O coronavírus poderia mudar nossa civilização para sempre?

Por David Andersson

Tudo está mudando muito rapidamente nas últimas semanas – econômica, ecológica, tecnológica e socialmente. Diferente de outras interrupções em grande escala, essa não tem fim à vista. Furacões, terremotos e apagões têm uma vida útil curta; todo mundo espera que o problema passe e depois começa a reconstrução e um rápido retorno à vida cotidiana, como de costume.

O coronavírus é muito diferente.

A maioria das pessoas está trabalhando para encontrar novas soluções; ninguém está apenas esperando o problema passar.

Por exemplo, há muitos anos as empresas de tecnologia têm experimentado ter funcionários trabalhando em casa, mas isso nunca foi realmente abordado e implementado em larga escala.

Seattle, uma das cidades nos EUA mais afetadas pelo vírus, é sede de algumas das maiores empresas de tecnologia do mundo, incluindo Microsoft e Amazon.

Na última semana, a maioria dessas empresas solicitou que seus funcionários trabalhassem em casa e algumas delas o tornaram obrigatório (“Microsoft, Amazon e outras empresas de tecnologia pedem que os funcionários trabalhem em casa para diminuir a propagação do coronavírusSeattle Times 3/4/20). Isso por si só poderia transformar o trabalho e o estilo de vida para sempre. Chega de pendulares, prédios de escritórios, engarrafamentos, estacionamentos e assim por diante.

Alguns dias atrás, uma imagem de satélite começou a circular comparando Pequim antes do vírus e após o bloqueio da China (“Coronavírus: NASA revela como o bloqueio da China reduziu drasticamente a poluição “, Forbes 3/3/20).

A imagem mostrava nuvens de poluição de um lado e essas nuvens desaparecendo do outro. A desaceleração da produção levou a reduções de tráfego aéreo, pessoas trabalhando em casa e assim por diante, e pode nos ajudar a alcançar a meta de temperatura de longo prazo do Acordo de Paris (“O coronavírus pode causar queda nas emissões globais de CO2 ” The Guardian, 3/10 / 20)

Todo país está tentando lidar com o vírus à sua maneira, mas o vírus não respeita fronteira nacional e, com a taxa atual de um milhão de pessoas viajando todos os dias, é quase impossível controlá-lo a longo prazo.

A Itália é um bom exemplo; colocar o país em confinamento terá outros tipos de consequências, talvez tão prejudiciais quanto o próprio vírus (“A Itália acabou de bloquear a oitava maior economia do mundo. Uma profunda recessão se aproxima”, CNN International 11/11/20). A economia da Itália depende fortemente do turismo, e o bloqueio poderia colocar milhares de empresas e trabalhadores em dificuldades econômicas imediatas e afetar instituições, como bancos, promotores imobiliários e agricultores, que poderiam ir além do turismo.

Essa emergência é uma questão global, pois nossos sistemas econômico, ecológico, ambiental, energético, de produção de alimentos, de comunicação e tecnológicos trabalham em estrutura.

TODOS estamos vivendo no mesmo planeta e precisaremos de um novo nível de entendimento, desenvolvimento e tipo de projeto para o futuro.

Temos que parar de pensar apenas em nós mesmos, em nossa própria família, em nosso próprio bairro, em nosso próprio país. Esse vírus vai diretamente contra a maneira como estruturamos nossos sistemas de saúde.

Ter todo mundo pagando pelo seu próprio seguro de saúde e cobrindo suas próprias despesas é ridículo. Um vírus não funciona assim. O problema não é apenas se você pegar o vírus, mas o que acontece com as pessoas que você pode contaminar, pois não há seguro social de saúde suficiente.

As conseqüências desastrosas da Segunda Guerra Mundial, que devastaram grande parte da Europa e causaram milhões de mortes, deram origem às Nações Unidas. A ONU foi fundada para salvaguardar a democracia, a liberdade e a paz após o nazismo e a Segunda Guerra Mundial. E o antecessor da ONU, A Liga das Nações, foi criado como resultado direto da Primeira Guerra Mundial.

Enquanto John Lennon canta “Imagine”, esperamos que, após o coronavírus, o mundo se reúna para abandonar todas as crenças anteriores, priorizar a vida e o bem-estar de todos os seres humanos no planeta e se comprometa a usar as ferramentas e a metodologia da não-violência, a fim de avançar na construção de uma nação humana universal.

*Tradução e adaptação REDAÇÃO SEU AMIGO GURU. Com informações Pressenza

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!