Grandes nomes da ciência e da física quântica se reuniram em um documentário chamado Prosperar, disponível no Youtube, para nos alertar sobre o plano de dominação financeira que algumas famílias, espalhadas pelo mundo, arquitetam, a muitos séculos.

Muitas pessoas possuem esse defeito egoísta de querer dominar aqueles que julgam inferiores ou mais frágeis que eles. Essas pessoas acreditam que são mais importantes, especiais, e que merecem exercer o poder sobre todos os outros seres que habitam a Terra. Se não conseguem tamanha influência, pelo menos tentam dominar aqueles, que com eles convivem.

Somos dominados por algumas famílias que detém o capital financeiro mundial eles nos controlam, e muitos de nós nem percebem.

Vivemos uma dualidade e o bem e o mal estão sempre em guerra.

Quem possui o mal egoico dentro de si, tenta a qualquer custo dominar o poder, e o dinheiro, porque só assim, conseguirá dominar as pessoas.

O dinheiro e o poder estão nas mãos de poucos, em sua maioria possuem carácter duvidoso, e índole torta, e acabam conseguindo comprar tudo o que é essencial para a nossa vida na Terra. A energia, a indústria farmacêutica, a água, o minério, estão sendo controlados a muitos séculos por pouca famílias, geralmente, ligadas a grandes bancos internacionais, mas poucas pessoas despertaram para a manipulação que sofremos e para a escravidão a qual somos submetidos.

Antigamente, rico era quem possuía mais ouro, e como o ouro era muito pesado, para que fossem feitas as negociações financeiras, percebeu-se que não era viável ficar o transportando de um lugar a outro. Foi dessa necessidade que nasceu o esquema utilizado até hoje pelos bancos.

As pessoas relatavam a quantidade de ouro que tinham a um intermediário (hoje, um banco) e este emitia “notas” que garantiam as trocas de bens, e foi assim que apareceram as primeiras moedas, que futuramente foram chamadas de “dinheiro”.

Esses intermediários perceberam que poderiam emitir mais notas do que realmente tinham, utilizando as notas de outras pessoas e oferecendo a outros como empréstimos a juros altos, atividade que os “bancos” fazem até hoje.

Na verdade, depois que se deposita o dinheiro no banco, ninguém mais tem dinheiro de verdade, todos possuem dígitos em computadores bancários, e esses dígitos, assim que entram na conta, já são emprestados para outros que pediram financiamento ou empréstimos ao banco. O Banco pode emprestar muitas vezes mais do que o valor que ele tem em caixa e transforma 9 mil reais depositado por mim, em 100 mil para ele, em poucos minutos, apenas tirando de um e emprestando para outro.

Quando o Banco quer aumentar seus ativos ele simplesmente diminui os juros e dá a sensação a população que ela, agora, tem o poder de compra. As pessoas começam então a assumir dividas, a comprar bens financiados, até que o próprio banco cria um problema em grande escala, que acabamos chamando de crise financeira.

Eles aumentam os juros, com a explicação de conter a inflação, e as pessoas simplesmente não conseguem mais pagar suas contas, empresas começam a demitir funcionários e a fecharem as portas, o índice de desemprego aumenta e o povo fica endividado. Desta forma, o banco consegue reaver todo o dinheiro, retirando os bens dessas pessoas, aqueles que elas adquiriram em suaves prestações eternas, e acabam ficando com o dinheiro todo para eles, inclusive, prendendo as pessoas em dívidas que só aumentam.

Quando acontece a crise, todos nós, simples mortais, pagamos o preço, enquanto os bancos, que são os verdadeiros culpados, acabam sendo salvos pelo governo. E continuamos nessa roleta russa, escolhendo qual conta pagar enquanto os banqueiros se divertem e vivem vidas luxuosas as custas de todos nós.

O pior é que nem percebemos que estamos sendo controlados e manipulados. Nem percebemos que são eles quem decidem “quem” enriquecerá continuamente e “quem” continuará permanentemente a margem da sociedade.

Somos escravos de um sistema controlado por poucas famílias, como a Família Rockefeller, por exemplo. Alguém conhece?

Ao longo dos anos, a família Rockefeller usou de suas grandes fortunas para se manter influente no cenário político e econômico dos Estados Unidos. É considerada uma das famílias mais poderosas da história do país. Busquem saber mais sobre as atrocidades que essa família cometeu e continua cometendo, é um verdadeiro atentado a humanidade. Apesar de o último neto de Jonh Rockefeller cabeça de tudo, David Rockefeller ter morrido aos 101 anos, em 2017, e seus 6 filhos e 10 netos não terem chegado a altura do pai, nem do avô, em termos de negociação e sadismo, é provável que casamentos realizados entre essas famílias façam com que elas permaneçam com o poder nas mãos indeterminadamente.

De acordo com a história que poucos sabem, essa família, junto com os Morgans,e outras poucas, são responsáveis por dominar todas as áreas que são essenciais para a sobrevivência das pessoas no mundo. Eles controlam a água, a energia, a industria farmacêutica e a alimentícia. Por tanto, eles controlam o mundo. E possuem muitos inimigos que também desejam controlar o mundo, fator determinante para que aconteçam tantas guerras e tantas mortes.

Sugiro que leiam mais sobre as atrocidades dessa família no site Página Global: “David Rockefeller (foto capa) dominou a política externa dos Estados Unidos e as incontáveis guerras na África, América Latina e Ásia. A facção Rockefeller criou a Guerra Fria contra a União Soviética e a OTAN para tornar vassalos do ocidente uma Europa Oriental que revivia”, afirma a matéria.

Todos aqueles que tentaram mostrar ao mundo o que os banqueiros e os que possuem grandes fortunas fazem para exercer o controle do mundo, todos que vieram com ideias inovadoras sobre energia livre, sem a necessidade de exploração de petróleo, sobre a cura do câncer com produtos naturais que não exigem químicos farmacêuticos, sobre a produção de alimentos orgânicos, e sobre a importância da proteção dos aquíferos e da natureza em geral, foram ameaçados ou mortos ao longo da história, e até recentemente. Não é interessante para eles que tenhamos conhecimento e acesso a essas informações, visto que, se tivermos, não poderemos mais ser controlados e dominados por eles.

O que vem assustando aqueles que já possuem conhecimento desse “plano de dominação” é as tentativas sucessivas de controle da internet. Único local onde as massas podem se manter informadas sobre o que vem acontecendo no mundo. Como ainda não conseguiram destruir essa tecnologia, apesar de alguns países controlados por ditadores já a terem proibido, acabaram criando o que chamamos hoje de “fake news”, e sabemos que não existe mais jornalismo, existem empresas de mídia, “patrocinadas” por grupos que detém grande parte do capital mundial.

O que interessa para eles que saibamos, é o que saberemos!

Muitos já estão acordando para essa realidade, mas poucos ainda possuem a coragem de falar sobre o assunto, já que esses grupos possuem capital suficiente para comprar quem quer que seja, inclusive os “presidentes” dos países que eles desejam explorar as riquezas.

Peço gentilmente e com todo o meu amor que vocês assistam esse documentário chamado PROSPERAR, ele explica todo esse esquema de dominação em massa que estamos e sempre estivemos sujeitos, e que todos precisam entender.

Desejo que um dia possamos viver em um mundo onde as pessoas não necessitem dominar umas as outras para se sentirem importantes e poderosas.

Espero que um dia todos nós tenhamos condições de prosperar sem que precisemos contribuir para que outros povos passem fome e necessidades básicas.

Sem que exista matança e projetos que visem a exterminação de raças justificado pela “cultura” de que uma raça é superior a outra, pois somos todos iguais perante a energia criadora de Deus!

Preparem a pipoca e concentrem-se, a dublagem está meio ruim, mas vale a pena cada segundo:

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!