Justin Bieber surpreendeu os fãs que aguardam ansiosamente um novo single. Ele se declarou evangélico e afirmou que só voltará a gravar quando Jesus o permitir.

Com uma carreira infantil de sucesso, Justin cresceu em meio a fama com uma superexposição que deve enlouquecer qualquer um. E enquanto crescia demonstrava fortes problemas de comportamento e disfunções psicológicas.

Qualquer um que não tenha uma força interior canibalizada para o bem se desvirtuaria nesse processo. E depois de vários escândalos envolvendo seu nome e de ter que interromper a última turnê “Purpose”, por conta de problemas com a polícia de Los Ângeles, ele decidiu, finalmente, se cuidar.

E declarou em suas redes sociais:

“Eu li muitas mensagens dizendo que vocês querem um álbum. Eu fiz turnês durante toda a minha adolescência e o começo dos meus 20 anos.

Eu percebi, assim como vocês provavelmente também viram, que eu estava infeliz na última turnê. Eu não mereço isso e vocês não merecem isso. Vocês pagam dinheiro para vir e assistir a um show energético, divertido e eu não consegui dar essa sensação a vocês no final da turnê”, disse ele.

E continuando, afirmou que só fará uma outra turnê se sentir a autorização do Rei (Jesus).

“Meu estilo é inegável e minha movimentação é indescritível, Seu amor é sobrenatural, Sua graça é tão confiável … o topo é onde eu moro. Se eu faço música ou não, é o Rei quem me diz isso”, afirmou.

Uma das causas de seu comportamento mais ajustado atualmente é que Justin Bieber está casado com a modelo Hailey, que tem sido uma verdadeira salvação para ele e o ajudou a começar a frequentar a igreja evangélica Hillsong Church há algum tempo.

Depois que começou a frequentar a igreja, Justin e Hailey são vistos constantemente em retiros e em ações evangélicas, fator que fez com que Justin se tornasse um grande amigo do pastor Carl Lenz, que lidera a igreja.

O medo atual dos fãs fervorosos é que ele se dedique a música gospel e deixe de brilhar nos palcos pelo mundo a fora com a música que o fez brilhar mundialmente, o pop.

Se é para salvar a vida dele, os fãs deveriam glorificar essa decisão, ou que preferem? Um deus pop para endeusar morto, ou um fiel gospel para louvar, vivo?

RECOMENDAMOS









Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA e SEU AMIGO GURU. Neurocoaching e Mestr em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram.