O perfil psicológico de quem se intromete no relacionamento dos outros!

Todos nós temos uma opinião. É aconselhável saber quando dar e quando calar a boca. Na verdade, quando se trata de assuntos tão pessoais quanto de relacionamento, o mais sensato a fazer é não dar opinião, a menos que nos peçam conselhos.

Infelizmente, há pessoas que não se limitam a opinar, mas interferem na vida e no relacionamento, causando sérios danos. Essas pessoas não apenas acreditam que têm o direito de julgar a vida afetiva e pessoal, mas podem caluniar ou semear a discórdia de modo que acabemos nos separando ou perdendo o emprego por exemplo.

Na verdade, existem muitas maneiras de se intrometer. Nem sempre são ataques diretos à pessoa, muitas vezes são dardos envenenados que são lançados continuamente.

Pessoas intrometidas, por exemplo, podem enfatizar todas as necessidades que nosso parceiro não satisfaz plenamente. Ou podem nos dizer que estamos investindo muito no relacionamento ou nos lembrar que podemos aspirar a melhores opções. Elas lançam uma guerra de desgaste na qual o objetivo é minar o nosso relacionamento, atacando seu valor.

A tendência de sabotar os relacionamentos de amigos e familiares

Agora, um grupo de psicólogos das universidades da Califórnia e Azusa Pacific analisou o perfil psicológico de pessoas que tentam sabotar os relacionamentos dos outros. Esses pesquisadores pediram a 1 206 pessoas que pensassem em um amigo que estava atualmente em um relacionamento amoroso do qual elas não gostavam ou desaprovavam. Em seguida, eles tiveram que indicar quantas vezes eles interferiram no relacionamento daquele casal e, em seguida, eles preencheram um questionário de personalidade.

Em uma segunda parte, eles recrutaram outras 2.180 pessoas e pediram que selecionassem um membro da família que tinha ou estava em um relacionamento de que não gostavam. Esses participantes também indicaram quantas vezes interferiram no relacionamento e preencheram um teste de personalidade.

Os psicólogos descobriram que as pessoas com maior tendência a interferir nos relacionamentos de amigos ou familiares compartilhavam dois traços da “tríade sombria” de personalidade.

Qual é a tríade?

Em 2002, os psicólogos Delroy Paulhus e Kevin Williams investigaram as mentes daqueles que popularmente se qualificariam como “pessoas más” e descobriram uma série de características comuns que eles chamaram de “tríade sombria da personalidade”. Esse núcleo sombrio da personalidade é composto de narcisismo, psicopatia e maquiavelismo.

Especificamente, as pessoas que tentam se intrometer nos relacionamentos românticos de pessoas próximas compartilham duas características: narcisismo e psicopatia.

O narcisista é caracterizado pelo egoísmo e pela necessidade constante de reconhecimento e admiração dos outros. Acreditam ser especiais e precisam de atenção constante, por isso podem sentir ciúmes daquele “outro” que tira o carinho do amigo ou familiar.

Por isso, tendem a acreditar que têm o direito de interferir nas relações das pessoas que compõem seu círculo de confiança: os amigos mais próximos e familiares.

De certa forma, “eles se sentem autorizados a influenciar negativamente relacionamentos de que não gostam”, explicam os pesquisadores.

Os narcisistas acreditam que ” sabem o que é melhor para os outros ” e se sentem no direito de destruir relacionamentos que podem obscurecê-los.

Por outro lado, as pessoas com traços psicopáticos são caracterizadas por sua insensibilidade emocional e falta de empatia. Essa característica os torna manipuladores por excelência dos sentimentos dos outros.

“Pessoas com tendências psicopáticas podem gostar de interferir negativamente no relacionamento de um amigo ou parente porque quer prejudicar o parceiro romântico que não gosta muito. O dano sofrido pelo ente querido é considerado apenas dano colateral”, segundo os pesquisadores.

Muitas vezes, essas pessoas também não têm sentimentos de culpa e agem impulsivamente. Elas não hesitam em burlar códigos morais ou éticos se atingirem seus objetivos.

No entanto, vale esclarecer que essas pessoas não sofrem de transtorno de personalidade, apenas apresentam o que se denomina traços de personalidade acentuados. Em outras palavras, elas podem ter uma tendência narcisista ou psicopática mais acentuada do que outros, mas sem cair na psicopatologia.

Como você reage às pessoas que se intrometem em sua vida e seus relacionamentos?

O relacionamento é uma questão que só interessa aos dois. Se de fora percebermos que uma pessoa se intromete demais nessa vida íntima, é importante agir rapidamente, mas com cautela.

Em primeiro lugar, devemos nos perguntar se a perspectiva deles é válida. Em última análise, o envolvimento emocional em um relacionamento pode nos impedir de ver certos comportamentos tóxicos que podem estar nos prejudicando. Portanto, é importante refletirmos sobre a possível veracidade de seus comentários.

Porém, se pensamos que o objetivo dessa pessoa é sabotar um relacionamento equilibrado, saudável e satisfatório, é importante acabar com isso antes que seja tarde demais. É melhor ser franco, sem ser rude, mas tomando cuidado para não deixar espaço para interpretações ou interferências futuras.

Impor limites claros e se possível promover um afastamento progressivo.

Fontes:

Collisson, B. et. Al. (2021) Amigos e família intrometidos: traços de Dark Tetrad predizem interferência nos relacionamentos românticos de casais não amados. Jornal de Relações Sociais e Pessoais ; 38 (7): 2008-2028.

Paulhus, D. & Williams, KM (2002) The Dark Triad of Personality: Narcisism, Machiavellianism, and Psychopathy. Journal of Research in Personality ; 36 (6): 556-563.

*DA REDAÇÃO SAG. Com informações RT. Photo by Dmitry Vechorko on Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!