O amor é o resultado de muitos elementos combinados, mas é o amor que se alimenta de detalhes que crescem e são construídos todos os dias.

Por: Sara Espejo

Muitas vezes negligenciamos o amor porque o tomamos como garantido. E acabamos nos afastando das pessoas que mais importam para nós, investindo nossas energias em outras situações ou pessoas.

O amor cresce com a disposição, com esse desejo de fazer o outro se sentir valorizado e amado.

O amor cresce com pequenos detalhes, com atenção mútua.

Há muitas maneiras de dizer eu te amo sem dizer, estar ciente do outro, dedicar tempo, fazer você se sentir uma prioridade em nossas vidas, incentivando você a cuidar de si mesmo, reconhecer e celebrar suas realizações, apoiá-lo em seus projetos, estar presente quando você precisar …

Também lembrá-lo verbalmente é agradável aos ouvidos, mantém o romantismo e nos lembra que existe uma palavra para apoiar, com atitudes, ações, decisões.

Paramos de construir o amor quando ele deixa de ser importante para nós, quando paramos de investir nossos pensamentos nesse nexo, quando nossas energias são dedicadas a outra coisa, quando diminuímos a atenção e o tempo desse relacionamento.

Há amores que permanecem do nada, que são tácitos, que sempre serão independentes do que é semeado, mas raramente o amor do casal se apega a essas condições.

Em um casal saudável e equilibrado, é normal dar e receber, alimentar o relacionamento nos detalhes.

Em geral, nascem boas ações, mas também é verdade que podemos nos educar em um relacionamento, podemos aprender a mostrar nosso afeto de certas maneiras, mesmo quando não estamos familiarizados com certos detalhes.

O importante é dar sentido e valor ao relacionamento, para que o amor não seja assumido e não negligenciado por ele.

Devemos entender que o amor que não rega, murcha, como um amor que é maltratado, que está cheio de decepções, que é desvalorizado e menosprezado.

Às vezes, quando perdoamos, quando damos a segunda ou a enésima oportunidade, isso deixa de ser visto como uma demonstração de amor, mas se torna um ponto de partida para uma cadeia de abusos, que apenas prejudica os relacionamentos.

Devemos aprender a receber amor e respeitá-lo.

Não somos obrigados a estar com alguém, mas desde que seja nossa decisão compartilhar nosso caminho com alguém, é conveniente cuidar e respeitar esse amor, amando a nós mesmos e amando essa pessoa especial.

De alguma forma, o que damos, o recebemos de volta, embora não necessariamente da pessoa a quem o damos, portanto, amar nunca é um investimento ruim, preenchendo detalhes da vida de quem amamos, ele nos ensina a amar, mostrar esse amor e construir o relacionamento em que queremos estar e, se com quem somos, não é a pessoa que permanece em nossas vidas, pelo menos estamos calmos por ter feito o melhor plantio, porque, se não colhemos os frutos, certamente Nós estaremos fazendo isso.

Não espere que o amor se mantenha por si só, você trabalha para torná-lo mais forte, maior, mais inesquecível, com detalhes em detalhes …

Não tenha medo de se dar, mas sim, de ficar com o amor salvo, porque o amor que é dar, pesa quando a acumulamos lá dentro.

*Via Rincon del Tibet. Tradução e adaptação REDAÇÃO Seu Amigo Guru.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!