Nossos filhos não são nossos! Temos a missão de cuidar, criar, e educar…. Depois que crescem, e criam asas, eles precisam voar, seguir os próprios caminhos, formar as próprias famílias, e não temos o direito de interferir nesse processo evolutivo, da vida, que escolheram construir.

Temos que aceitar as suas escolhas, abraçar suas experiências, mesmo que não concordemos com elas.

Os filhos pertencem ao mundo, e precisam encarar as benesses e as dificuldades dessa nova fase adulta, sem que os carreguemos no colo, pois ali… eles não cabem mais.

Os pais que insistem em controlar a vida dos filhos adultos fazem um desserviço, pois acabam por transforma-los em marionetes dependentes, que não aprendem a resolver conflitos e possuem graves problemas em se relacionar afetivamente.

Muitos pais possuem um egoísmo latente, e não querem, de maneira nenhuma, que seus filhos cresçam e se tornem adultos, ou fingem querer, mas na prática, controlam tudo a todo instante, dando a desculpa de que estão preocupados e com saudades.

Os pais que muito se preocupam e que sentem profunda saudade do tempo em que os filhos moravam em suas casas, acabam afetando gravemente, os mesmos, psicologicamente. Atitude que os levam a desacreditar dos próprios potenciais e das próprias capacidades.

Pais que assumem essa postura, que não conseguem viver longe dos filhos adultos, que precisam opinar constantemente na vida deles, que querem saber de cada passo deles… precisam buscar ajuda na terapia para que possam entender, definitivamente, o mal que podem estar causando, caso a necessidade seja invasiva e constante…

E quem sabe, com a ajuda da terapia, finalmente, decidam dedicar-se a própria vida… de agora em diante, respeitando quem o filho se tornou, sem a necessidade de se orgulhar, apenas, respeitar. Mas… se insistirem nos olhos de julgamento e nas cobranças… a relação só tende a se afastar, mais e mais.

Mães e pais que vivem a Síndrome do Ninho Vazio

De repente, que não foi tão de repente assim, o filho resolve se casar, ou mudar de cidade para viver uma oportunidade de emprego, ou simplesmente, decide viver a própria vida, viajar pelo mundo e conhecer novas culturas.

Um sentimento de vazio toma conta da mãe que não quer que o filho cresça, do pai que estava acostumado a dar ordens e impor suas vontades, e agora, sentem que não possuem nenhum controle sobre o filho ou a filha que se sentem donos do próprio nariz.

Nada mais natural, não é mesmo? Já que a nossa função como pais, nesse mundo, é guiar os filhos até a vida adulta, para que saiam vencedores no mundo e para que vivam felizes com suas escolhas.

Os homens também sofrem com a “síndrome do ninho vazio”, mas são as mulheres que ficam mais transtornadas.

Elas querem continuar cuidando das roupas dos filhos, querem que eles cheguem na hora certa para o jantar, querem que eles passem todas as datas importantes ao seu lado, mas isso não vai mais acontecer, principalmente se o filho (a) já tiver a sua própria família, esposa e filhos.

Para essa mãe controladora e possessiva entender que não terá mais os filhos nessas datas, é muito difícil, ela sofre, faz drama, cai em depressão e não percebe o mal que está causando, tanto para o filho quanto para a sua nova família!

É preciso aceitar e entender os processos da vida e deixar que os filhos sigam o caminho que escolheram!

Se você se sente assim, com o ninho vazio, busque ajuda terapêutica, mas não perturbe a paz dos seus filhos!

Você já teve o seu momento de alçar voo, agora é a vez deles! Não tire isso deles! Não seja quem vai atrapalhar esse momento tão bonito que é o de “se responsabilizar” na vida adulta, e viver, mesmo que com certas dificuldades e, às vezes, constantes alegrias, momentos que só a vida adulta pode oferecer.

Os pais que não aceitam a partida dos filhos podem transformar a vida adulta dos mesmos, em um inferno. Cheia de cobranças, de imposições, de controle, e essas atitudes podem, definitivamente, destruir o relacionamento de ambos, já que os filhos gritam por liberdade, e esta liberdade não significa falta de amor, mas uma evolução para eles.

Seus filhos não precisam mais de você, e você, internamente, quer que eles precisem, então começa a criar mil oportunidades para que eles tenham que voltar a morar com você?

Isso é o pior que pode acontecer! Não faça isso!

Torça para que o seu filho seja bem-sucedido naquilo que ele escolheu e com a pessoa que ele escolheu!

Não force situações para que ele volte para casa, ele percebe isso, e se entristece muito. Mesmo que as escolhas dos seus filhos não tenham sido as que você faria, isso também tem um motivo de ser: isso acontece, justamente, porque eles não são você!

Se eles tivessem escolhido o que você queria que escolhessem, eles não seriam felizes, porque da felicidade deles… só eles sabem.

Pense nisso e busque ajuda terapêutica!

Você precisa buscar novos objetivos para a sua vida, e deixar de viver a vida dos seus filhos! Agora eles podem se virar sozinhos, são adultos, repita isso sempre, para que você se lembre de que eles não são mais crianças e que você não precisa mais cuidar deles.

Dedique-se a sua própria vida agora, fazendo isso, seu filho se orgulhará de você e se sentirá livre para viver a vida do jeito que ele escolheu, e quando ele se sentir livre de ser quem você quer que ele seja, aí assim, estará plenamente feliz!

Afinal, ninguém consegue ser feliz plenamente se a mãe ou o pai se mostra infeliz com a nossa escolha.

Se você quer que seu filho seja feliz, deixe-o voar, deixe que ele seja quem ele quer ser e deixe ele viver com quem e como ele quer viver!

Muitas vezes estamos tão mergulhados em nossas vontades e necessidades egoístas que não conseguimos enxergar que nossos filhos estão muito bem, obrigada! Começamos a criar mil problemas que não existem, e não percebemos que os problemas deles estão sendo causados por nós, pela nossa carência.

E outras vezes, até esse fato (de eles estarem bem, sem a gente), nos faz sofrer. Isso parece loucura, né? Mas, acontece muito, em muitas famílias!

Por isso, se você se sente assim, busque ajuda psicológica, porque com certeza, você deve estar prejudicando a vida adulta dos seus filhos com suas cobranças de atenção e afeto excessivas.

Reorganize sua vida e viva tudo aquilo que não pode viver porque tinha que cuidar dos filhos!

Se o seu maior problema é não ter mais alguém para cuidar, para orientar, ou para se preocupar, busque cuidar de outras coisas ou foque em outros objetivos. Se não é a mesma coisa, tente lembrar de algo que te fazia feliz quando jovem e corra atrás de realizar (sozinha hem, sem pedir ajuda para o filho, com a intenção de que ele retorne, afinal, a ideia aqui é que você deixe ele viver a vida dele em paz e comece a viver a sua).

Procure não dar opiniões na vida deles sem que eles peçam!

A preocupação excessiva causa grandes danos psicológicos nos filhos adultos, eles se sentem incapazes e estão sempre na defensiva, tendo que dar explicações de cada passo, de cada decisão, como se não fosse permitido a eles, errar.

Loucura não acham?

Todos precisamos errar para amadurecer! É o fluxo natural da vida!

E se os pais estão a todo momento tentando evitar que os filhos errem, esse amadurecimento nunca chega!

Não se faça de vítima e nem tente deixar o seu filho culpado por querer viver a própria vida!

Sem perceber, a mãe ou o pai que sofrem da “Síndrome do Ninho Vazio”, acabam protagonizando grandes dramas, que refletem diretamente na estrutura e na base da nova vida escolhida pelo filho adulto.

A necessidade de estar com o filho é tão grande, que passa de um relacionamento saudável para uma relação doentia, de competição com a nova família que o filho formou.

Essa situação transforma a vida de todos em um “grande” inferno, que só terá fim quando essa mãe e esse pai resolverem buscar ajuda psicológica, ou então, quando eles entenderem que precisam aceitar as escolhas do filho, e enfim, cessarem as cobranças e interrogatórios.

Confie na educação que você deu e se liberte da necessidade de controlar e se preocupar!

O medo de que algo errado aconteça é muito grande, não é?

Mas como já foi dito, as coisas erradas precisam acontecer para que se instale a sabedoria em qualquer ser humano, e não será diferente com o seu filho. Ele vai precisar errar para aprender, e você precisa se libertar dessa necessidade de controle e dessa preocupação excessiva, que faz mal a você, mas muito mais para aqueles que estão sendo afetados por ela.

Seu filho(a) é adulto e vai utilizar das ferramentas que você deu a ele para superar qualquer adversidade! Isso o fará um homem ou uma mulher forte para defender a nova família que ele ou ela escolheu construir!

Orgulhe-se dele por isso, por não temer as adversidades e por querer ser um ser independente de você! Não lute mais contra isso!

Se esse texto te ajudou de alguma forma, deixe seu comentário!

Se ainda se sente mal, pare de se martirizar e busque ajuda psicológica ainda hoje!

Buscar ajuda vai transformar a relação de todos a sua volta, já que, se ainda anda agindo dessa maneira, essa que mostramos nesse texto, muitos a sua volta devem estar sofrendo por sua causa!

Pense nisso! E mude de atitude! Nossos filhos só irão nos amar de verdade se nós os libertarmos!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!