Não quero elogio falso; ninguém me empurrando ladeira abaixo.

Só quero viver a vida que escolhi com gratidão no peito.

Não quero ensaiar palavras e nem dizer muitas vezes o que penso.

Prefiro o silêncio e o coração sabendo que já relevou muita coisa e que também aprendeu a seguir em frente.

A vida passa depressa e todo laço de encorajamento, de luz, e esperança, fazem o caminho do entender ser menos tenso internamente.

E se hoje já não reparo em atitudes que querem somente chamar a atenção, é porque já deixei muita coisa pra lá.

O que me salva dos muros são as pontes, o que me salva todos os dias é é o amor de Deus.

E se poucos ficaram é porque são eles os essenciais.

Não faço questão de abrir espaço pra quem me fez sofrer.

Cada um que siga sua vida, cada um que encontre sua própria saída.

Eu tenho encontrado a minha.

Cada respiro mais profundo me leva à uma dimensão superior.

Não é revanche; é paz interior.

É consciência das marcas e das lutas.

Aprendi o que é superação, superando!

Por isso não preciso mais de elogio falso e muito menos me apego em pessoas que ficam me empurrando ladeira abaixo!

Com Contribuição de Iara Fonseca

“Quando eu aprendi a dizer não e a saber exatamente o que não quero para mim percebi que ser feliz é simples!

“Só quero viver a vida que escolhi com gratidão no peito”. Sil Guidorizzi

Não espero muito da vida, já não faço tantos planos, me reservo ao direito de ser quem eu sou e isso já é uma enorme conquista!

Não me apego a elogios vazios, cheios de segundas e terceiras intenções, geralmente escusas, mas facilmente percebidas por corações mais atentos.

Não me fragilizo com críticas vindas de corações doentes, porque aprendi que a boca fala o que o coração está cheio.

Não me deixo vencer pelas sombras que ainda mantenho dentro, pelo contrário, as acolho, as aceito e as transformo em algo bom para mim e para os outros.

Não sou perfeita e adoro isso, porque sei que ninguém é, então por que eu teria que ser?

Esse simples entendimento me deu uma liberdade que eu chamo de felicidade, me permitiu ser feliz agora, mesmo que nada esteja certo, mesmo que nada seja perfeito, porque eu finalmente vi beleza na imperfeição e isso foi divino!

Ser feliz é simplesmente saber brotar todos os dias! Mas não dá para brotar sem plantar a semente, portanto, ser feliz é saber plantar sementes sadias todos os dias!

Mas não dá para plantar sementes sadias sem terra e adubo! Portanto, ser feliz é saber adubar e arar a terra todos os dias!

Mas não dá para adubar e arar a terra sem trabalho suado, sem sol e chuva! Portanto, ser feliz é saber, ser sol quando a sombra nos murchar, ser chuva quando o coração secar, e trabalhar todos os dias!

Ser feliz é simples! Basta seguir em frente, mesmo com medo de raios e trovoadas, mesmo cansados, mesmo quando as situações e o clima desfavorecem.

Ser feliz é ter fé de que a cada manhã, coisas incríveis acontecerão, e que só nós teremos a oportunidade de vivê-las!”

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me â tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.