Saudade, nem de longe é algo bom de se ter perto. É dor constrangedora que afirma impiedosa e constante que você não é capaz de viver sozinho!

O saldo do amor é nosso segredo que não deixarei cair em descrédito…. No passar dos dias, te espero, cantando as horas. Na cantoria, passam as horas!

Chego a pensar que cantar faz as horas passar, mas o que eu sinto, não, não passará.

Não é bom sentir saudade, se engana quem sente e alimenta o sentir, e engana as horas como se o tempo fosse curar a falta que o outro faz!

Sentir falta dói, e muito… Mas até a saudade é uma lição pra gente!

Quando sentimos falta de alguém ou de algo, somos forçados a admitir que aquela pessoa, ou coisa,tinha valor, muito valor, e que deveríamos ter agradecido mais, aproveitado mais, vivido mais!

Não só de amor e alegria vive o homem e a mulher, mas algumas coisas quando faltam, nos fazem sentir vazios, e nos mostram o quanto é difícil viver sem aquilo que tanto amamos.

A saudade se mostra impiedosa para os corações que não aprenderam a viver sozinhos. Ou que simplesmente, não querem aceitar que nascemos sozinhos, repartimos a vida, mas morreremos sozinhos, cada um no seu tempo, cada um na sua hora!

Não sou a favor de que cultiva e alimenta a saudade. Saudade não é um sentimento bom de se manter dentro. Ela mina nossa alegria, nos coloca em um estado de carência, de falta, de escassez!

Devemos combater a saudade, minar qualquer sentimento que nos faça sentir menos por não estarmos na presença de alguém ou por não termos mais a situação que nos traz lembranças felizes do passado.

Devemos sentir saudade do futuro que ainda não veio, e que pode nos trazer grandes alegrias se estivermos abertos e dispostos. Devemos focar no presente que vira passado a cada instante e o que ele nos deseja oferecer ou ensinar.

Devemos aprender a viver sozinhos, mas não solitários. Devemos amar e ser amados, sem apego, aproveitar o momento presente, e oferecer ao outro a nossa gratidão por ele ter escolhido permanecer ao nosso lado, quando poderia estar em qualquer outro lugar!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!