A vida passa em um piscar de olhos e poucos aproveitam integralmente esse instante efêmero… como se viver e estar vivo não fosse, por si só, um milagre… Dessa forma, meio que adormecidos, a vida simplesmente passa, depressa, sem que percebamos que viver é ter que renascer eternamente…

A morte impressiona por ser implacável, por nos deixar um vazio, por nos fazer entender o real significado da palavra/sentimento… SAUDADE!

Mas a morte nada mais é do que um “renascer” para uma nova etapa, onde acertamos novos compromissos em um outro plano de consciência! O fato é que mesmo morrendo, nunca estaremos mortos… Mas só quando morremos fisicamente entendemos a verdadeira importância de renascer!

Ainda vivos, renascemos a cada novo dia… Renascemos para um relacionamento…Renascemos para uma profissão… Renascemos para a alegria… momentos depois de uma “aparente” e infinita tristeza…

Renascemos para o amor quando imaginávamos não haver mais tempo, nem oportunidade para ele…

E a vida nos faz andar em uma corda, as vezes bamba… DA SOBREVIVÊNCIA A REENCARNAÇÃO…

Assim vivemos, em um ciclo de lições e aprendizados que nos parece não ter fim… E me contento com fé e confiança na eternidade e na divina providencia de que viver não deve ser uma constante de passar de dias… Que a vida, não deve ser apenas trabalho e família… Que tudo está onde deve estar! Mas de uma coisa eu tenho certeza… Aqui, ficam apenas as nossas obras, o serviço que prestamos, o bem que fizemos… e o amor que conquistamos, esse permanece em nós eternamente.

Do fim ainda não sabemos…Sobre o início ainda nos interrogamos… E o durante… é o que nos resta agora, não importa a idade cronológica que temos, uns tem mais, outros tem menos, mas mesmo com tantos tropeços e com tantas imperfeições que ainda carregamos, o que vai pesar na balança é o que fizemos com esse tempo que nos foi concedido…

Muitos de nós ainda não acordou para a necessidade de fazer do tempo um aliado, no sentido de produzir diariamente, nos outros, o mesmo sentimento que queremos receber!

Podemos fazer isso com caridade, com amizade, com uma atenção dedicada em um momento de dor… Oferendo amor, ou doando o dom que só nós temos para um número cada vez maior de pessoas… Viemos prestar um serviço…

Alguns passam os dias anestesiados em seus próprios pensamentos sombrios e nem se dão conta da beleza dessa oportunidade que temos… Outros já se atentaram para o pouco tempo que resta e já arregaçaram as mangas, estão prontos para serem luz onde só existe escuridão…

A vida passa, realmente passa… sem que muitos se deem conta da preciosidade do presente que se recebe… todos os dias… em que se tem a sorte de estar vivo…

Mesmo a dor e o sofrimento são bençãos necessárias para o burilamento do espírito… Nossa contribuição é “tentar”, incansavelmente, eternamente, auxiliar aqueles que ainda não conseguem enxergam a luz por estarem ainda dominados por sentimentos inferiores que causam dor.

A dor é necessária, entendamos isso! Só não podemos deixar que ela se demore em nós.

A dor vem para nos fazer entender o quanto somos mais fortes do que pensamos… Vem para nos mostrar caminhos que antes não enxergávamos… pois como sabiamente disse Rubem Alves: “Ostra feliz não faz pérola”.

É preciso cavar muito, nas entranhas das emoções, até que a pérola apareça. É preciso que a “ostra” se prontifique a criar meios de sobreviver à dor que o grão de areia lhe causa. É preciso que a “ostra” crie situações e soluções para sair do sofrimento… Foi assim, depois de muito doer, que ela aprendeu a envolver esse grão de areia com uma camada lisa que o impedia de a machucar.

Pessoas completamente felizes, disse o poeta, não sentem a necessidade de criar. O ato criador, seja na ciência ou na arte, surge sempre de uma dor. Não é preciso que seja uma dor doída…

Por vezes a dor aparece como aquela coceira que tem o nome de curiosidade…

Esse é um artigo em homenagem…

Foi exatamente assim, como a “ostra”, que viveram tantos amigos e ídolos que conhecemos. Todos os que se foram nas últimas tragédias, nesse início de ano difícil e sofrido… mas que aprenderam a envolver o seu grão de areia, e o transformar em pérola.

Infelizmente quem se foi, não estará fisicamente presente, e tantos outros que sentimos tanta falta! Alguns perderam, mãe, pai, sobrinho,filho, amigo… logo agora, no começo do ano! Tantas provações e tantos assuntos importantes para o crescimento espiritual da humanidade que eu até me emociono em lembrar.

A vida passa… sem que atentemos para o significado real das coisas, das pessoas, das relações… Ela escapa entre os dedos e não podemos agarrá-la!

Nesse momento que a saudade faz morada aqui nesse plano, muitos amigos espirituais poderão matar a saudade de vocês, no outro… nesse exato momento!

Voa! E continue o trabalho por aí! Porque eu acredito piamente que a vida continua…

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!