Ao se mostrar leal a si mesmo, é possível que o julguem ingrato e rebelde, fanático e louco. Porém, mesmo assim, continue seguindo o seu coração!

A procura da felicidade assemelha-se, no fundo, a uma caçada difícil. Pensando ser de fácil acesso, há quem a procure entre as riquezas do mundo; no empréstimo de bens materiais; nos prazeres da carne, e acordam com enfermidades no corpo e na alma!

Há quem acredite que ela será alcançada ao obter os poderes terrenos, e para isso, move céus e terras, mesmo as custas dos outros, e ao conquistar o poder tão almejado, enfrenta a própria dor da desilusão, ao passo que não a encontra em nada disso.

Existem ainda aqueles que a buscam em sua redoma de preguiça, assumindo uma vida superficial, alimentada por sentimentos supérfluos, e acabam apodrecendo no próprio tédio existencial.

Não há felicidade, contudo, sem dever corretamente cumprido.

É preciso que nós observemos o dever de que a vida nos incumbe. Esse dever… Descobriremos, hora a hora, no quadro das circunstâncias.

– Na fé que te pede serviço.

– No serviço que te roga compreensão.

– No ideal que te pede caráter.

– No caráter que te roga firmeza.

– No exemplo que te pede disciplina.

– Na disciplina que te roga humildade.

– No lar que te pede renúncia.

– Na renúncia que te roga perseverança.

– No caminho que te pede cooperação.

– Na cooperação que te roga discernimento.

Por mais obstáculos que se apresentem no caminho, por mais que eles pareçam intransponíveis, não desvie da obrigação que promoverá o bem de todos, sempre que puder e o quanto puder, seja onde for.

Quando te mostrar leal a ti mesmo, é possível que te julguem ingrato e rebelde, fanático e louco.

A maioria, no entanto, nem sempre abraça o que é certo, o que é devido.

Não podemos esquecer que, no instante supremo da humanidade, ela, a maioria, estava com Barrabás e contra o Cristo.

Cumpre, assim, teu dever, e, tome da Terra somente o necessário à própria manutenção, de modo que, se aprender a não te apropriar da felicidade dos outros, estarás atingindo a verdadeira felicidade, que mora sempre, com a bênção de Deus, na consciência tranquila.

“Seja leal a sim mesmo! Seja leal aos seus princípios e as suas reais vontades! Seja leal com Deus e com tudo que foi criado por Ele! As vezes, a lealdade exige sacrifícios, e nem sempre estamos dispostos a nos sacrificar a ponto de sermos leais de verdade! A lealdade é o principio para que se conquiste a felicidade genuína”. Iara Fonseca

*Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Livro: Religião dos Espíritos. Lição nº 51.
Adaptação de linguagem por Iara Fonseca/ Redação Seu Amigo Guru
Imagem meramente ilustrativa: Twitter: @mally/IG:@mallympls

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!