Felicidade: todo mundo quer em suas vidas, todo mundo está procurando e, no entanto, ninguém sabe o que realmente é.

Por Diana Nadim Adjadj

Pesquisas muito interessantes, reunidas pela Universidade de Toronto, sugerem que o fato de a felicidade ser uma noção tão abstrata e sem definição clara faz com que as pessoas se sintam mais infelizes.

Aqui está o que eles encontraram:

1- A felicidade é um alvo em movimento;

2- As pessoas sabem que seu tempo é limitado, o que torna a busca pela felicidade ainda mais estressante;

3- O fato de as pessoas não saberem o que é a felicidade faz com que se sintam incertas e, consequentemente, ainda mais infelizes porque são incapazes de alcançar um estado que desconhecem.

A infelicidade cresce por várias razões. Mas todas as gerações anteriores afirmam que todas as gerações seguintes devem ser mais felizes porque não terão que enfrentar os mesmos problemas. Eu descobri que é verdade que os baby boomers pensam isso sobre a geração do milênio e a geração Z.

E, como um milênio, aqui está o que eu posso lhe dizer.

Gerações jovens se sentem tão infelizes como sempre nos sentimos, e não, não estamos fingindo. A pesquisa está do nosso lado.

Apenas 1 em cada 10 millennials identifica sua carreira como a principal prioridade, enquanto os outros 9 dizem que a felicidade é o que mais importa.

No entanto, um estudo, publicado pelo Telegraph, afirma que a geração do milênio tem th e perspectivas mais negativas sobre o futuro, afirmando que eles têm muita pressão da sociedade a sentir-se e tornar-se feliz.

Então, o que a geração do milênio e as crianças da geração Z fazem para que outras pessoas pensem que estão vivendo uma vida mais feliz?

Todo mundo sabe sobre o relacionamento dependente que as gerações mais jovens têm com a mídia social. Parece que não podemos levantar da cama sem dar uma olhada em CADA conta da mídia social. É seguro dizer que esse relacionamento é tóxico.

Dê uma olhada: de acordo com o estudo, publicado pelo Independent, 51% dos millennials afirmam usar mídias sociais como Facebook e Instagram para dar a impressão de que seus relacionamentos na vida real são perfeitos.

Mas como você pode mudar isso?

Acredito que a razão pela qual a geração mais jovem é geralmente infeliz é que tendemos a nos apegar a muitas coisas em vez de nos deixarmos ir e seguir em frente.

Quais são as coisas em que nos apegamos?

Dê uma olhada. Eu garanto que você vai se identificar.

1. Ser um maníaco por controle

Isso é muito difícil de deixar ir. Quando você começa a ficar obcecado em controlar tudo, você se torna um viciado. Quanto mais coisas você tem controle, mais você quer que seu controle cresça.

Mas o que é controle normal e o que é controle obsessivo?

O controle normal envolve entender que as coisas podem ficar fora de controle e você pode viver assim mesmo. O controle obsessivo está tentando organizar todos os pequenos detalhes da sua vida e, quando as coisas ficam fora de controle, você se apavora. Portanto, você se torna um maníaco por controle.

É fácil imaginar para onde essa mentalidade poderia levá-lo.

Ser maníaco por controle pode levar a transtorno obsessivo-compulsivo, depressão, deterioração da saúde por causa do estresse crônico, etc. Não há muito espaço para a felicidade aqui.

Então, como você deixa o controle excessivo?

Entenda que você pode mudar a maneira como vê as coisas e que a espontaneidade pode beneficiá-lo mais do que garantir que você tenha tudo planejado.

Além disso, ouça seus sentimentos. Com que frequência você se sente ansioso ou frustrado por causa de coisas que não pode controlar? O controle excessivo pode impedir que você observe muitas coisas importantes. Quem sabe, talvez você tenha perdido o momento de felicidade que procurava tão desesperadamente.

2. Tentar agradar as pessoas

Quem não quer ser amado por todos? Um sentimento tão perfeito – todo mundo está sorrindo para você, dizendo como você é maravilhosa, agradecendo … Não é ótimo?

Sim … mas é absolutamente irrealista.

Para agradar as pessoas, você está assumindo responsabilidades que não precisava. Tentar fazer o bem por todos faz com que você se sinta responsável por como as outras pessoas se sentem em relação a você e ao mundo, e definitivamente, isso não é de sua responsabilidade e pode levar você a se sentir infeliz toda vez que perceber que alguém não gosta de você.

Aqui estão cinco dos passos que Ilene Strauss Cohen, Ph.D., descreveu para ajudá-la em sua luta em tentar deixar de ser uma pessoa agradável:

1- Torne-se consciente;

2- Perceba que evitar problemas não promove crescimento nos relacionamentos;

3- Entenda a importância de ser autêntico;

4- Perceba que fazer muito em um relacionamento prejudica o relacionamento e não ajuda;

5- Aprenda a auto-aceitação olhando para si mesmo com interesse e respeito, em vez de julgamento e negação;

Quando você está tentando fazer o bem por todos, você se perde.

Você pode viver sua vida inteira assim. É importante prestar atenção no que é bom e certo para você e não apenas para todos os outros.

3. Ser um lixeira

Aqui está o que quero dizer com lixo:

1- erros do passado;

2- corações partidos;

3- relações tóxicas;

4- ressentimento;

Com certeza, deixar de lado esse “lixo” não é fácil. Nos sentimos emocionalmente apegados a essas experiências. Mas aqui está o que você pode fazer:

Pense na última vez em que você fez uma limpeza em sua casa. Você coletou todas as coisas desnecessárias, velhas e irritantes do seu apartamento, chamadas de coleta de lixo e deixou essas coisas para lá. Você voltou para sua casa e sentiu que era mais fácil respirar agora que soltou tudo o que o impedia.

O mesmo é com guardar lixo em sua vida emocional. Depois de limpá-lo, haverá espaço livre suficiente para a felicidade entrar em sua vida.

4. Ser motivado por dinheiro

Talvez a maior razão pela qual a geração mais jovem não possa se sentir feliz seja porque somos muito apegados ao dinheiro. Parte desse apego nasce por necessidade. Muitos de nós temos que trabalhar duro para pagar empréstimos estudantis, sentir a pressão de comprar nosso próprio local ou prover a família. É muito fácil ser arrastado por esse buraco.

No entanto, é sempre importante lembrar que o dinheiro não compra tudo. Não lhe dá a capacidade de acordar de manhã e agradecer por tudo que você já tem (mesmo que não tenha muito).

Aprender a se contentar e agradecer pode ajudá-la a se sentir feliz todos os dias, ao perceber que é abençoada com o que tem.


5- Não persiga a felicidade

A felicidade é diferente para todos e nesta vida não dura para sempre. Mas podemos ter momentos felizes, até pequenos, quando nos sentimos mais completos. Você pode experimentar esses momentos felizes com mais frequência se deixar de lado as coisas que o colocam na mentalidade errada.

Aqui está mais uma coisa: não persiga a felicidade. Não é uma caçada. A felicidade não é um tipo de animal selvagem, e você não é um caçador. Em vez disso, esteja presente no momento atual. Quem sabe, talvez agora seja o momento de ser feliz?

Texto escrito por: Diana Nadim Adjadj é escritora e editora com mestrado em Marketing. Ela combina sua paixão pela escrita com seu interesse em pesquisa e cria conteúdo instigante em vários campos. Além de trabalhar como escritora colaboradora do TrustMyPaper, Diana também administra seu próprio blog 3to5Marketing.

* Tradução e adaptação REDAÇÃO Seu Amigo Guru – Iara Fonseca – É proibido a reprodução desse conteúdo para fins comerciais.
* Via The Hope Line
*Foto de capa: Parceira/Edu Moraes@edumoraes

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!