Não importa se você não consegue, ou não se considera sábio o suficiente para resolver uma questão que o aflige, o importante é não se ausentar, é ficar atento e ouvir, mas principalmente, evitar ao máximo criticar, dramatizar, se vitimizar, quando você, ou o outro mais precisam.

Sábio é aquele que consegue ouvir sem criticar!Quem sabe ouvir sem a necessidade de aconselhar!

Se coloque a disposição, empreste seus ouvidos a quem precisa desabafar, agradeça a oportunidade de auxiliar, pois poderia ter sido você o necessitado de auxílio! Mas se não houver nenhuma manifestação e pedido de aconselhamento, não insista! Não ache que está no seu direito em opinar, só porque caridosamente se prontificou a escutar o que o outro tem a dizer! Aprenda a ouvir e silenciar!

Pondere as palavras, pois a sua fala pode ser o motivo de ruína para o outro.

A vida não é o resultado de experiências desconexas, ela se tece sabiamente, abrindo uma trilha em um labirinto que possui um fim certo. E muitas vezes perdemos um tempo danado criticando a vida dos outros, porque não entendemos essa tecelagem divina.

Deveríamos ouvir mais e falar menos, é fato. E se o outro falar demais e sua fala for desconfortante, ou até ofensiva, devemos nos retirar em silêncio para não nos privar da nossa paz interior.

Todos temos problemas, mas não devemos abusar dos ouvidos daquele sábio amigo que se dispõe a nos ouvir, jogando em cima dele todas as nossas queixas e reclamações.

A solução para o problema está em algum lugar, basta que nos coloquemos atentos para encontrá-la.

O nosso maior “problema” é que adoramos criar um “caso”.

Muitos não gostam de viver em paz, e vão achar que estou louca em dizer isso, mas pensa um pouquinho que você vai encontrar alguém que você conhece que adora criar um caso.

Que não pode ver ninguém em paz que chega com uma história mirabolante, alguma coisa catastrófica para abalar as estruturas de quem ouve.

Basta uma oportunidade para que muitos de nós se joguem no chão e esperneiem pedindo socorro! E quando agimos assim, somos julgados pelos outros quando deveríamos parar para pensar o por quê fazemos isso.

E a resposta é: Porque muitos de nós ainda se encontram em uma posição ingrata… ainda embebidos de Ingratidão!

É mais fácil ser grato do que ingrato! É muito difícil ser ingrato!

Sabe por quê?

A pessoa ingrata sofre muito e é extremamente critica!

Ela nunca consegue se sentir satisfeita! Sempre acha que a sua situação, e a do outro, podem melhorar.

Sabe aquela pessoa que chega na sua casa e te diz: “Por que você não pinta aquela parede de vermelho, eu te ajudo!”, ou “por que você não muda aquele móvel”, ou “por que você não corta o cabelo”, ou “adorei a sua roupa, mas não emagrece mais não senão vai ficar feia”, ou “escuta o que você tem para dizer, só para poder despejar o seu ponto de vista enfático e crítico”.

Ou vai te visitar sem avisar e começa a limpar a sua casa dizendo que quer te ajudar… Te manda mensagem no meio do dia(você está trabalhando), com uma mensagem claramente “não importante”, e reclama que você não respondeu.

Sim, todos nós adoramos criar um “caso”, uns mais, outros menos!

Exstem uns gatos pingados que não surtam, graças a Deus! Mas, muitas vezes atrapalhamos a vida daqueles, que nós mesmos, sempre nos colocamos a disposição em ajudar! Justamente porque queremos dar nossa tão sagrada opinião na vida deles.

Agindo assim, estamos atrapalhando a felicidade do outro!

Infernizamos, muitas vezes, a vida alheia com os nossos achismos.

Ao invés de simplesmente ouvir e sentir o que eles precisam, agimos como os “donos da verdade”, os que sabem mais, não aceitamos as coisas como são e sempre queremos interferir.

Para aprender a ouvir sem criticar se faz necessário sabedoria!

A felicidade exige controle emocional e resiliência!

Julgar e condenar são atitudes desconectadas do amor!

O sábio não da esmola para o julgamento, a sua inteligência não é matemática, é a compaixão! E a sua arma contra o mal é o seu exemplo!

O sábio não quer interferir, ele não quer nada, ele simplesmente é, mas mesmo sem querer, transforma o outro com o seu amor, com a sua gentileza, com a sua compreensão!

Seja um exemplo bom para o mundo e busque ser sábio!

Deixe sua marca sim, mas fazendo uma diferença feliz na vida dos outros!

Não leve problemas para a casa dos outros, nem soluções, apenas carregue sempre o seu amor, o seu carinho, e demonstre aceitação!

A felicidade não mora ao lado, nem está perto, muito menos longe, ela mora dentro!

Peça ajuda caso o seu sofrimento more na necessidade invigilante da crítica e aprenda a exteriorizar esse amor o quanto antes!

Lembre-se:

O amor não cobra; Dá!

Nada exige; Serve!

Não sufoca; Liberta!

Não controla; Confia!

Não maldiz; Benze!

Não invade; Respeita!

Não manda; Aceita!

Santo Expedito sempre me faz lembrar do hoje! Ele e sua plaquinha!

A sua ingratidão gera a necessidade da critica constante, da cobrança, da insatisfação!

LEIA MAIS: Seja no amor, ou na dor: “A sua lição virá a cavalo!”

Seja grato e sábio hoje!

Não deixe para resolver essas questões internas que te perturbam amanhã porque o amanhã não existe de fato! É uma ilusão da nossa mente! Ele pode vir a ser, mas só é uma possibilidade!

Se por “sorte” acordarmos amanha, saudáveis e sãos, renovados do sono que tivemos, poderemos agradecer o milagre da vida! E nos orientar no sentido de passar a amar mais intensamente do que no dia anterior!

Sabe aquele mal que você fez ontem, avalie, e não repita hoje!

Aquela fala que você proferiu, e que causou mal estar, analise, e não repita amanhã.

Desamor nunca se tornará amor!

Transforme essa pessoa que você vê no espelho e pare de criticar a vida dos outros, pare de se preocupar, pare de perturbar a sua vida, e a dos outros com essa necessidade de intervir!

Chegue para somar positivamente sem criar “casos”.

Sem causar alarde!

Sem opinar sobre tudo!

A vida exige sabedoria!

O verdadeiro sábio ouve o outro… solvendo amor sobre ele!

Trabalhe diariamente essa característica dos sábios, e verá uma grande mudança em seus relacionamentos!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!