Menina escreve pedido de socorro em prova : ‘Meu pai bate na minha mãe’

Cansada de ver a mãe apanhar, e sem coragem de falar sobre o assunto para outras pessoas por medo do pai bater nela também, a menina de 13 anos pediu socorro através de uma prova na sua escola.

Uma menina de 13 anos escreveu um pedido de socorro em uma prova da escola. Na declaração, a garota diz que a mãe é vítima de violência doméstica.

O caso ocorreu no município de Vale do Anari, interior de Rondônia. A foto com o recado viralizou nas redes sociais.

“Por favor, me ajuda. Meu pai bate na minha mãe. Chama pra mim a polícia”, dizia o recado deixado na prova.

socorro

De acordo com o portal G1, uma equipe da Polícia Civil foi encaminhada para o endereço que a menina escreveu na prova. Ao chegar na residência, no entanto, os agentes policiais tiveram que insistir pacientemente para que a mulher fosse retirada do ambiente de violência doméstica.

“Ela nunca denunciou as agressões. Quando a polícia era chamada lá, ela negava que era agredida. Ela está totalmente afetada emocionalmente por conta das agressões”, contou o delegado responsável pelo caso André Kondageski.

Entendendo o caso

Segundo o delegado que acompanha o caso, as agressões psicológicas e físicas começaram quando o casal ainda morava no Paraná. O agressor teria começado a culpar a mulher por conta da morte do primeiro filho deles e por conta disso começou a agredir a vitima física e psicologicamente.

“Eles tiveram um filho lá no Paraná, onde moravam. O bebê, que tinha entre um e dois anos, foi até um paiol, ingeriu veneno de rato e morreu. Desde então, ele começou uma pressão e tortura psicológica sobre ela“, relatou o delegado André.

Atitudes desumanas

O Delegado também contou que, em mais 12 anos da carreira policial, se surpreendeu ao conhecer e analisar a vítima.

“Não seria apenas uma palavra para definir o que ela viveu ao lado desse homem, mas desumano se encaixa em toda essa situação”.

Os policiais disseram que foi preciso conversar por mais de 5 horas com a mulher para convencer ela a sair da casa onde morava em Vale do Anari.

“A gente buscou amparar ela, dar apoio. Ela não falava quase nada. Foi bem complicada a oitiva dela. Ela foi encaminhada para fazer o exame de corpo de delito, mas se recusou a tirar a roupa para o médico”, contou ao G1.

A vítima foi encaminhada para a casa de parentes. Dos filhos do casal, três são meninas, sendo uma de 16 anos, outra 14 e a de 13 anos, que escreveu o recado na prova, e também um menino de 8 anos. Todos estão abrigados sob responsabilidade do Conselho Tutelar.

Um trauma de abandono de incapaz

Segundo a polícia de Vale do Anari (RO), O caso segue em segredo de Justiça, e o inquérito está em andamento. A vítima, o agressor e os filhos foram ouvidos. Testemunhas ainda serão ouvidas.

“A vítima nega que o marido batia nas crianças, mas uma das adolescentes disse que ele agrediu uma das meninas e depois mandou as crianças embora de casa, o que é abandono de incapaz”, afirmou o delegado em entrevista ao Portal G1.

As crianças também contaram que após esse episódio da expulsão de casa, sem terem para onde ir, pediram ajuda a funcionários de uma rádio no Vale do Anari. Na sequência, foram encaminhadas ao Conselho Tutelar.

Foi solicitado pelo delegado que a vítima seja acompanhada por um psicólogo e um assistente social. Até o momento, o suspeito das agressões não foi preso.
*DA REDAÇÃO SAG.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!