Existe um poema de Mia Couto “PARA TI” que é de uma sensibilidade gritante, as palavras representam pessoas que amam intensamente a ponto de esquecerem de si mesmas e acabam dedicando a sua vida a outra pessoa.

O poema representa aquelas pessoas que, quando amam, dizem:

“Eu não consigo viver sem você!”

“Você é a razão da minha vida”.

“Sem você a minha vida não teria sentido”.

A verdade é que esse tipo de amor hiperbólico é bonito nas linhas de um poema, mas na prática é o retrato de uma vida invalidada por um conceito de amor que adoece.

Leia o poema do Mia Couto antes de continuar:

“Foi para ti que desfolhei a chuva, para ti, soltei o perfume da terra, toquei no nada, e para ti foi tudo.

Para ti, criei todas as palavras e todas me faltaram no minuto em que talhei o sabor do sempre.

Para ti, dei voz às minhas mãos, abri os gomos do tempo, assaltei o mundo, e pensei que tudo estava em nós.

Nesse doce engano de tudo sermos donos, sem nada termos, simplesmente porque era de noite e não dormíamos, eu descia em teu peito para me procurar, e antes que a escuridão nos cingisse a cintura, ficávamos nos olhos, vivendo de um só, amando de uma só vida.” – Do livro “Raiz de Orvalho e Outros Poemas”.

A intensidade como amamos um outro ser humano nos coloca mais próximo dele e mais longe de nós mesmos.

Precisamos ficar atentos a forma como amamos e como entendemos o amor romântico. Caso contrário, nos entregaremos por inteiro a um amor pela metade.

Enquanto procurarmos a “metade da laranja”, nunca seremos inteiros.

É preciso se tornar inteiro antes de se relacionar com um outro ser humano.

É preciso que o outro também esteja inteiro na relação para que não sintamos que sem ele, algo nos falta.

Enquanto nos faltar uma parte, não seremos felizes em uma relação amorosa. Precisamos alimentar a nossa autoestima, o nosso amor-próprio, a nossa intenção e entender quais são as nossas necessidades, antes de nos relacionarmos com alguém.

Se não sabemos o que podemos oferecer ao outro e o que desejamos receber, simplesmente acabamos nos jogando em um vale escuro e ao cairmos nesse penhasco tão alto, não haverá condições de encontrar lá no fundo algum sobrevivente.

Aprenda a se amar mais do que a qualquer outro ser vivente.

Aprenda que o amor não exige renuncias e sofrimentos para existir, ele exige apenas que estejamos inteiros uns para os outros.

Para que o amor aconteça e nos traga felicidade precisamos mais do que mil palavras, precisamos de atitudes recíprocas. Palavras nunca faltam quando estamos inteiros um para o outro.

Amor é sobre honestidade de sentimentos, respeito as individualidades, é sobre nunca machucar o outro naquilo que ele mais precisa: o amor.

*Foto de Jonathan Borba no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA e SEU AMIGO GURU. Neurocoaching e Mestr em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram.