Portugal entra em estado de calamidade por causa da nova variante Ômicron.

Mais restrições, ainda mais rígidas, mais isolamento, mais lokdown… 2022 não parece estar trazendo novidades para a Europa, especialmente, para Portugal que enfrenta uma “calamidade”, segundo informou o primeiro-ministro.

Portugal está a tomar medidas mais rigorosas apesar de 86% da população – quase todas as elegíveis – estarem totalmente vacinadas.

Portugal, mesmo sendo o país com uma das maiores taxas de vacinação do mundo, vai implementar uma série de novas medidas para controlar a COVID-19, incluindo controles mais rígidos nas fronteiras e uma semana de reclusão pós-feriado, anunciou o primeiro-ministro.

“Não queremos repetir a trágica experiência de Janeiro passado”, disse Antonio Costa, referindo-se a uma época em que os hospitais portugueses estavam sobrecarregados com doentes COVID-19.

A partir de 1º de dezembro, o país entrou em “estado de calamidade” que dará ao governo poderes legais para implementar medidas mais rígidas.

Exigir que todas as pessoas, recém chegadas a Portugal de avião, vacinadas ou não, apresentem resultado negativo no teste COVID-19 é uma das medidas.

As máscaras voltarão a ser obrigatórias em todos os ambientes internos, incluindo escritórios. Também deve ser devolvido o passaporte COVID, o que significa que todos devem apresentar o certificado de vacina ou teste negativo para usar hotéis, restaurantes e outras instalações de lazer.

Conforme informou a agencia AA, se aproxima a temporada de férias,E o governo também está lembrando as pessoas sobre a importância de fazer os testes COVID-19 em casa antes de ir a reuniões sociais com amigos ou família.

Uma “semana de contenção” pós-feriado também foi planejada.

A partir de 2 de janeiro, o trabalho remoto será obrigatório, os bares fecharão e as férias escolares serão estendidas.

Portugal apresenta uma das taxas de vacinação mais elevadas do mundo, com 86% de toda a sua população totalmente imunizada.

Ainda assim, a taxa de infecção de duas semanas atingiu rapidamente 250 casos por 100.000 pessoas.

No entanto, é significativamente menor do que em outros países europeus, como Áustria, Eslovênia, Bélgica ou República Tcheca, onde a taxa de infecção é superior a 1.000.

“Apesar do sucesso da vacinação … estamos a entrar numa fase de alto risco porque assistimos a um aumento da pandemia no resto da Europa e Portugal não é uma ilha,” disse Costa.

*DA REDAÇÃO SAG.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!