Sim, há sempre um vazio em nossa vida que queremos preencher, para muitos, esse vazio é no estomago, é a fome, é a escassez dos recursos mais básicos para a sobrevivência.

A falta de tudo o que é essencial vai atormentando a sua paz, e tornando a vida um redemoinho de preocupações constantes.

Para outras milhares de pessoas, o desequilíbrio vem do vazio da alma, que se endurece após inúmeras experiências de desamor, de desvalorização e de desamparo, e essas experiências de dor ficam guardadas a 7 chaves dentro de delas, e por isso, não se libertam.

O que experimentamos em nossa vida toda pode se tornar motivos de traumas, e essas situações extremamente desafiadoras que vivemos podem levar, muitas pessoas, a um estado de completa paralização.

Dominados por medos e angustias, se entregam e permitem que esse “estado psicológico” da mente controle suas vidas.

Mas esses mesmos acontecimentos também podem se tornar motivação, garra, luta e determinação. Essa distinção de atitude e comportamento diante dos mesmos, ou até piores desafios, vai depender do quanto a gente se ama e se dedica a manifestar a vida que a gente quer viver, independente do que passou, do que nos fizeram, ou do que permitimos que acontece.

Vai depender do quanto a gente se dispõe a superar as adversidades, do quanto a gente tem vontade e quer fazer a diferença no mundo.

Eu busco basear a minha a vida no exemplo de mulheres fortes, que saíram do nada, e que acreditaram em si mesmas, nos seus talentos, mesmo quando todos não acreditavam.

Uma mulher que me inspira muito é a cantora Elza Soares, ela é pura determinação, e a sua fortaleza interior me impressiona!

Alguns descrentes podem dizer: “Ah, mais ela tem uma voz maravilhosa, por isso fez sucesso”.

Não se engane, era totalmente improvável que ela fizesse sucesso. Uma mulher pobre, negra, com uma voz rouca, não era nem um pouco o perfil que era visto como “interessante” naquela época. Lembre sempre que os temos eram outros, em meados dos anos 60 o machismo e o racismo imperavam, e esses eram os desafios que ela tinha que superar a todo momento em que ela tentava ser reconhecida em sua carreira.

O que a tornou interessante para a grande massa foi a sua postura, o seu posicionamento frente a vida.

A sua garra, a sua vontade de vencer, e principalmente, a sua necessidade de alimentar o filho que estava a beira da morte.

É, sempre é a necessidade que nos impulsiona.

O querer, o desejar, o empreender sem limites, a coragem e a certeza de que, haja o que houver, não iremos desistir de seguir em busca dos nossos sonhos.

E foi exatamente isso que Elza fez! Ela não desistiu, ela não se intimidou, ela encarou de frente, e mesmo quando tudo parecia ser contra, ela foi a favor, ela foi a sua própria motivação, e seguiu em frente com medo mesmo.

Certa vez, Elza Soares escreveu um texto que me emocionou e eu guardei para ler sempre que me sentisse desmotivada. Tenho certeza que ele servirá para ilustrar tudo isso que disse até aqui.

Espero que as palavras e a história da Elza inspire todas vocês a lutarem, a nunca desistirem, e quem sabe, fazer as coisas de uma forma diferente daqui para frente:

ha-sempre-um-vazio-que-a-gente-nao-consegue-preencher-elza-soares.fw

“Um dia descobri que cantava.

O meu filho mais velho João Carlos estava morrendo e eu já tinha perdido 2 filhos e não queria perder mais um.

Eu não tinha dinheiro pra cuidar do meu filho e ouvi no rádio que o programa do Ary Barroso de calouros Nota 5, estava com o prêmio acumulado. Não sei como, mas eu sabia que ia buscar esse prêmio!

Fiz a inscrição e me avisaram que eu precisava ir bonita. Mas eu não tinha roupa nem sapatos, não tinha nada!

Então, eu peguei uma roupa da minha mãe, que pesava 60kg e vesti, só que eu pesava 32kg, já viu né? Ajustei com alfinetes.

Tudo bem que agora é moda ne?

Hoje até a Madonna usa, mas essa moda aí fui eu que comecei viu? Alfinetes na roupa é muito meu, é coisa de Elza!

No pé coloquei uma sandália que a gente chamava de “mamãe tô na merda”, e fui!

Quando me chamaram, levantei e entrei no palco do auditório. O auditório tava lotado, todo mundo começou a rir alto debochando de mim
Seu Ary me chamou e perguntou:

_ O que você veio fazer aqui?

_ Eu vim Cantar!

_ Me diz uma coisa, de que planeta você veio?

_ Do mesmo planeta que o seu Seu Ary.

_ E qual é o meu planeta?

_ PLANETA FOME!

Ali, todo mundo que estava rindo viu que a coisa era séria e sentaram bem quietinhos.

Cantei a música Lama.

O Gongo não soou e eu ganhei, levei o prêmio e meu filho está vivo até hoje, graças a Deus!

De lá pra cá, sempre levo comigo um Alfinete.

Naquela época eu achava que se tivesse alimentos pros meus filhos, não teria mais fome.

O tempo passou e eu continuei com fome, fome de cultura, de dignidade, de educação, de igualdade e muito mais, percebo que a fome só muda de cara, mas não tem fim.

Há sempre um vazio que a gente não consegue preencher e talvez seja essa mesma a razão da nossa existência.” Elza Soares

A Elza é um exemplo e ela me ensinou muito.

Aprendi que é possível transformar as nossas fragilidades em potências.

E agora eu te pergunto: Qual é o seu alfinete? O que você vem guardando com você que te faz lembrar a sua luta, a sua garra, a sua vontade de vencer?

Se você não guarda nenhum “alfinete”, onde será que você o deixou? Onde você o perdeu?

Recorde um momento em que você precisou ser corajosa, em que você ousou fazer algo grande quando todos diziam que não daria certo, e mesmo assim, você foi lá e fez. E provou para você e para eles que você estava certa!

São esses momentos que, muitas vezes, deixamos morrer dentro de nós, e não validamos, não validamos nossas conquistas, e por isso, acabamos desacreditando de nós mesmas.

Não faça essa sacanagem com você! Faça desse seu vazio interior a sua própria abundância.

Recorde a pessoa incrível que você é, arregace as mangas, lute, e acredite em você!

Ninguém mais acreditará se você não acreditar!

*Foto: Instagram/Elza Soares

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA e SEU AMIGO GURU. Neurocoaching e Mestr em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram.