Ainda indignada com os últimos casos, do mais recente, que atirou ácido na namorada e na irmã dela, e do homem que espancou a paisagista Elaine, no Rio de Janeiro, quase até a morte, a semana passada. Resolvi fazer uma análise sobre o comportamento dos vizinhos que me deixou intrigada.

Sobre a demora dos vizinhos em prestar socorro, Elaine, em entrevista para o Fantástico, viu a morte de perto, e apenas pediu: “Quando alguém pedir socorro, socorra imediatamente!”

Outro dia escrevi um artigo sobre o caso Elaine, espancada por 4 horas seguidas, uma designer competente e de alma boa, independente, moradora da Barra da Tijuca, que sofreu monstruosidades nas mãos de um homem descontrolado emocionalmente. Dito louco, mas na minha humilde opinião, cruel… O próprio mal encarnado!

Fiquei imaginando o caso acontecendo aqui do lado de casa, que escuto até a respiração do vizinho, se eu aguentaria 4 horas de gritos por socorro sem fazer nada. Fiquei incomodada com isso.

Cheguei a questionar os vizinhos da Elaine, mas não julguei. Queria mesmo saber o que esses vizinhos tem a falar, e porque nenhum veículo buscou saber os motivos que fizeram com que eles não pedissem ajuda antes.

Como não sei o motivo real, e sei que dá sim para escutar um vizinho gritando por socorro por 4 horas seguidas… Vou contar o que percebo que acontece em muitas vizinhanças elitizadas por aí:

1 – Ninguém tá nem aí com a sua vida

A elite gosta de ser discreta, e não gosta que ninguém se meta em sua vida! Faz fofoca, mas não gosta de fofoca. Quer amigos, mas não faz amigos… Possui vários seguidores, mas ninguém para amar, quando possui alguém para amar, esposa, amante, filho, vira e meche as deixam tristes, as humilham, fazem o inferno… Descontam dessabores… Controlam a vida dos coitados e tudo mais! Existem exceções, raras… Mas essas são almas boas e evoluídas, comprometidas com o próximo e com o amor que Jesus nos ensinou! Culturalmente levam consigo aquele ditado: EM BRIGA DE MARIDO E MULHER NÃO SE METE A COLHER.

E eu digo para eles: Não será preciso meter a colher, apenas uma ligação para a polícia, basta!

Já aconteceu comigo gente, juro, uma família que mora ao lado, os filhos de uma senhora advogada, de 19 e 20 anos começaram a brigar muito feio, e eu ouvi quieta por uns 15 minutos, até que me assustou a frase, “eu vou te matar” e resolvi gritar para que eles percebessem que eu estava ouvindo tudo! Mas não adiantou, ficou pior, o menino muito forte ia para cima da irmã, fraquinha, e eu sabendo disso, não deixaria um homem bater, espancar, tentar dominar e controlar uma mulher, mesmo que essa mulher seja sua irmã. Liguei para a polícia.

Alguns minutos se passaram e vejo a mãe e a filha saindo de carro, enquanto o irmão fortão ficou em casa. Ou seja, ele ganhou! O que essa pobre mãe está ensinando para o seu filho se mostrando fraca frente a força física dele e permitindo que a sua filha passe por humilhações públicas e acusações de “vad!a” para baixo? O que meu Deus? O que será desse menino?

Conclusão, liguei para policia de novo e relatei que não havia necessidade de virem, já que as duas tinham saído. Mas muitos casos, não acabam bem! Não é mesmo? Podia não ter acabado bem, por isso precisamos agir! Se alguém pedir socorro, socorra, imediatamente!


2- As pessoas querem passar despercebidas

A elite, geralmente não quer ser percebida, nem chamar atenção nas ruas. Ela tem medo de assalto, ela tem medo de sequestro, ela tem diversos medos. Muitos até Síndrome do Pânico, não sai de casa, tem medo do vizinho… Por aí vai…

3- Não querem se comprometer

Pensam assim: Eu vou sair de casa essa hora para ajudar uma fulana que nunca me deu nem bom dia no elevador? Ou pior: Se eu for tentar ajudar e acontecer alguma coisa comigo?

Amiguinhos eu digo, a vida é um eterno “se comprometer”, se você não se compromete você praticamente não vive, você sobrevive e flutua, sem conquistar nada e ninguém verdadeiramente. Vive na ilusão e no medo de não se envolver para não sofrer, mas não percebe que já sofre muito a falta do amor porque ainda não aprendeu a amar.

4- Evitar o estresse

A Elite quer evitar o estresse, sim meus amigos, todos querem, até nós! Então, ela finge não ter ouvido qualquer problema que possa abalar a vossa santa paz! Não quer chateações, as vezes, passa meses sem falar com os amigos para não ter que ouvir ladainha e reclamação. Assiste apenas o Jornal Nacional para ficar atualizada das tragédias, mas não gosta. Acha muita violência! Isso a deprime!

Amiguinha, deprimente é ver o que você fez com a sua alma e com o seu tempo de vida até aqui! A vida é uma escola e você não saiu do primário! Mas sempre é tempo de mudar. Casos como esse, da Elaine, não esqueceu ainda não, né?

Surgem e nos trazem lições preciosas, como essa que estou te dando agora. Não sabemos quem poderá ser a próxima vítima, e pode ser você, sim, pode, não adianta se precaver de todo jeito, não adianta. O que adiantará é você ter a sorte de ser tão amada por seus vizinhos que eles tenham a disposição de te ajudar prontamente, com todo amor e carinho!

Fácil, nos tempos atuais? Vão dizer que não. Porque o louco pode morar no andar de cima e a gente nem o conhece, nem cruza com ele no elevador… Mas ele mora lá, já faz algum tempo!Ou a vítima, pode cruzar com você todos os dias, com hematomas, e você nem olha!

5- Faltam heróis, sobram fofoqueiros

Acho que já falei tudo nessa frase aí do subtítulo não acham?

Foto: Facebook/ElaineCaparróz

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!