Se sua frase começa com “é melhor eu não dizer nada”, é melhor você não dizer nada

“Não ia dizer nada, mas …”

É provável que em mais de uma ocasião você tenha ouvido essa frase ou tenha dito isso. Aparentemente, é “respeitoso”. Mas isso automaticamente nos coloca na defensiva porque, no fundo, sabemos que as palavras por trás dela são desnecessárias e provavelmente causarão danos.

A compulsão de compartilhar nossas opiniões

Temos uma opinião para tudo. Somos críticos estabelecidos. E não há nada errado com isso. É importante que formemos nossos próprios julgamentos sobre o que acontece. E que cheguemos às nossas conclusões.

No entanto, o problema começa quando sentimos uma compulsão real de compartilhar nossos pontos de vista com os outros. Por dizer o que pensamos. Comentar – muitas vezes sem o conhecimento da causa. E também criticar e julgar.

Essa tendência pode nos tornar kamikazes da verdade e nos levar a cometer “sincericidios” reais. Por trás de um “sincericídio” não existe um apego saudável à verdade, mas uma posição egocêntrica na qual não levamos em conta o impacto de nossas palavras nos outros.

O “sincericida” muitas vezes esconde uma incapacidade de ser empático.

De fato, uma das frases favoritas dos sincericidas é:

“Eu só estou contando a você porque gostaria de ser informado se fosse comigo”.

Isso mostra que essa pessoa decide e age de acordo com as suas coordenadas, independentemente do que o outro queira ou precise.

“É melhor eu não dizer nada, mas …”

Há uma linha muito sutil entre expressar o que pensamos e cair no vandalismo intelectual.

Entre ajudar uma pessoa, ou apenas apontando seus erros e esmagando-a ainda mais sob o peso de seus erros.

Entre ajudá-la a encontrar uma solução ou deixá-la presa com um problema.

Quando começamos uma frase com as palavras “é melhor eu não dizer nada, mas …” sabemos que, no fundo, seria melhor ficar calado sobre o que estamos prestes a dizer.

De fato, essa pessoa provavelmente já sabe o que vamos dizer e nossas palavras simplesmente se transformam em mais sal sobre uma ferida aberta.

Em outros casos, essas palavras não servem para encontrar uma solução, mas apenas agravam o conflito, aprofundam a lacuna e marcam a distância com a outra, provavelmente no momento em que essa pessoa precisa de validação e apoio, não de críticas e julgamentos.

Reconhecer que não devemos dizer nada também é uma maneira de pedir desculpas pelo que estamos prestes a dizer, porque sabemos que essas palavras não têm motivos para existir, ou pelo menos não nessa hora e local.

Portanto, da próxima vez que começarmos uma frase com as palavras “é melhor não dizer nada”, talvez seja melhor não dizer nada mesmo. Ou que pelo menos paremos para refletir sobre o impacto que o que estamos prestes a dizer pode ter.

Os 3 filtros que devemos usar antes de opinar

1. Opiniões não são fatos.

Nossas opiniões podem basear-se em fatos, sem dúvida, mas também são frequentemente entrelaçadas com reações, emoções, expectativas e experiências negativas.

Isso significa que não devemos confundi-las com “verdade” e, acima de tudo, que não devemos acreditar que somos possuidores de uma “verdade absoluta”.

Quando acreditamos que temos a verdade, agimos com arrogância. E essa não é a melhor atitude para construir pontes em relação ao outro.

2. Frustração não é avaliação.

Muitas das coisas que acontecem conosco podem causar frustração quando não atendem às nossas expectativas, especialmente quando outras pessoas não seguem o padrão que tínhamos em mente.

No entanto, não conseguir o que queremos não é justificativa para avaliar algo negativamente ou em termos depreciativos.

O fato de nos sentirmos irritados não é uma desculpa para descarregar essa frustração nos outros, porque nossa opinião não será objetiva.

3. Querer não é necessário.

O que estamos prestes a dizer é algo que “queremos” dizer ou algo que a outra pessoa precisa ouvir? Se for só o que precisamos dizer: A diferença é abismal.

Existem verdades duras ou desconfortáveis ​​que, no entanto, devem ser ditas para que não se tornem um elefante na sala. Mas há opiniões que não contribuem com nada e podem até causar danos.

Reflita! E só fale o que de bom a sua fala puder causar nos outros.

*DA REDAÇÃO SEU AMIGO GURU. Tradução e adaptação https://rinconpsicologia.com/yo-mejor-no-digo-nada/. Artigo escrito por: JENNIFER DELGADO SUAREZ

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!