Por que algumas pessoas mentem escancaradamente?

Há mil e uma razões para mentir. Há quem diga “ mentiras brancas ” para “proteger” o outro de uma dura verdade e há quem minta para evitar as consequências de seu comportamento. Mas também há pessoas que mentem desnecessariamente, pelo menos aparentemente.

Falar com quem mente escancaradamente, muitas vezes, é como andar na areia movediça, porque nunca sabemos quando estão apontando fatos, ou quando estão criando para se beneficiarem de alguma maneira.

No entanto, entender por que uma pessoa está mentindo desnecessariamente é o primeiro passo para levar a conversa para o reino da verdade.

As 3 razões mais comuns pelas quais as pessoas mentem

A mentira patológica não é um fenômeno recente. No início do século 20, o psiquiatra William Healy escreveu sobre um jovem paciente:

“Ao longo de nosso relacionamento com Adolf, sabíamos que sua palavra não era confiável. Muitas vezes ele contou a seus amigos mentiras bastante desnecessárias, o que não fez nada além de afetar sua opinião sobre ele. Suas invenções repetidas não serviram a nenhum propósito comprovável”.

Mentir desnecessariamente ainda é um hábito relativamente difundido. Um estudo realizado na Universidade do Texas, por exemplo, revelou que mais de 91% das 251 pessoas entrevistadas indicaram conhecer um mentiroso patológico. Essas pessoas acreditavam que aproximadamente 49% das mentiras não tinham motivo ou razão aparente.

No entanto, é importante notar que nossa incapacidade de encontrar razões para uma mentira não significa necessariamente que o mentiroso não tenha “razões” para sua desonestidade.

O fato de não encontrarmos um sentido racional para a mentira não implica a ausência de motivações. Para entender por que uma pessoa mente “desnecessariamente”, é essencial se colocar no lugar dela.

1. Chame a atenção para se sentir importante

Todos nós precisamos de um certo grau de atenção, validação e aprovação social, mas algumas pessoas tentam satisfazer essas necessidades de maneiras não naturais, recorrendo a mentiras.

Na verdade, mentirosos patológicos geralmente mentem para chamar atenção.

Se não recebem a quantidade de atenção que desejam, muitas vezes recorrem ao exagero ou mesmo à fabricação para impressionar os outros.

Em muitos casos, essas pessoas são apresentadas como heróis das situações, aventureiros intrépidos ou mesmo como pobres vítimas. Para dar força ao seu caráter, costumam construir histórias que beiram o fantástico, mas temperam com detalhes mais convincentes para chamar a atenção e serem percebidos como mais importantes.

Geralmente são pessoas preocupadas em perder o respeito ou a admiração das pessoas ao seu redor. Na verdade, muitas das pessoas que mentem realmente só querem agradar, impressionar e/ou ser valorizadas positivamente. Em vez disso, eles se preocupam que dizer a verdade alienará ou desapontará os outros.

2. Reforçar a autoestima frágil

Décadas atrás, o psiquiatra Charles Ford argumentou que quando as pessoas experimentam uma necessidade excessiva de melhorar sua auto-estima, podem recorrer à mentira, chegando até a estados patológicos.

Na prática, embora todos ao seu redor achem que é uma questão inconsequente, o mentiroso está convencido de que é uma questão crítica. Ele tem uma visão distorcida, o que o leva a enfatizar determinadas situações para ganhar relevância aos olhos dos outros e aumentar artificialmente sua autoestima.

Na verdade, descobriu-se que a maioria das pessoas que mentem desnecessariamente mentem sobre si mesmas. Isso indica que o conteúdo dessas mentiras é uma forma de reafirmação pessoal, para escorar uma autoestima frágil.


3. Confunda a mentira com a verdade

Na mente da pessoa que mente desnecessariamente, as fronteiras entre realidade e fantasia geralmente não são muito bem definidas. De fato, nossas memórias em um sentido geral geralmente não são muito confiáveis.

Nossa memória está sujeita à influência de muitos fatores, por isso não é incomum sofrermos de alguma forma de dismnésia ; isto é, que nossas memórias mudam ao longo do tempo, pois são reconstruídas cada vez que as recordamos.

Essas sutis distinções entre o que aconteceu e as reinterpretações que fazemos dos fatos podem levar uma pessoa a dizer coisas que não são verdadeiras, mas que em sua imaginação eram ou pelo menos gostariam que fossem.

Essas pessoas tendem a remodelar continuamente seu passado, então suas versões do que aconteceu estão mudando constantemente à medida que adicionam detalhes que nunca aconteceram.

Às vezes, essa tendência pode se tornar tão intensa que quase parece que a pessoa recriou um mundo paralelo em sua cabeça, um passado mutável que se adapta às suas necessidades e crenças atuais.

Como lidar com uma pessoa que mente desnecessariamente?

Obviamente, lidar com uma pessoa que mente desnecessariamente – pelo menos do nosso ponto de vista – é muitas vezes frustrante. No entanto, vale a pena analisar seu comportamento a partir da teoria tripartite da desonestidade.

De acordo com essa teoria, as pessoas mentem quando esperam que essa mentira lhes traga algum valor, pensam que as chances de os outros perceberem são pequenas e assumem que os custos da mentira, tanto social quanto internamente em termos de culpa ou constrangimento, são baixos ou toleráveis.

Isso significa que, embora nos pareça que uma pessoa mente desnecessariamente, na realidade há uma razão que não podemos ver.

Portanto, se queremos entendê-la, devemos nos perguntar por que essa mentira é importante para ela, por que ela precisa ou o que quer ganhar.

As pessoas não costumam mentir desnecessariamente, o que acontece é que muitas vezes achamos suas razões absurdas.

Se quisermos estabelecer um relacionamento baseado na honestidade, em vez de apontar suas mentiras e fazê-los se sentir encurralados, podemos perguntar: Por que isso é importante para você?

Comunicar empatia pode ajudar essa pessoa a baixar suas defesas e entender que pode dizer a verdade porque não corre o risco de ser julgada ou rejeitada.

Fontes:

Hart, CL & Beach, R. (2022) Você já conheceu um mentiroso patológico? Pt: Psicologia Hoje.

Ford, CV (1996) Mentiras! mentiras!! mentiras!!!: a psicologia do engano . Washington, DC: American Psychiatric Press.

*DA REDAÇÃO SAG. Com informações RT. Foto de Vince Fleming no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!