Quem faz o bem, vira e mexe experimenta esse sentimento divino que é se sentir feliz! Quem faz o mal, experimenta momentos de prazer e alegria, mas a sombra que envolve o seu coração o condena a uma eternidade de tristeza.

É importante que saibamos que as nossas atitudes, independente se foram pensadas ou impensadas, terão consequências!

É comum vermos as pessoas fazendo coisas ruins, conscientes ou não do ato feito, é bom que todos SE CONSCIENTIZEM: Haverão consequências!

A sensação de impunidade que CONTROLA os governos pelo mundo a fora, fortemente ENRAIZADA que contamina a política e a sociedade brasileira, criou uma banalização do mal, que faz com que muitos pensem que suas atitudes maldosas não são, nem serão vistas, e muito menos serão descobertas.

Saindo da esfera política e entrando no contexto social, algumas pessoas, um pouco mais conscientes de seus atos, costumam alimentar o péssimo hábito de cometer algumas “maldades esporádicas” e depois saem proferindo as desculpas mais descabidas.

Alguns dizem que não tinham a intensão (oi, como assim?) de ferir, que não foi proposital, que na verdade o que queriam mesmo era ajudar, que agiram no calor da emoção e se tivessem pensado um pouco mais não teriam feito!

Outros saem de casa dispostos e certos de que devem fazer tal coisa em relação a tal pessoa, vão lá e fazem, acabam prejudicando emocional ou fisicamente a outra pessoa, voltam para casa, e se sentem vingados!

Esses que estão conscientes do mal que causaram, algumas vezes se redimem dizendo que a pessoa mereceu!

O pior de tudo é que poucos se arrependem de verdade! Muito poucos buscam de alguma maneira, reverter o dano que causaram. Principalmente se eles estiverem se sentindo ameaçados de alguma forma!

Mesmo que ninguém os estivessem ameaçando declaradamente, eles se sentem aliviados por terem “tirado” esse alguém do “jogo”, meio que se sentem poderosos também por conseguirem manipular situações ou usar a força, em casos extremados!

O problema é que as pessoas estão convencidas da impunidade, e por conta disso, àquelas emocionalmente fracas saem por aí proferindo despautérios, despejando suas dores nos ombros dos outros, agredindo, violentando e tentando controlar tudo ao seu modo… ao seu bel prazer!

Devemos ter sempre em mente que os atos que cometemos, independente se impensados ou pensados terão consequências!

Pode ser que aquele ato impensado ou “planejado” tenha afastado seu filho de você!

Pode ser que aquela atitude inconsequente tenha acabado com o seu relacionamento!

Pode ser que aquela aposta imprudente tenha te deixado endividado!

Pode ser que aquele transação ilegal que você fez, que só você e algumas poucas pessoas próximas sabem, tenha vindo à tona e agora você terá que responder por isso!

Pode ser que aquela fofoca que você fez há muito tempo atrás chegue “sem querer” aos ouvidos de quem não devia, e a sua credibilidade seja abalada!

Pode ser que você tenha sido controladora, autoritária, egoísta e gananciosa por muitos anos, e só agora as pessoas começaram a perceber e se rebelaram, enfim, decidindo te excluir da vida delas!

Pode ser que você vem passando a perna em várias pessoas durante a vida é só agora encontrou alguém que resolveu te dar o troco!

É:

Cada situação que fazemos o outro passar, são fichas que depositamos em uma conta fantasma! Contabilizada por Deus!

Nós pensamos que estamos investindo direito, mas quando vamos ver o saldo: Que susto!

A crise congelou a poupança! Ficou tudo retido após severa contabilidade de Deus!

Precisamos entender de uma vez por todas que os nossos atos impensados ou pensados terão consequências!

As consequências podem demorar a chegar, ou podem surgir no mesmo instante como uma espécie de revide, mas elas chegarão!

O mesmo acontece para quem pratica o bem!

Daí alguns sofredores profissionais vão questionar e dizer: “vejo inúmera pessoas fazendo o bem sempre, se deixando de lado para ajudar os outros e vivem uma vida miserável! Então o bem que fazem não volta?

Resposta:

Temos a mania de pensar que a felicidade precisa ser vivida ainda nesse mundo, mas estamos completamente equivocados:

A felicidade é um estado puro e pleno de consciência que eleva nossa alma a um patamar imaterial!

Ou seja, a felicidade é sentida, se relaciona ao SER, não ao TER.

LEIA TAMBÉM: A felicidade não é um privilégio, é uma escolha!

Temos a mania de achar que o bem que a pessoa deve receber de volta SERÃO bens materiais, riqueza, luxo e poder, quando na verdade, se sentir pleno e feliz é o que as pessoas que possuem dinheiro mais querem e menos tem!

Ao passo que:

Quem faz o bem, vira e mexe experimenta esse sentimento divino que é se sentir feliz!

Quantas pessoas sofredoras dariam todo seu dinheiro por um momento de felicidade verdadeira?

Por um instante sequer sem dor?

Se uma face da felicidade for alcançada nesse mundo, já é um belo prêmio para quem faz o bem, não acham?

Caso ainda não consigam se sentir felizes aqui, essas pessoas que praticam o bem e se movem para melhorar o mundo e a si mesmas, com toda certeza, receberão os louros devidos junto ao amor de Jesus, Maria e tantos outros seres iluminados quando partirem!

Aqueles que não acreditam em Deus, mas são pessoas boas e fazem o bem, serão bem vistos e acolhidos na vida eterna!

Por outro lado, aqueles que insistem em comungar com o mal, que ungem primeiramente as suas vestes e os seus pertences, e depois vão buscar unção de Deus, esses, serão ungidos sim, mas não por Deus, por suas próprias angústias que os consumirão em sofrimentos internos terríveis!

E será na solidão do seu lar, que ele colherá todas as investidas nefastas que plantou durante a vida!

Faça o bem, não por medo de Deus e das consequências que podem vir de suas atitudes maldosas! Faça o bem porque só assim você se sentirá verdadeiramente feliz! Parece egoismo, mas não é. São as regras do jogo da vida. Você nunca encontrará a verdadeira felicidade sendo maldosa! Apenas viverá a ruminar o próprio veneno.

Texto: Iara Fonseca
Imagem: Divulgação/Angelina Jolie

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, palestrante, produtora e editora de conteúdo do Resiliência Humana e do Seu Amigo Guru. Seu interior é intenso, sempre foi! Transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhores, para nós, e para o outro!