Quantas vezes nós, mães, somos confrontadas com uma dor estranha no peito, um sentimento estranho e incômodo… uma sensação de pesar, e de repente somos surpreendidas por um telefonema da escola a avisar que o nosso filho não está a passar muito bem?

A madrugada já vai alta e a casa está mergulhada no silêncio. Aparentemente, todos dormem tranquilos. De repente, desperto de um sono profundo e imediatamente vêm-me as minhas filhas à mente. Levanto-me e vou verificar se tudo vai bem no quarto ao lado.

E qual não é minha surpresa ao constatar que a minha pequenina está a arder em febre? Ela está quietinha, mas a tremer de frio. O que aconteceu? Estava ótima na noite anterior a brincar alegremente.

Coloquei-a na cama, rezamos e ela deu-me o beijinho delicioso de boa noite. Tudo absolutamente normal. Mas de repente aquela febre alta… Consternada, pergunto-me a todo instante o que teria acontecido se eu não tivesse acordado no meio da madrugada.

Precisamente nesses momentos (e em tantos outros) é que uma mãe compreende que tem um sexto sentido especialmente aguçado para tudo o que envolve seus filhos.

Qual seria a explicação para uma mãe acordar de repente a meio da noite e literalmente salvar o seu filho de um mal maior, como aconteceu comigo?

Quantas vezes nós, mães, somos confrontadas com uma dor estranha no peito, um sentimento estranho e incômodo… uma sensação de pesar, e de repente somos surpreendidas por um telefonema da escola a avisar que o nosso filho não está a passar muito bem?

Ou então sentimos uma alegria contagiante sem motivo aparente, e descobrimos que algo muito especial estava a envolver o nosso filho?

Definitivamente, é como se um anjinho da guarda permanecesse ao nosso lado em incansável prontidão. Ou seríamos nós, mães, dotadas de asas?

Somos capazes de pressentir a quilômetros de distância quando uma amizade não será uma boa influência ou sentir como os nossos filhos se estão a comportar.

Uma mãe sabe sempre quando o filho está a mentir: pode ser pela simples expressão de um olhar a “fugir” ou a respiração um pouco mais acelerada que o usual… Ou simplesmente porque sabemos! Que seja em nível consciente ou inconsciente.

A minha mãe sempre soube e sabe tudo o que se passa dentro de mim, mesmo que eu me esforce em ocultar. E depois de me ter tornado mãe, constatei o quanto isso é verdadeiro: sei como as minhas filhas se sentem só pela voz ao telefone…

Ser mãe é ter uma sensação de pertencer ao universo das suas crias o tempo todo.

É ter uma sabedoria que vem do coração.

Ser mãe é um sacerdócio, uma paixão enlouquecida, um amor entranhado na alma, uma doação sem fim…

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Marcella Bisetto
Sou advogada, blogueira e escritora.Tenho uma página no Facebook e outra no Instagram, chamadas "Mami aos 43" @mami_aos_43 (fui mãe pela segunda vez aos 43 anos, sem realização de tratamento médico, de forma natural). Além das minhas páginas em Português, tenho outras duas páginas, também no Facebook e no Instagram, chamadas "Una Mamá de Brasil" @una_mama_de_brasil, em que só escrevo em Espanhol. E agora estou divulgando meus textos também via PodCast (histórias envolvendo meu dia a dia de mãe, que podem ser encontradas no Spotify e ITunes, bem como no meu site (www.mamiaos43.com.br).