Mulheres com maridos muito mais jovens morrem mais cedo porque passam por mais estresse. Estudo alemão sugere que diferença de idade de parceiros altera expectativa de vida.

A diferença de idade entre um casal afeta a expectativa de homens e mulheres de maneira muito diferente. Casar-se com um homem mais velho diminui a longevidade delas, mas ter um marido mais jovem a reduz ainda mais, aponta agora um estudo alemão.

A pesquisa chegou a essa conclusão após fazer uma análise histórica com 2 milhões de casais dinamarqueses, e concluiu que o melhor que uma mulher pode fazer é se casar com um homem da mesma idade.

Avaliações anteriores já haviam mostrado que homens vivem mais se têm uma companheira mais jovem, um efeito que os pesquisadores esperavam ver espelhado em mulheres que se casam com homens mais jovens, mas não foi esse o resultado que chegaram.

Sven Drefahl, do Instituto de Pesquisa Demográfica Max Planck, em Rosktock, na Alemanha, concluiu que, quanto maior a diferença de idade, menor é a expectativa de vida para o sexo feminino, independentemente de o marido ser mais velho ou mais jovem.

De acordo com Drefahl, um homem de sete a nove anos mais velho do que a companheira tem uma taxa de mortalidade 11% mais baixa do que um homem casado com uma mulher da mesma idade. Entretanto, uma mulher que é de sete a nove anos mais velha que seu marido tem um uma taxa de mortalidade 20% maior do que se estivesse com um homem da mesma idade que ela. Os pesquisadores acreditam que a razão para isso é o forte estresse que as mulheres sofrem diante dessas relações.

Pesquisadores costumavam pensar que indivíduos mais saudáveis estavam em melhor posição para escolher pares mais jovens e, assim, já tinham uma maior expectativa de vida. Uma mulher mais jovem também pode representar benefícios psicológicos a um parceiro mais velho, além de propiciar melhores cuidados na velhice. Mas Drefahl projeta dúvida sobre essas ideias, já que elas não se sustentam para mulheres que se casam com homens mais jovens.

– Essas teorias devem agora ser reconsideradas. As razões para a diferença de mortalidade permanecem incertas.

Parte da explicação pode estar na qualidade das amizades formadas por homens e mulheres ao longo da vida. Elas tendem a ter amigos mais próximos fora do casamento, então se beneficiam menos da presença de um parceiro.

– Ao contrário dos benefícios trazidos por uma mulher mais jovem, um marido mais novo não ajudaria a prolongar a vida de sua mulher por tomar conta dela, levá-la para um passeio, curtir a vida conjugal na velhice. Ela já tem amigos para isso. O homem de idade, por sua vez, não costuma ter – avalia Drefahl.

Enquanto o estudo mostra que mulheres morrem mais jovens se há uma maior diferença de idade em seus relacionamentos, tanto homens quanto mulheres casados tendem a viver por mais tempo do que seus pares solteiros. A expectativa de vida das mulheres, em geral, é maior do que a dos homens.

O estudo alerta as mulheres a atentarem para o estresse como forma de aumentar a sua expectativa de vida.

*DA REDAÇÃO SAG. Com informações GZH.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!