Na maioria das vezes, prefiro falar com o meu cachorro do que com uma pessoa.

Os animais são capazes de tocar partes muito íntimas do nosso coração. Tanto quem muitas vezesm preferimos falar com eles do que com outras pessoas, pois eles não nos julgam e são nossos cúmplices silenciosos.

Qualquer um que compartilhe sua vida com um ou mais animais que adoram, já teve esse pensamento. No entanto, socialmente, ainda é um pouco desconcertante ver alguém conversando com seu cachorro ou gato.

Agora, a verdade é que, claro, não temos conversas com eles. O que fazemos é interagir com nossos amigos peludos de uma forma muito particular: expressamos frases e perguntas curtas, além de elogios engraçados e comentários cheios de carinho. Essa dinâmica de conversação é tão benéfica para os próprios animais quanto para nós.

Quando um animal de estimação se torna nossa família, precisamos verbalizar nosso amor. Também certos pensamentos. Por isso, é comum e até necessário se comunicar com eles. Porque além do que alguns podem acreditar, eles nos entendem. E o que é ainda mais fascinante, em muitos casos eles até respondem aos seus olhares.

Algumas pessoas falam com seus animais de estimação como se eles fossem bebês. Apesar de parecer ridículo… É um instinto inato que favorece o vínculo com o animal e que também nos traz grandes benefícios psicológicos.

Muitas vezes, embora os animais não nos entendam, eles nos respondem com seus gestos e olhares.

Há algo óbvio sobre nossos animais. Embora, às vezes, eles não entendam o que dizemos, eles nos respondem. Eles fazem isso inclinando a cabeça, olhando para nós com seus olhos expressivos ou fazendo um som.

O simples ato de nos ouvir, estar presente e nos fornecer algum tipo de resposta não verbal já é gratificante para qualquer um.

Quando alguém diz “prefiro falar com meu animal de estimação” é porque o mundo das relações humanas é sempre excessivamente complexo.

Existem problemas de comunicação e dinâmicas relacionais que podem nos levar à decepção ou ao estresse.

Às vezes, é mais agradável para nós, por exemplo, conversar com nosso gato do que com aquele patrão que sempre grita de volta para nós.

Também será mais gratificante para nós dizer ao nosso cão o quanto o amamos do que passar o dia com aqueles parentes narcisistas que nunca nos levaram em consideração.

O mundo dos humanos é muitas vezes caótico. Enquanto a dos nossos animais de estimação é muito básica, só o carinho, a atenção, as brincadeiras, a companhia importam … Tudo isso significa que certas características únicas são construídas com os animais que vale a pena explicar.

A Universidade de Viena realizou um estudo sobre a ligação dos cães com as pessoas.

Estamos em um momento em que a vida humana e animal está muito entrelaçada. Os cães são aquela espécie que foi domesticada por mais tempo e compartilhando a vida conosco. Os laços construídos com eles são muito fortes e, portanto, a cumplicidade que podemos gerar com eles é muito intensa.

A comunicação com os cães é fundamental para educá-los, estabelecer relações de poder saudáveis ​​e facilitar a convivência.

Não há nada negativo ou censurável em falar com eles. É necessário porque eles são, afinal, mais um membro da unidade familiar. Amigos e colegas que se tornam nossos aliados diários.

Os cães precisam que nos comuniquemos com eles. Entender ordens e receber reforços a todo momento facilita a convivência.

Discurso emocional com animais, um recurso enriquecedor

A ideia não é ter um diálogo profundo e esclarecedor com o animal. O que procuramos é uma interação positiva, carinhosa e emocional com o nosso cão e o nosso gato.

Além disso, a forma como falamos com os animais é muito semelhante à forma como falamos com crianças pequenas.

Costumamos usar frases curtas e em um tom mais alto. Além disso, articulamos as palavras lentamente e usamos, em geral, quase sempre as mesmas expressões com elas: “quem é o gato mais bonito do mundo? Quem é o cachorro mais inteligente? Você sabe o quanto sua mãe ou seu pai te ama?

Da mesma forma, também realizamos outros tipos de comunicação.

Muitas vezes, nos limitamos a pensar em voz alta, jogando argumentos no ar quando os temos ao nosso lado. “Já tenho o suficiente para hoje, fechando o computador, não vou fazer mais nada”, “temos que ir ver como está o mundo!”.

É evidente que nossos animais não entendem esses comentários, mas nos respondem com os olhos. Eles nos ouvem e estão lá, ao nosso lado.

Só de serem nossos cúmplices já é um dom e algo que nos beneficia mentalmente.

O meu cachorro, ao contrário das pessoas, não me julga.

Suas necessidades são muito básicas, basta que lhes ofereçamos carinho, segurança, comida e companhia. Em troca, eles nos oferecem amor incondicional.

Nicholas Epley é um cientista comportamental e autor do livro Mindwise: Why We Misunderstand What Others Think, Believe, Feel, and Want. Neste trabalho ele explicou que falar com qualquer tipo de animal é um sinal de inteligência. É porque é um esforço para reconhecer a presença de uma consciência em outro ser vivo e é também um ato de empatia.

Além disso, quem se comunica diariamente com seu animal, coloca em prática a teoria da mente. Ou seja, tentamos entender o universo mental alienígena, seus pensamentos e intenções. Quem convive com seus bichinhos sabe que eles sentem, entendem e se emocionam quase como nós.

Da mesma forma, se muitas vezes preferimos conversar com nossos animais de estimação, é porque eles não nos julgam. Eles nascem validadores emocionais, são puro amor e aceitação. Nossos amigos de quatro patas (também de penas) são nosso refúgio diário, figuras que só esperam receber carinho e não precisam falar para nos mostrar o quanto nos amam.

Se você gosta de conversar como seu cachorro, saiba que isso faz um bem danado.

*DA REDAÇÃO SAG. COM INFORMAÇÕES LMM. Foto de Daniel Leżuch no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!