O sofrimento cresce e permanece quando você não quer aceitar a realidade

Quer parar de sofre? Primeiro, aceite que você ainda não quer deixar essa situação ir.

Não se permita acreditar em seus discursos para seus amigos, ou em suas promessas vazias para si mesmo,que finge que não se importa mais.

Mas antes, você precisa aceitar a realidade.

Aceitar que você ainda pensa no que aconteceu, aceite o seu coração aperta ao pensar nisso, aceite que há ainda muito o que precisa ser revisto e ressignificado por você.

Aceitar que, por mais que já tenha passado, eles ainda estão aí.

Você conhece aquele – aquele que surgiu na sua cabeça no segundo em que você leu isso, aquele que está ocupando aquele mesmo lugarzinho no fundo da sua mente.

É a pessoa que você pensa de vez em quando como um soco no estômago, aquela que você se permite lembrar em pequenas explosões dolorosas que fazem você estremecer.

Talvez ele ainda esteja em sua vida, ainda em seu telefone, ainda no perfil, que você digita tarde da noite depois de algumas taças de vinho e stalkeia um pouco demais.

Talvez o número dele não esteja no seu telefone há meses, mas não precisa estar, porque você ainda se lembra dele de cor.

Talvez ele não esteja lá, ninguém com quem você possa trocar ou rir, ou até mesmo, gritar com todas as coisas que você gostaria ter dito.

Talvez ele tenha desaparecido totalmente, mas você ainda não conseguiu deixá-lo ir.

Lembre-se que não depende de você, no entanto. Lembre-se de que você só pode controlar sua metade da equação e que não é seu trabalho decidir quando outra pessoa entrará e sairá de sua vida.

Você não pode forçar ninguém a ficar, ou se apaixonar por você, ou mesmo a ser seu amigo.

Lembre-se que sempre valerá a pena esperar pela pessoa que quer estar ali, que a sensação de ser querido será mil vezes melhor do que manter alguém refém.

Se você ainda está estendendo a mão, ainda agarrando a mão deles, ainda se agarrando aos últimos pedacinhos do que você tinha – saiba que isso está apenas atrasando sua dor e roubando a dignidade de vocês dois.

Nunca se contente com a pena de ninguém.

Então dê o primeiro passo e o segundo. Faça o que for preciso para que você possa começar a tomar as decisões, em vez de esperar a decisão dele.

Envie aquela mensagem final que você está adiando, porque você não quer admitir que realmente acabou.

Diga a ele o que você precisa dizer, não deixe nada em branco, diga as coisas das quais você não pode aceitar.

Exclua o número dele, o nome dele no seu feed, os e-mails antigos que você está salvando e lendo sempre que se sente muito, muito para baixo.

Purifique-se dele.

Peça aos seus amigos, tão gentilmente quanto puder, para ajudá-lo a esquecê-los.

Diga a eles que você não quer mais falar sobre essa pessoa. Lembre-se de que, o que você está negando é quase certamente óbvio para todos os outros, então deixe que eles sejam o espelho no qual você não quer se olhar.

Você está prestes a ter a mesma conversa pela centésima vez sobre o que sua última conversa significou, certifique-se de que há alguém para impedi-lo.

Deixe todos saberem que você quer ajuda para não cair em tentação novamente.

Deixe-o ir lembrando que haverá outro. Outro amor, outro projeto, outra paixão, mais uma noite no terraço bebendo vinho e fazendo o outro rir.

Haverá outra coisa que o consumirá – e pode até não ser uma pessoa. Se não for, talvez até melhor.

Lembre-se que isso não vai ficar para sempre como a grande coisa que te consome, e que este pode ser o ano de encontrar algo muito, muito melhor, se você abrir espaço para isso.

E lembre-se que uma vez que alguém se foi, ele se torna uma âncora, caso você fique desejando que ele volte.

Não passe mais um ano com o peso dele amarrado ao tornozelo, porque há muitas coisas maravilhosas para viver.

*DA REDAÇÃO SAG. Com informações TC. Foto de Naomi August no Unsplash. Título: Iara Fonseca

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!