Muitos dizem amar, mas poucos têm responsabilidade afetiva.

O termo “responsabilidade afetiva” está sendo usado em relacionamentos para trazer a consciência de que se deve respeitar os sentimentos dos outros. No entanto, muitos afirmam ter responsabilidade afetiva quando, na realidade, o fazem de forma errônea ou deturpada porque não sabem o que esse termo significa.

O que é e o que não é responsabilidade afetiva

Como você se sente em seu relacionamento como casal? É feliz? Se você não tem vínculo afetivo com ninguém neste momento, olhe no retrovisor da sua memória. O que deu errado no seu último relacionamento? Foi comunicação, confiança, compromisso? A verdade é que, se colocarmos a maioria de nossos casos amorosos fracassados ​​sob um microscópio, descobriremos que existe um gatilho comum.

A responsabilidade afetiva é aquela matéria que nem todos dominamos adequadamente. E atenção, esta inaptidão mais ou menos latente é apreciada não só no âmbito do casal, mas também no das amizades e das relações familiares.

As injustiças emocionais acontecem quando não conseguimos dimensionar como as nossas atitudes e comportamentos afetam as pessoas que devemos amar.

São muitos os que gravitam nos territórios afetivos de forma autônoma e individualista. Esperam que a outra pessoa se adapte a ela, que se encaixe em seus padrões, em suas lacunas e arestas infinitas.

Por trás do “é que eu sou assim”, existe muito egoísmo e profunda imaturidade emocional; são essas pessoas que destróem qualquer relacionamento.

É importante falar sobre responsabilidade afetiva em tempos de fantasmas, laços frágeis e amor que nasce dos aplicativos móveis. Agora, de fato, é mais fácil do que nunca conhecer um número infinito de pessoas, mas o que não é mais tão fácil é encontrar um amor duradouro.

Atender às necessidades emocionais do outro não significa abrir mão ou negligenciar as nossas. É preciso encontrar aquele meio-termo em que cada um seja capaz de cuidar do outro respeitando a si mesmo.

Sem responsabilidade afetiva adequada nunca construiremos um relacionamento saudável.

O que é responsabilidade afetiva?

Ter uma responsabilidade afetiva adequada significa, acima de tudo, saber responder às necessidades da pessoa amada, sabendo que cada uma das nossas ações tem impacto no outro. Dessa forma, para aliar a linguagem do respeito e do afeto, deve-se dar atenção especial à comunicação, à empatia e ao cuidado com o vínculo.

Como é evidente, nem todos têm essa capacidade de resposta no campo dos relacionamentos. E se você não o tiver neste espaço, provavelmente não o terá em nenhum tipo de relacionamento. Porque a responsabilidade afetiva se alimenta basicamente de dois aspectos fundamentais: a inteligência emocional e o respeito interpessoal.

Se não crescemos com modelos parentais e educacionais válidos que nos ensinaram essas duas áreas desde muito jovens, é difícil estabelecer esse valor relacional.

Como nos explica o filósofo Tom Roberts em um estudo , as pessoas têm a obrigação de assumir a responsabilidade primeiro pelo gerenciamento adequado de nossas emoções, porque elas têm um impacto claro em nossos relacionamentos.

A responsabilidade afetiva é uma das ferramentas mais eficazes de que dispomos para navegar por esses territórios mais complexos, incertos e desafiadores em qualquer relação, seja de casal, amizade, família, etc.

1. Comunicação empática e assertiva

A comunicação respeitosa, empática e sincera é a base de qualquer relacionamento saudável. Portanto, saber como se dirigir ao outro implica cuidar da mensagem e da forma como ela é expressa. Não é necessário que medimos ao milímetro tudo o que queremos expressar, algo assim seria exaustivo, não há dúvida.

Trata-se apenas de criar uma harmonia relacional adequada em que o diálogo seja fluido, visando chegar a acordos e evitar reprovações. Comunicar é construir, é criar um espaço íntimo de respeito onde flui a confiança .

Da mesma forma, um antídoto óbvio para comportamentos fantasmas (sair de um relacionamento sem dizer nada) é, sem dúvida, aplicar esse princípio de responsabilidade e respeito. Algo assim implica, em todos os casos, saber expressar em todos os momentos o que se sente e quais são as necessidades de cada um em todos os momentos.

2. Respeito ao relacionamento, independentemente do tipo de relacionamento e seu status

Podemos estar em um relacionamento aberto com alguém, e no qual ficou claro que não queremos um compromisso firme.

Podemos até nos encontrar em um momento difícil e a ruptura está próxima.

A responsabilidade afetiva exige respeitar a outra pessoa em qualquer tipo de vínculo construído com ela, e em todas as circunstâncias (tanto nos bons momentos quanto nas crises).

Se concordamos em um relacionamento aberto ou poliamoroso , por exemplo, respeito e cuidado são essenciais para formar um vínculo saudável. Mas, a responsabilidade afetiva também é uma prioridade.

Pense, por um momento, sobre como você gostaria que os outros o tratassem. Esse é o melhor ponto de partida para entender o que é responsabilidade afetiva.

3. Estabeleça acordos e entenda que todo comportamento tem um efeito

Uma relação não é uma empresa, mas sim uma equipa e como tal exige acordos e regras internas. A responsabilidade afetiva implica saber quais são os limites e as necessidades de cada um.

Algo assim requer negociações e compromissos que, longe de serem contornados, devem ser esclarecidos o mais rápido possível para criar um mapa relacional que nos oriente corretamente em todos os momentos.

Além disso, apesar de ter esse guia e esses acordos, conflitos e diferenças interpessoais surgirão quando menos esperarmos.

O responsável afetivo entende que saber responder a esses momentos críticos de forma madura é fundamental. É então que precisamos daquela bússola emocional bem calibrada que nos guiará para navegar com sucesso nesses dias de altos e baixos.

4. O compromisso de cuidar do relacionamento

A responsabilidade afetiva implica entender que haverá momentos difíceis e que, em vez de desaparecer, escolheremos ficar e trabalhar nessa relação.

Comprometer-se com alguém não significa repetir a ele todos os dias que o amaremos para sempre, significa fazê-lo ver que cuidaremos desse vínculo com carinho, dedicação e coragem. Sem desistir de primeira.

Responsabilidade afetiva não é dependência emocional. Cada membro do casal deve primeiro ser responsável por suas próprias emoções.


O que é não ser responsável em questões afetivas

A essa altura, é muito provável que mais de um diga que “sim, sou uma pessoa com uma boa responsabilidade emocional”.

A verdade é que são pilares fáceis de compreender, são ideias de que gostamos e cuja música já nos soa familiar, mas que não é fácil de concretizar.

Embora nos seja difícil acreditar, muitos de nós entendemos a teoria e falhamos na prática.

Portanto, é importante fazer uma breve revisão do que não é responsabilidade afetiva:

Você não é responsável por absolutamente tudo o que seu parceiro sente e acontece. Muitas vezes, embora nossa comunicação, atitude e comportamento sejam os mais respeitosos e atenciosos, a outra parte pode não ficar feliz.

Existem vários fatores além do nosso controle.

Responsabilidade afetiva não significa negligenciar minhas necessidades para priorizar as do meu parceiro . Se há elemento que define esta dimensão é o equilíbrio, a igualdade e a reciprocidade. Amor não é sacrifício, amor é crescimento.

Ser emocionalmente responsável não o torna emocionalmente dependente. A maneira como a outra pessoa se sente deve importar para você, mas não determiná-lo a ponto de invalidá-lo.

Cada membro do casal é o principal responsável por suas próprias emoções. Ele os cuida e regula para seu próprio bem-estar e, posteriormente, para uma boa convivência com os demais.

Para concluir, poucos ofícios relacionais e de convivência são tão importantes quanto os referentes a esta dimensão. Todos devemos aguçar, aprimorar e fortalecer muito mais o pilar da responsabilidade relacional e nossa inteligência emocional.

*DA REDAÇÃO SAG. Com informações LLM. Foto de Charlie Foster no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!