Kanye West planeja abandonar o rap porque é ‘música do diabo’, afirma pastor.

Por Daryl Nelson

O álbum de Kanye West, “Yandhi”, que ele anunciou no ano passado, agora é chamado de “Jesus é Rei” e está chegando na sexta-feira, 25 de outubro. Ele deu a data de lançamento no domingo em uma rara mensagem no Twitter, que instantaneamente foi manchete.

Mas o que também chama muita atenção é uma entrevista do pastor de West, Adam Tyson, que disse que o nativo de Chicago estava planejando parar completamente o rap porque sentia que era mau.


Foto:Adam Tyson e Kanye West

Kanye West supostamente chamou o rap de música do diabo e disse que iria parar de fazê-lo.

“Uma vez ele me disse que não ia mais fazer rap”, disse Tyson durante uma entrevista ao Apologia Studios. “Eu disse: ‘Por que não?’ Ao que Kanye respondeu: ‘Essa é a música do diabo’. Eu disse: ‘Ei, cara, o rap é um gênero, você pode fazer rap por Deus.’ Definitivamente, eu disse: ‘Ei, mano’, acho que você precisa usar seus talentos que Deus lhe deu e usar essa plataforma para Deus.”

Tyson disse então que West nunca ouviu falar de rappers populares baseados em cristãos como Lecrae, Flame, Tedashii ou Trip Lee, então Tyson o atraiu para esses artistas.

O pastor também explicou que tentaria “conectar” o artista “All of the Lights” a esses rappers, mas West “gosta de fazer suas próprias coisas”.

Ainda não se sabe se o novo álbum de West será recebido com indiferença, principalmente da comunidade negra. Porque antes de ele ter sua conversão espiritual, o homem de 42 anos era extremamente sincero sobre seu amor por Donald Trump.

Ele também usou o chapéu vermelho MAGA de Trump em várias ocasiões e, uma vez, durante uma entrevista, disse que a escravidão para os negros era uma escolha.

De fato, depois que West prometeu ficar longe de política, ele recentemente falou sobre seu apoio ao partido republicano durante um de seus eventos de “serviço de domingo” em Salt Lake City, Utah.

“Abraham Lincoln foi o Partido Whig, foi o Partido Republicano que libertou os escravos”, disse ele à multidão em 5 de outubro. “Mas por um ano as pessoas querem me chamar de racista, porque eu escolhi meu direito. Eu nunca tomei uma decisão apenas com base na minha cor. Essa é uma forma de escravidão, escravidão mental.”

Além disso, foi relatado no final de setembro que West não tocaria mais rap, apenas gospel, o que apóia a alegação do pastor de que ele tinha um problema com o rap.

O último álbum de West foi “Ye”, de 2018, e antes disso ele lançou “The Life of Pablo” em 2016.

*Via Atlanta Black Star. Tradução e adaptação REDAÇÃO Seu Amigo Guru.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!