cautela é pouca para não tropeçar ou para não cair.

Devemos confiar desconfiando.

Uma das coisas que podemos dizer que aprendemos com a pandemia da COVID-19 é que devemos nos precaver com relação ao futuro, criar meios para não gastar tudo o que recebemos de uma vez só, pois pode ser que nos faça falta lá na frente.

Todos nós sabemos das facilidades dadas pelos mercados financeiros de adquirir empréstimos, que a longo prazo acabam virando uma bola de neve e talvez seja este um dos principais motivos da maior parte da população brasileira encontrar-se endividada.

Vivem no limite e ao depararem com um pequeno imprevisto inerente à vida, colocar-se-ia tudo a perder, inclusive a paz de espírito.

Quem sabe com a pandemia seja criada uma matéria de educação financeira na grade curricular nas escolas durante toda a trajetória escolar, inclusive com a criação de contas bancárias kids com cartão para a criança aprender a administrar as finanças bem como a poupar?

E com um incentivo à mais, isento do Imposto de Renda.

Além dos imprevistos financeiros, o lobo mal pode aparecer na vida de qualquer um, revestido de cordeiro, e por incrível que pareça pode estar bem mais próximo do que se pensa e cheios das boas intenções, prestes a puxar o tapete na primeira oportunidade.

Não raro as grandes decepções vem de onde menos se espera.

É por isso que deve-se confiar, desconfiando sempre para evitar surpresas desagradáveis.

Vocês sabem, não é? Que “muita esmola, santo desconfia.”.

Tudo tem um preço e o barato pode sair caro demais, além de colocar tudo a perder.

Como toda boa história, sempre haverá um grande final feliz para aqueles que trilham o caminho do bem, bem como “a justiça tarda, mas não falha”, uma hora a casa cai para aqueles que vivem praticando iniquidades.

Quantos ensinamentos são passados de geração em geração, como sabedoria de vida e um deles é a Lei da semeadura.

Colhe-se aquilo que se planta.

Se plantar o bem, colhe-se o bem; se plantar o mal, colhe-se o mal.

Para evitar os lobos maus no decorrer da vida, haverá apenas um caminho: Jesus, pois Ele é o caminho, a verdade e a vida.

A punhalada, independentemente de quem seja ou de qual situação for, vem sempre pelas costas, quando menos se espera e é por isso, que só Deus na causa.

É preciso confiar que tudo se resolve. Fé e gratidão! Esse é o segredo do grande milagre chamado vida. Se for para desconfiar, desconfie apenas das pessoas, não de Deus.

*Foto de Joel Mott no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Idelma da Costa
Idelma da Costa, Bacharel em Direito, Pós Graduada em Direito Processual, Gerente Judicial (TJMG), escritora dos livros Apagão, o passo para a superação e O mundo não gira, capota. Tem sido classificada em concursos literários a nível nacional e internacional com suas poesias e contos. Participou como autora convidada do FliAraxá 2018 e 2019 e da Flid 2018.