Ser filho de um alcoólatra significa que o trauma permanece com você por anos

Por Joe Carr

Eu o beijei quando seu corpo estava no necrotério, gelado e deitado como se eu quisesse me lembrar dele.

Até a adolescência, minha família vivia uma vida bastante “normal”. Minha mãe e meu pai, ambos em bons empregos, tiveram quatro filhos – eu era o mais velho.

Quando o casamento de meus pais começou a desmoronar, meu pai deixou de ser um bebedor comum para se tornar um alcoólatra diário que já não funcionava, praticamente, da noite para o dia.

Lembro-me da mudança tão vividamente!

Quando eu tinha 13 anos, notei que ele nunca parecia estar sóbrio e passou a abertamente lager super forte – depois vodka e uísque – a ser muito reservado e esconder isso.

Depois disso, desceu incrivelmente rápido.

Meus irmãos e eu tivemos que crescer imediatamente.

Ser filho de um alcoólatra inverte esse relacionamento pai-filho e, quando adolescente, você de repente se torna a voz da razão que seu pai deveria ser.

Qualquer pessoa que tenha passado pelo alcoolismo saberá que argumentar com um indivíduo constantemente bêbado não é uma tarefa fácil. Minhas memórias primordiais da adolescência são de incidentes tão bizarros e difíceis de processar que dificilmente são críveis.

Em uma ocasião, fomos mantidos reféns na casa de meu pai, enquanto ele, bêbado, pegava uma espingarda e decidia que não deveríamos ir embora.

Minha irmã e eu conseguimos escapar para a casa de um vizinho gentil, mas nossos dois irmãos mais novos permaneceram lá dentro até a chegada da polícia e espalharam a situação.

Outra vez, lembro-me de voltar da escola e encontrar meu pai e meu irmão jogando facas na porta da frente. Meu irmão tinha cerca de 10 anos na época. Quando tentei argumentar com meu pai, ele explodiu e me disse para sair.

Ele faltou em tudo – o casamento de sua irmã, o funeral de seu próprio pai, todos os eventos da escola, o nascimento de todos os netos.

Tudo devido à sua crescente dependência do álcool.

As pessoas geralmente têm uma imagem do alcoólico alegre e inofensivo no pub local, mas isso raramente ocorre. A maioria dos alcoólatras graves vive vidas solitárias, em casa, existindo de bebida em bebida.

O efeito sobre os parentes é muitas vezes esquecido, pois é uma doença tão individual e muitas vezes egoísta.

Filhos, cônjuges e familiares de alcoólatras vivem um trauma – geralmente por anos, até que o alcoólatra morra ou se recupere.

Você se culpa, culpa o alcoólatra, procura respostas que não existem e que só podem vir de dentro do alcoólatra.

Infelizmente, meu pai não se recuperou e morreu em 2016, aos 53 anos, dando seu último suspiro no chão de um albergue sem teto, deixando para trás uma família de pessoas que realmente o amavam, apesar dos problemas em andamento.

Como se por destino, na sexta-feira anterior à sua morte, eu o encontrei na rua sem ter contato com meu pai por dois anos.

De repente, minha raiva por ele desapareceu e foi substituída por pena e tristeza pela sombra do homem que ele era.

Uma das muitas tragédias de ter um pai alcoólatra é que a criança geralmente segue o mesmo caminho, e eu fiz exatamente isso. Mostrei a ele fotos de sua nova neta (ele tem sete netos, mas só conheceu dois deles), contei sobre sua família e lhe dei um beijo na testa.

Eu o beijei novamente na noite de segunda-feira seguinte, quando seu corpo estava deitado sobre a mesa no necrotério do hospital, frio e deitado, não era como eu queria me lembrar dele – ele era um homem atlético de um metro e oitenta e três no seu auge. Meus irmãos e eu passamos 15 anos esperando sua morte e nos convencemos de que já tínhamos sofrido muito pelo pai que já tivemos.

Quão errado eu estava – sua morte me atingiu como uma marreta e trouxe toda a dor que estava ocultava.

Uma das muitas tragédias de ter um pai alcoólatra é que a criança geralmente segue o mesmo caminho, e eu fiz exatamente isso. Quando entrei na casa dos 20 anos, comecei a beber e rapidamente sai do controle.

Assim como papai, eu sempre vivi ‘a vida e a alma da festa’, mas estava morrendo por dentro e tão infeliz.

Aos 30 anos, bebia uma garrafa de vinho por noite e não tinha limite, com compulsões de três dias e a sensação de que nunca queria que a bebida terminasse.

Felizmente, minha esposa não viu a maioria dos meus problemas com álcool, pois nos conhecemos oito meses antes de eu me livrar dessa obsessão. Eu sabia que tinha que mudar, caso contrário, eu a faria passar, e quaisquer futuros filhos que tivéssemos, pela mesma dor que eu mesma experimentara.

Agora estou chegando a cinco anos de sobriedade, essa foi a promessa que fiz em uma carta a meu pai e coloquei no bolso antes de fecharmos o caixão.

Eu tinha completava nove meses de sobriedade quando papai morreu, mas era a confirmação de que eu nunca mais iria beber.

Acredito muito na resiliência que pode advir de viver e sobreviver a experiências difíceis.

Apesar das dificuldades, ser filho de um alcoólatra me deu habilidades para a vida que eu nunca teria aprendido em outro lugar.

Sou um homem incrivelmente positivo e resiliente e nunca permitirei que meus três filhos se envolvam nos destroços do alcoolismo.

Estou muito ciente do meu desejo por álcool e converso abertamente com minha esposa e meus amigos sobre isso – tenho uma rede de apoio maravilhosa.

Sei que nunca posso compartilhar um bom copo de vinho com minha esposa ou tomar uma cerveja quando terminar de jogar rugby, mas nenhum deles vale o dano que causaria àqueles que me amam ou a mim mesmo.

Às vezes, quando olho para eles e penso em como eles são amados, e quanto quero protegê-los, me faz questionar por que meu pai não poderia ter se sentido assim também. Mas o alcoolismo é complexo, e não há uma resposta direta a essa pergunta – eu certamente nunca saberei a resposta! Porque ser filho de um alcoólatra significa que o trauma permanece com você por toda a vida!

*Tradução e adaptação Iara Fonseca– REDAÇÃO SEU AMIGO GURU. Com informações Metro.UK

VOCÊ SABIA QUE O SEU AMIGO GURU TAMBÉM ESTÁ NO FACEBOOK E NO INSTAGRAM?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS TORNARÃO A SUA VIDA MUITO MAIS LEVE E FELIZ!

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!