Transmitir às crianças a importância de agradecer, de “pedir por favor” ou dizer “bom dia” ou “boa tarde”, vai além de um simples ato de cortesia. Estamos investindo em emoções, em valores sociais e, acima de tudo, em reciprocidade.

Para criar uma sociedade baseada no respeito mútuo, na qual a civilidade e a consideração fazem a diferença, é necessário investir naqueles pequenos costumes sociais, aos quais, às vezes, não damos a importância que merecem. Porque a coexistência se baseia afinal na harmonia, naquelas interações de qualidade baseadas na tolerância, onde cada criança deve aprender desde cedo.

Sou da geração que pedia “bença”, do agrado e dos bons dias, da mesma que não hesita em dizer “sinto muito” quando é necessário. Qualidades que eu insisto em transmitir aos meus filhos, porque educar a ter respeito é educar com amor.

Um erro com o qual muitas famílias freqüentemente se deparam é acreditar que não precisa iniciar as crianças nessas regras de cortesia logo quando começam a falar. Agora, é interessante saber que o “cérebro social” de um bebê é tremendamente receptivo a qualquer estímulo, tom de voz e até expressões faciais de seu pai e mãe.

Acredite ou não, podemos educar uma criança em valores desde tenra idade. Suas habilidades são insuperáveis e devemos aproveitar essa grande sensibilidade em questões emocionais dos nossos pequenos.

Os neurocientistas nos lembram que o sistema neuronal de uma criança é geneticamente programado para “se conectar” com os dos outros . É mágico e intenso. Mesmo as atividades mais rotineiras, como alimentar-se, tomar banho ou vestir-se, tornam-se impressões no cérebro que prefiguram de uma maneira ou outra a resposta emocional que a criança terá no futuro.

O design de nossos cérebros, por assim dizer, nos faz sentir inexoravelmente atraídos por outros cérebros, pelas interações de todos ao nosso redor.

Assim, uma criança é tratada com respeito e que desde cedo já se habituou a ouvir a palavra “obrigado você “, ele rapidamente vai entender que este constitui um reforço positivo de grande poder e, sem dúvida, irá repetir lentamente.

É muito provável que uma criança de 3 anos de idade, cujo pai e mãe ensinaram a dizer obrigado, por favor ou bom dia, não entenda muito bem o valor da reciprocidade e do respeito que permeiam essas palavras. No entanto, tudo isso cria um substrato adequado e maravilhoso para que nasça uma linda flor depois das raízes fortes e profundas.

Afinal, a idade mágica entre 2 e 7 anos é o que Piaget chamou de “estágio de inteligência intuitiva”. É onde as crianças, apesar de subordinadas ao mundo adulto, vão gradualmente despertando para o sentido de respeito, para intuir aquele universo que vai além de suas próprias necessidades para descobrir a empatia, o senso de justiça e Claro, a reciprocidade.

**Fonte: La Mente es Maravillosa. Tradução e adaptação Iara Fonseca

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!