Nada é mais perigoso que um idiota com iniciativa!

Lembra daquele seu amigo burro do Ensino Médio? Aquele que só conversava de um assunto e odiava todas as matérias? Aposto que hoje ele adora compartilhar opiniões no Facebook.

Aborda temas políticos, criminologia, porte de armas, aborto, feminismo, comunismo – enfim – a própria enciclopédia Barsa comentada.

O que aconteceu com aquele singelo ignorante do passado?

Ele passou a acessar a Internet.

Lá encontrou uma po#rada de textos curtos com explicações rasas sobre tudo que existe. “Por que [email protected] complicaram tanto na escola se esse blog me ensinou o que é capitalismo em 30 linhas?”, ele se pergunta orgulhoso das noções recém adquiridas.

Continua burro, mas agora iludido pela (des)informação.

Sua falta de senso crítico o impede de notar que as grandes questões requerem um pouco mais de esforço intelectual, algo que ele sempre se mostrou incapaz de fazer. E não entende o tanto que isso pode ser perigoso.

O pior é que esse cara logo se envaidece com o nível de conhecimento que julga ter adquirido.

Olha-se no espelho e pensa: devo compartilhar com todos a sabedoria que adquiri lendo essas duas laudas.

Vai para as redes sociais com suas sentenças prontas e arrebanha outras almas semelhantes, mais gente orgulhosa do próprio “saber”.

Gente que reduz um problema complexo a uma frase de efeito. E não percebem o quanto estão propagando uma cultura idiota.

Antes o idiota era passivo, mas a Internet o deixou cheio de si.

O ser que surge desse contexto é o maior problema do século XXI.

Em breve ele fará um grande mal à humanidade uma vez que nada é mais nocivo que um idiota com iniciativa.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Pedro Schmaus
Pedro Schmaus, jornalista e historiador.