Enquanto não conseguir olhar teu ex amor bem dentro dos olhos sem alterar a respiração (seja por paixão, ciúme ou raiva) é melhor manter-se longe.

A amizade vem quando o amor se vai. Não me refiro a relacionamento… Enquanto há um relacionamento, defendo com unhas e dentes a premissa que só há amor quando há amizade, estou dizendo aqui quando acaba a relação.

Enquanto não acabar o amor, uma amizade sincera e torcida positiva muito raramente vai conseguir sobreviver.

Onde existe amor sufocado, contrariado, renegado, existe mágoa, ciúme e revolta.

Quando você puder sentar para tomar um café com seu ex parceiro e bater um papo bobo sobre trivialidades do dia-dia, então você estará curado.

Quando aquele “se cuida” e “seja feliz” for sincero, desprovido de segundas intenções e sem ciúme, então você terá superado.

Quando puder rir das lembranças e recordar com carinho, sem rancor e sem pesar, quando você puder contar a história dos dois sem remorso ou vontade de chorar, então terá finalmente entendido que tudo valeu a pena e foi exatamente como deveria ser.

E então seu coração estará cicatrizado e limpo, com espaço disponível para receber novamente o amor.

LEIA MAIS: Perdedores ouvem os demais, vencedores ouvem a si mesmos

Enquanto não conseguir olhar teu ex amor bem dentro dos olhos sem alterar a respiração (seja por paixão, ciúme ou raiva) é melhor manter-se longe.

A antítese do amor nunca foi o ódio…é a indiferença. Onde há muita raiva, ciúme, há amor adoecido na mesma medida.

Quando uma pessoa não ocupa mais o nosso coração, não nos ocupamos nem gastamos energia com ela, não queremos lhe chamar a atenção…ela se torna tão importante como qualquer outra pessoa.

Diga-me onde empregas tua energia, que te direi onde está teu coração.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Bruna Stamato
"Mãe, mulher, geminiana, maluca e uma eterna sonhadora!"