Você é uma pessoa incrível, nunca tenha dúvidas disso, mas saiba que nem todos vão te aceitar como você é, nem estarão do seu lado por este motivo.

Para alguns, você será útil por um tempo, e esse seu jeitinho de ser, tolerável, mas a sua fortaleza interior sempre te informará que apesar de não ser amada(o), aplaudida(o), admirada(o), ou reconhecida(o) por todos, Deus te fez único, com habilidades pra lá de incríveis e com uma capacidade absurda de passar pelos piores desertos emocionais e sobreviver a cada desafio da vida, coisa que poucos se interessarão em saber.

Li em um livro a pouco tempo que leões livres não brigam com leões enjaulados, e que às vezes, por serem tão treinados a viver na selva, se compadecem dos que se encontram presos e sem preparação alguma para enfrentarem os seus próprios medos.

O animal enjaulado quando encontra a jaula aberta quer sair, quer viver, quer ser livre, mas sempre voltará para o mesmo lugar que o aprisiona por não saber qual direção tomar.

É para a liberdade que Cristo te libertou, e voltar para o que desconforta a sua alma só para fazer com que alguém entenda o seu valor, te ame e queira estar do seu lado é o mesmo que negar a sua própria identidade.

O povo de Israel esperou por anos a sua liberdade, mas quando se viram livres desejaram voltar para o Egito. Não se esqueça de quem você é por nada nessa vida, nem do que você já teve que enfrentar para ser quem você é.

A satisfação de se ter uma história vivida, vencida e com boas experiências a serem contadas, tem que ser sua, de mais ninguém.

Se respeite, e não permita que nada venha te fazer duvidar de você, nem do tanto que você é importante pra Deus e para aqueles que realmente gostam de você.

*Texto de Cecília Sfalsin.

“Quem não te aceitar, não te merece. Você precisa ser mais você e aceitar que a sua diferença é o que te torna único”. Iara Fonseca

RECOMENDAMOS









CECILIA SFALSIN, EVANGÉLICA, Filha do Deus altíssimo. Autora dos livros: Seguir em frente e Minha vontade de vencer é maior. Desprendida, é assim que me descrevo. Levo a vida com delicadeza, e as letras como um escape das rotinas e dos encargos que os dias nos obrigam a assumir. Sou quase amável, cristã, e apaixonada pelo autor da fé e da vida, Jesus.