Irmãos tóxicos: Quando a inveja e o ciúmes são maiores do que o amor.

Irmãos tóxicos: como eles são?

Relacionamentos tóxicos entre irmãos, assim como relacionamentos tóxicos em geral, são autodestrutivos.

São relacionamentos baseados em inveja e ciúme, vitimização, manipulação, sentimento de perda de controle (desamparo aprendido), etc.

É claro que nem todos nós podemos sempre nos dar bem com nossos irmãos, e nada acontece . No entanto, quando os conflitos são recorrentes, nos sentimos incapazes de estabelecer limites com aquele irmão ou irmã, sentimos que nos tratam mal, etc., é hora de considerar a possibilidade de entrar em um relacionamento tóxico com ele.

Você sente que tem irmãos tóxicos ou melhor, que com seu irmão você está construindo uma dinâmica familiar tóxica como irmãos? Como descobrir e sair dessa situação? Em primeiro lugar, falaremos sobre alguns sinais de alerta para detectar esse tipo de relacionamento prejudicial.

Sinais de alerta para detectar um relacionamento tóxico entre irmãos

Falamos sobre alguns sinais gerais que podem estar nos alertando sobre um possível relacionamento tóxico. Mas e no caso específico de relacionamentos tóxicos com irmãos? Alguns desses sinais de alerta podem ser os seguintes (não precisam ocorrer todos de uma vez):

1 -Seu irmão te trata mal.

2 – Você discute de forma muito recorrente e raramente resolve.

3 – Dificilmente você pode falar com calma.

4 – Você perdeu o respeito.

5 – Se você mora com ele, sente que não está confortável, calmo ou feliz (ou a convivência é insuportável).

6 – Há uma hostilidade familiar quando essa pessoa está presente.

7 – Você se sente incapaz de se distanciar dessa pessoa, mesmo que seu relacionamento com ela doa.

8 – Você se compara continuamente com ele ou seus pais fizeram isso e isso gerou frustração ou baixa auto-estima.

9 – Você já deixou de vê-lo como irmão ou companheiro para vê-lo como seu inimigo.

Você se identifica com algum desses sinais?

Talvez seja hora de se perguntar se você tem um relacionamento tóxico com seu irmão e se perguntar o que você pode fazer para sair dessa espiral prejudicial para ambos.

Aqui estão algumas ideias para você começar.

Como agir

Você sente que o relacionamento com seu irmão (ou irmãos) fez vocês acabarem sendo irmãos tóxicos? Você tem dúvidas sobre isso? O que fazer se descobrirmos que temos irmãos tóxicos?

1. Identifique se o relacionamento é tóxico

O primeiro passo será identificar como você se relaciona e se comunica, a fim de identificar seu tipo de relacionamento (saudável, prejudicial…).

Ao refletir sobre os sinais de alerta e fazer a si mesmo perguntas específicas (esse relacionamento me acrescenta ou subtrai? Tira minha energia? Me faz sofrer?), você poderá descobrir se tem um relacionamento tóxico entre irmãos.

Este é o primeiro passo para tomar conhecimento da situação.

2. Perder a esperança de mudança

As pessoas não mudam “só porque”, muito menos porque queremos mudar o outro. Não funciona desta forma. E é que às vezes os relacionamentos tóxicos “nos prendem” porque pensamos que “essa pessoa vai mudar”. E isso nos prejudica, porque é uma esperança paralisante.

Além disso, aceite que essa pessoa é como ela é, com todas as suas forças e também suas dificuldades ou defeitos.

Isso não significa que também temos que aceitar que essa pessoa permaneça em nossa vida ou que tenhamos que aceitar e tolerar todo o seu comportamento em relação a nós. Comece a tomar consciência de tudo isso e você pode chegar ao próximo ponto.

3. Identifique que espaço ou papel você deseja dar a essa pessoa em sua vida

Sabemos que não é tão fácil colocar distância nas relações familiares, mas podemos identificar qual espaço ou qual papel queremos dar a esse irmão em nossas vidas. Talvez agora vocês não possam ser melhores amigos, ou confidentes de que foram na adolescência.

Ser flexível e aberto a mudanças; talvez o relacionamento agora tenha que seguir outro caminho, ser colocado em outro nível, etc.

4. Estabeleça limites e distância: cuide-se

E acima de tudo, outra coisa que vai te ajudar é estabelecer limites e distância (física e emocional) com seu irmão. Não se trata de romper a relação, mas depois de conversar sobre as coisas, dar um ao outro uma pequena margem, espaço para pensar, para fugir…

E quanto aos mesmos limites. Identifique o que te magoa no outro e deixe claro. Você tem o direito de se cuidar e se proteger. E lembre-se, cuidar de você também é cuidar da sua família.

Quando falamos de distanciamento ou de nos protegermos, não estamos falando de acabar com tudo ou também de não reconhecer nossos erros, mas de poder nos dar a oportunidade de curar e reconstruir seu relacionamento familiar.
*DA REDAÇÃO SAG. Foto de ilya mondryk no Unsplash.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!