Nem tudo é em vão, e se você se considera um instrumento do Senhor, nunca se ache demais diante do bem que você faz.

Eu já me arrependi por ter pedido ajuda a algumas pessoas em algumas realizações minhas.

Não que elas não se dispuseram, ou não fizeram de boa vontade, mas por terem esperado vanglórias da minha parte.

Por exigirem de mim um reconhecimento silencioso que não estava em meu poder fazê-lo, por tentarem tirar a glória de Deus e se colocarem como os inteligentes da questão.

Por não saberem fazer o bem sem gritarem para o mudo que foram eles que fizeram.

Sou muito grata mesmo, por quem me estende as mãos, por quem me doa o seu melhor, por quem é amigo irmão de verdade.

A gratidão é um dom, é um instrumento divino, e a coisa mais linda da vida é podermos agradecer a quem nos ajudou sem nos sentirmos pressionados, carregando dentro de nós aquele sentimento de que estamos devendo alguma coisa a alguém.

É bacana ser reciproco, é lindo saber reconhecer o bem que recebemos, é maravilhoso termos do nosso lado, pessoas dispostas e verdadeiras, mas quando isso se torna um peso e uma obrigação, já não tem nada de bonito.

Quando você fizer o bem a alguém, faça-o pelo coração. Lembre-se que muitas vezes Deus nos usa como instrumento para respondermos a oração de alguém, seja ela qual for.

Nem tudo é em vão, e se você se considera um instrumento do Senhor, nunca se ache demais diante do bem que você faz.

Agradeça a ELe por ter confiado essa missão a você. O maior e mais sublime reconhecimento, vem dEle.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Cecilia Sfalsin
CECILIA SFALSIN, EVANGÉLICA, Filha do Deus altíssimo. Autora dos livros: Seguir em frente e Minha vontade de vencer é maior. Desprendida, é assim que me descrevo. Levo a vida com delicadeza, e as letras como um escape das rotinas e dos encargos que os dias nos obrigam a assumir. Sou quase amável, cristã, e apaixonada pelo autor da fé e da vida, Jesus.