Querido Deus..

Cuida das minhas fragilidades, ampara meus cansaços e me traz cada dia para mais perto de você.

Eu não tenho desejado mal a ninguém. Tenho feito minha parte a cada dia. Tenho conseguido viver sem tanto drama, sem achar que a vida é injusta.

Sei que tudo tem o momento certo, sei que em algum lugar coisas irão me corresponder, sentimentos vão se esbarrar e encontrarei coisas que irradiarão meu coração.

É assim mesmo. Nem tudo é perfeito e dentro das coisas que não deram certo, me ajeitei.

O importante é a honestidade que carrego e a sinceridade que vem de dentro.

Eu não sou o tipo de pessoa que finge um gostar que não existe.

Estou com a vida em dia, a alma em paz e com a sensação de que ainda vou descansar meu jeito meio torto em algum colo macio.

Enquanto isso vou atravessando sem encher meu caminho de revolta ou mágoa.

Não quero estagnar em ideias nocivas ou praticar o mal.

Deus sabe o que eu mereço o que preciso e o que vai me manter em pé.

Balanço, mas não envergo.

Oro, vigio e agradeço.

Aprender a sorrir e a me cuidar tem sido uma grande prova de amor por mim.

Os desafetos que me perdoem.

Vim pra ser feliz!

Querido Deus..

Cuida das minhas fragilidades, ampara meus cansaços e me traz cada dia para mais perto de você.

Agradeço por me fazer crescer, por aceitar como sou.

Sou grata pelo equilíbrio espiritual e por cada sentimento negativo que aprendi a me desfazer; a cada momento que soube renascer.

Hoje diante dos teus olhos me sinto melhor.

Sinto a cura envolvendo e um tempo de mais leveza brotando dentro do peito.

Chamo de renovação e gratidão tudo que me concedeu com a luz do teu amor.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me â tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.