Quem perdoa o outro já perdoou a si mesmo! Perdoar é entender e aceitar os processos uns dos outros! Quem ainda não se aceitou, precisa jogar pedras nos outros e apontar seus defeitos, para se sentir melhor!

Por Andrade Moraes

Nossa condição falha indica que somos processo, estamos em construção. Ninguém chegou, mas estamos a caminho.

É terapêutico tomar consciência de nossa falibilidade. E nos perdoar por ainda não conseguir, por ter errado, se equivocado, feito o diagnóstico covarde na interpretação dos afetos.

O primeiro passo rumo a maturidade é entender nossas debilidades e aceitar as nossas limitações.

Descubro onde sou fraco, descubro o que não sei e o que preciso desenvolver.

O autoconhecimento nos arranca das mãos da hipocrisia.

Abdicamos das mentiras que contamos para nós mesmos a fim de amenizar o impacto da feiura de nossas incoerências.

Já não carecemos fingir inocência para não sermos esmagados pelo peso das falhas que cometemos e mais nos envergonham.

Ao parar de justificar e fingir que somos os arautos da pureza, entendendo que não precisamos estacionar o caráter nas grades da covardia, desenvolvemos empatia.

Aprendemos a julgar menos e estender mais as mãos, pois os indivíduos desolados que precisam de ajuda, nos remetem ao nosso processo.

Um dia fomos eles. E quem não enfrenta as próprias precariedades com honestidade, é implacável ao descobrir que o outro foi flagrado fazendo aquilo que assombra o seu coração.

Quem perdoa o errante, aprendeu, antes, a perdoar a si mesmo. Mas quem ainda não se aceitou precisa lançar pedras!

Imagem: Pinterest

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!