Um homem jamais poderá ter a alma de uma mulher. O que pode acontecer é um entrelaçamento de almas, uma união de propósitos, um envolvimento e um compromisso de amor. Jamais permita se envolver por inteiro, se não sentir que isso tudo é verdadeiro!

Pensando nisso, me deparei com um texto atribuído como provável código de honra das mulheres celtas, mas até então, de origem desconhecida e resolvi compartilhar com vocês! Espero que possam entender melhor qual é o papel de um homem e de uma mulher dentro de uma relação onde exista amor! Porque uma mulher só deve se manter ao lado de um homem se existir, companheirismo, amizade e, principalmente, AMOR.

“Ama teu homem e segue-o, mas somente se ambos representarem um para o outro o que a Deusa Mãe ensinou: Amor, companheirismo e amizade.

Jamais permitas que algum homem te escravize. Tu nasceste livre para amar, e não para ser escrava.

Jamais permitas que o teu coração sofra em nome do amor. Amar é um ato de felicidade, porquê sofrer?

Jamais permitas que teus olhos derramem lágrimas por um homem que nunca te fará sorrir.

Jamais permitas que o uso do teu próprio corpo seja cerceado. O corpo é a morada do espírito, porquê mantê-lo aprisionado?

Jamais permitas que o teu nome seja pronunciado em vão por um homem cujo nome tu nem sequer sabes.

Jamais permitas que o teu tempo seja desperdiçado com alguém que nunca terá tempo para ti.

Jamais permitas ouvir gritos em teus ouvidos. O Amor é o único que pode falar mais alto.

Jamais permitas que paixões desenfreadas te trasportem de um mundo real para outro que nunca existiu.

Jamais permitas que outros sonhos se misturem com os teus, fazendo-os virar um grande pesadelo.

Jamais acredites que alguém possa voltar quando nunca esteve presente.

Jamais permitas que teu útero gere um filho que nunca terá um pai.

Jamais permitas viver na dependência de um homem como se tu tivesses nascido inválida.

Jamais te ponhas linda e maravilhosa a fim de esperar por um homem que não tem olhos para te admirar.

Jamais permitas que teus pés caminhem em direção a um homem que só vive fugindo de ti.

Jamais permitas que a dor, a tristeza, a solidão, o ódio, o ressentimento, o ciúme, o remorso e tudo aquilo que possa tirar o brilho dos teus olhos te dominem, fazendo arrefecer a força que existe em ti.

E, sobretudo, jamais permitas que tu mesma percas a dignidade de ser mulher.”

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!