Precisamos de um Detox na alma. O segredo é perdoar, acreditar e prosseguir…

Apagar, afastar, excluir… Quando o coração quer paz, quer seguir com dignidade sem que ninguém interrompa sua liberdade adquirida, é melhor apagar os rastros, apagar os fantasmas, apagar as sentinelas do medo, da dor e da decepção.

É melhor ir sem fingir, sem esquecer-se de colocar um ponto final, ir sem que sobre qualquer dúvida diante do que é inteiro e íntegro, sem que nos peguem pelo caminho nos oferecendo parte do que gostaríamos de receber.

Pra bom entendedor meio amor não basta. Por sermos breves é que devemos ser mais precavidos, mais sábios sem que nos demoremos em casas vazias e cheias de ecos de incompreensão.

A base de tudo é a paz, é a leveza nos pés e a gratidão que nos salva das falsidades que se blindam diante dos nossos olhos.

Precisamos de um Detox na alma.

Há cura para cada sentimento que bate em nosso peito pedindo pra ser resolvido, há espaço na caixa de memória para novos cheiros e conhecimentos dentro dos nossos desejos internos.

Quando a vida decide por nós, mesmo que indiretamente, é preciso respeitar esse sinal, é preciso não forçar mais qualquer área que impeça o desenvolvimento da alma, o desenvolvimento dos passos e do caminho a ser percorrido.

Nem mais nem menos. Nem certo nem errado. Tudo é o que precisa ser.

Quando essa força que nos sustenta, nos mostra que dentro das nossas fragilidades há a condição de tratar nossas feridas e nossas dores, devemos seguir em frente.

O tempo não espera. E nós, muitas vezes, esperamos demais pelo que não vem.

É preciso dar um basta, é preciso criar asas e partir para voos solos dando-se um tempo para que as coisas se ajeitem e que em nós não haja a rejeição de nós mesmos.

Muitas vezes esse empurrar, nos leva para frente.

Tudo é questão de querer, de poder, de reverter aquilo que causou estragos internos.

Tudo é temporário.

A vida tão cheia de surpresas saberá nos ofertar sorrisos e momentos menos apreensivos.

Que Deus nos proteja e nos fortaleça em nome de tudo que já passamos e que ainda iremos passar.

Mas quando nos encaramos, o medo fica menor, o céu se abre, o jardim floresce.

Não merecemos pisar em cacos de vidro e nem receber pedradas alheias.

O simples cativa, a honestidade salva, o amor vence.

É preciso aprender a desatar os próprios nós.

O segredo é perdoar, acreditar e prosseguir.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me â tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.